Entrevistas Notícias Séries & TV 

Como World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji é diferente de outros programas de competição? A Showrunner da série comenta

Um novo reality show de competição vem aí para os amantes de programas do gênero!

É o World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji que chega na Prime Video esta semana, e em bate papo virtual com o ArrobaNerd, e diversos outros jornalistas ao redor do mundo, falamos com Lisa Hennessy, a produtora executiva e showrunner, do programa. 

E ela nos contou um pouquinho o que esperar do seriado.

Hennessy explica que a diferença entre World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji para outros programas de competição como Survivor e The Amazing Race é bem simples.

Survivor também é um reality show de competição onde toda semana os membros da tribo se reúnem e alguém é eliminado, The Amazing Race também é uma aventura de competição global, onde temos times formado por duas pessoas, onde cada um é eliminado toda semana, já o World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji é um evento esportivo global, uma competição de expedição com um cronômetro bem apertado.”

A produtora continua “quando a corrida começa, ela não para, durante os 11 dias, onde as equipes precisam terminar as provas. Os participantes são realmente atletas profissionais e que precisam competir até o final. Eles podem ir até o final da prova, desistir se estiverem muito cansados, ou até mesmo serem eliminados se perderem, ou não chegarem em algum ponto da prova a tempo.”

Hennessy afirma também que “a série foi feita como um documentário, são 10 episódios, que são basicamente divididos por dia [de competição] onde contamos as histórias dos times enquanto eles competem durante os 671 km que eles tem que percorrer.” Ela completa “então realmente é um grande evento onde contamos a história desses incríveis participantes nessa expedição”.

World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji
Foto: Corey Rich/Amazon

A produtora também fala que os bastidores de um seriado como World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji é muito trabalhoso, afinal, eles tem que cuidar da logística da competição ao longo de quando ela acontece, sempre pensando na segurança de todos os times, e também na cobertura que eles vão fazer, e nas cenas que vão filmar durante esses  671 km de prova.

A PRÉ-PRODUÇÃO

Os produtores checam o passado dos milhares de competidores que se candidatam, e também qual tipo de história eles querem contar no programa. Assim, a equipe de produção molda a seleção de acordo com alguns critérios já pré-estabelecidos. Todos os participantes fazem cursos de pré-treinamento, como treinamentos de primeiros socorros, e a produção faz de tudo para deixar todos preparados para quando eles começam a disputa. Afinal, são 11 dias sem parar. 

Antes de tudo eles tiveram que mapear todas as vilas que a produção iria passar, e conseguir a aprovação de todos os líderes de cada uma delas, e depois quando a prova já acontecia para a produção também era um desafio para lidar com as condições meteorológicas e com as condições da ilha.

Ela diz que em World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji tem as condições “mais selvagens, as mais difíceis do mundo [de lidar], como a chuva, a lama, florestas fechadas, acessos difíceis, que deu bastante trabalho para a equipe de filmagem. Tínhamos 40 equipes de filmagens gravando toda a competição para teremos imagens [cruas] e depois transformar em uma série de 10 episódios”

Hennessy completa “realmente foi um enorme trabalho desde a pré-produção, a produção em si, e a pós-produção”.

Bear Grylls comenta sobre o que é mais difícil em seus programas: Lidar com profissionais ou com celebridades?

OS BASTIDORES

Sobre seu momento favorito na temporada, Hennessy diz que a trajetória de alguns participantes realmente a marcou, como a dupla de filho e pai, Travis Macy & Mark Macy, onde já logo no primeiro episódio descobrirmos que Mark tem Alzheimer, mas mesmo assim decide competir com o filho em vez de seu time tradicional. E do ponto de vista de produção, Hennessy diz que eles tiveram que avaliar se isso era possível em um primeiro momento por questões de segurança. Depois da aprovação e da corrida acontecer ela diz que o participante representa o espírito do Eco-Challenge.

Hennessy também elogiou a ilha onde a competição se passa, e afirmou que o local além de ser lindo e ter paisagens maravilhosas tem um povo bastante acolhedor. “Foi uma decisão fácil para nós [como produtores] levar a corrida de volta para a ilha, foi como voltar para onde nós começamos… afinal nós competimos lá em 2002 e depois de 17 anos voltamos onde terminamos e foi uma história que se encaixou bem na nossa jornada”.

Sobre o que o  futuro aguarda para World’s Toughest Race, Hennessy como uma boa produtora é cautelosa “por enquanto vamos aguardar e ver como vai ser [ver como a série irá em termos de “audiência”] mas como produtores internacionais estamos de olho em diferentes locais ao redor do mundo, eu mesma já fui para o Brasil muitas vezes, e acho o país lindo, inclusive eu passei o ano novo em Jericoacoara [lá no Nordeste no Estado do Ceará] que foi incrível, então eu sou muito fã do Brasil, e acho que é uma localização muito bonita, nós estamos esperando os resultados e vamos ver” .

World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji é uma série de 10 episódios de pura aventura, apresentada por Bear Grylls e produzida por Mark Burnett, conta a história da última corrida de expedição, na qual 66 equipes de 30 países competem sem parar por 11 dias, 24 horas por dia, por centenas de quilômetros no terreno irregular de Fiji, composto por montanhas, florestas, rios e oceanos.

World’s Toughest Race: Eco-Challenge Fiji estreia no Prime Video em 14 de agosto de 2020.

Postagens relacionadas