Reality Shows Reviews Séries & TV 

LOL: Se Rir, Já Era! | Crítica: Comédia nacional faz o que os participantes não podem fazer: te faz rir

Basicamente qualquer um deve ter brincado na infância de ficar em silêncio e quem rir primeiro perde né? E é basicamente essa a dinâmica que os participantes de LOL: Se Rir, Já Era! se submetem na nova comédia nacional do Prime Video.

No começo as regras são claras e parecem fáceis: Ficar algumas horas sem rir e levar um prêmio. Fácil. Fácil? Quase isso. Aqui os participantes são alguns dos maiores comediantes do Brasil e que além de serem craques em piadas, stand-up, monólogos e programas humorísticos, ainda se conhecem e sabem alguns dos pontos fracos dos outros. Aí lascou. 

Na lista, olha só temos nomes como Nany People, Thiago Ventura, Bruna Louise, Estevam Nabote, Diogo Defante, Marlei Cevada, Igor Guimarães, Flavia Reis, Noemia Oliveira e Yuri Marçal. E essa talvez seja a maior graça de LOL: Se Rir, Já Era!. É humanamente impossível, você não se divertir, e rir, com as palhaçadas, com as bobeiras, e com os truques dos mais “jogo baixo.” que esse time apresenta para tentarem ganhar. E todos eles usam suas maiores armas, sejam personagens conhecidos antigos, seja seu tempo nos palcos de stand-up, ou às vezes, só uma piada dentro (ou fora!) de um contexto.

Foto: Courtesy of Amazon Studios

O formato é a versão brasileira do sucesso global Last One Laughing e parece que por conta do jeitinho brasileiro, da nossa aproximação com piadas, memes e do nosso humor característico, os participantes colocam os apresentadores e o público nessa jornada e fazem aquilo que eles não podem: nos fazer rir. É participante que raspa a cabeça, é cosplay de personagem famoso nos cinemas, é fantasia de frango de padaria e tudo mais para fazer o outro rir. E eles conseguem claro! Muita gente já é eliminada nesse começo. E sem spoilers, mas tem gente que até ri da sua própria piada.

Particularmente eu fui pensando: Ah é tudo combinado, Ah vai ser tudo forçado. Mas na medida que Tom Cavalcante e Clarice Falcão apresentaram as regras e estabeleceram como a dinâmica iria se dar eu falei: isso pode ser curioso e interessante. E foi. Na medida que os participantes foram apresentados, e introduzidos na grande sala que o programa se passa, igual participante de reality daquela emissora global, eu estava tomado pelo ritmo do programa e por o que esses participantes poderiam aprontar. Alguns eu já conhecia, outros não, mas todos me pareceram mais promissores.

E assim, logo no primeiro episódio, LOL: Se Rir, Já Era! já coloca todos eles juntos, num ambiente, onde ao tocar o alarme, era tudo liberado para fazer o outro rir. Claro, alguns se destacam mais que os outros, mas todos tem seus momentos ao longo dos episódios iniciais. São 6 no total.

Foto: Courtesy of Amazon Studios

Cavalcante e Falcão formam uma combinação inusitada, mas milagrosamente funcionam aqui, e ajudam ao público a entender como funciona o tal programa. Com a ajuda de câmeras que capturam movimentos, a dupla fica de olho nos participantes e nas suas menores reações. E isso realmente é muito importante. Sem spoilers novamente, mas é tudo muito rápido e realmente é difícil achar no meio de tantas pessoas quem riu ou não.

E fica claro, as pessoas riem, é do nosso instinto. A única diferença é que em casa, com a minha pipoca, eu posso rir descontroladamente (o que eu fiz!) e eles não. Quem ri é eliminado na hora. E pelo menos nesses primeiros episódios, os humoristas Estevam Nabote, Diogo Defante, Bruna Loise, e Nanny People se destacam para mim e se mostraram participantes super habilidosos e duro de competir. Eu não duraria nem 2 minutos ao lado deles. 

No final, LOL: Se Rir, Já Era! entrega um reality show super ágil, super divertido e maratonavel (cadê os próximos Prime Video???) e que entrega uma bela atração dentro da plataforma e que definitivamente foi uma grande surpresa.

LOL: Se Rir, Já Era! chega com  três episódios iniciais no dia 3 e outros três em 10 de dezembro.