Animações Críticas Filmes 

Trolls 2 | Crítica: Divertida e colorida aventura musical ligada nos 220v

A sequência de Trolls (2016) finalmente desembarca no Brasil, nos cinemas, depois de ser um dos primeiros grandes filmes com um lançamento em aluguel e compra digital nos EUA lá no começo da pandemia. E Trolls 2 (Trolls World Tour, 2020) faz uma animação contagiante e chega com uma nova missão: trazer novamente música e cor para o animado mundo dos Trolls que está em expansão.

Trolls 2 | Crítica
Foto: Universal Pictures

No longa, os Trolls descobrem que existem outros reinos além dos deles, e essa alegria e fofurice dos bichinhos cantores será atrapalhada por uma vilã, a troll roqueira chamada Rainha Barb (voz de Rachel Bloom no original) que quer acabar com todos os ritmos musicais e fazer com que todos os reinos só escutem um ritmo, o Rock pesado. E assim, no meio dessa jornada do bem e do mal clássica, Trolls 2 ajuda a passar uma mensagem sobre diversidade e saber reconhecer nossas diferenças para os pequenos muito bacana e positiva. Sim, Trolls 2 é para os baixinhos, e deve agradar mais esse público alvo, que deverá se divertir mais com personagens pulando na tela e cantando do que qualquer outra coisa, afinal, a trama é costurada e inflada para que a cada poucos minutos apareça algum tipo de reviravolta e uma grande número musical para prender a atenção dos espectadores.

E nesse meio tempo, Trolls 2 aproveita para tacar glitter, muita cor e luzes fortes para contar a nova aventura da jovem Rainha Poppy (voz de Anna Kendrick no original e de Jullie na versão dublada) e seu amigo Tronco (Justin Timberlake no original, e do ator Hugo Bonemer na versão dublada) que resolvem embarcam em uma viagem por todos os reinos dos Trolls, dos mais variados gêneros musicais possíveis, na busca por reunir todas as tribos e o que acaba por fazer de Trolls 2 ser uma grande turnê musical.

Trolls 2 | Crítica
Foto: Universal Pictures

 E ao mesmo tempo que conhecemos mais desses novos lugares, fora do Reino Pop, somos apresentados para os mais diferentes estilos, sejam eles de música clássica, ou sertanejo, e também o rock, e os respectivos líderes e povos de cada um desses locais musicais. Assim, conhecemos a líder country do reino Sertanejo, Delta D (Kelly Clarkson no original e na versão dublada a cantora Simone Mendes, da dupla musical Simone & Simaria) e os reis do funk, a Rainha Essence (Mary J. Blinge no original) e o Rei Quincy (voz original de George Clinton), entre outros que dão suas caras na medida que a Rainha Barb invade esses reinos com seu exército de roqueiros.

Confesso que a cada ida e chegada em um novo reino o longa me surpreendia com os números musicais que a animação apresentava. Para mim, o destaque ficou com o grande mash-up de músicas pop (que vai desde da banda inglesa Spice Girls com a música Wannabe, e passa por Who Let The Dogs Out? e ainda Gangnam Style do sul-coreano Psy) que Poppy e seu time canta para tentar conquistar o coração dos moradores do Reino do sertanejo, e claro, e ainda a faixa original Trolls Wanna Have Fun que reúne todo o elenco principal já logo no começo do filme.

 Trolls 2 tem um roteiro escrito por tanta gente, são 5 nomes creditados (Jonathan Aibel, Glenn Berger, Maya Forbes, Wallace Wolodarsky, e Elizabeth Tippet) que é um milagre que o longa consiga acertar todas as notas musicais. A sequência se apoia em algumas reviravoltas na história que acaba por fazer com que o filme tenha uma certa sustância para carregar sua trama por mais de 1 hora e pouco. A equipe aqui sabe construir a história aos poucos para nos levar para um grande show que reunirá todas as tribos depois que foram sequestradas pela rainha roqueira. Assim, Trolls 2 nos entrega uma forte mitologia para contar uma boa e divertida história, introduzir novos personagens, e dar novas tramas para os antigos vistos no primeiro filme.

Com uma trilha sonora que é impossível não sair cantarolando, ou bater o pé enquanto assiste, Trolls 2 faz uma animação musical agradável e que serve para desconectar um pouco dos problemas do mundo lá fora. Ao assistir o filme, o espectador só precisa se preocupar em qual será a próxima música que os bichinhos saltitantes, e extremamente vocais, vão cantar em seguida. E desviar dos canhões de glitter, claro.

Avaliação: 3 de 5.

Trolls 2 chega em 3 de dezembro nos cinemas nacionais pela Universal Pictures.

O ArrobaNerd viu o filme em uma sessão para jornalistas feita pelo estúdio que seguiu todas as regras e recomendações das equipes de segurança.

Recomendamos o leitor, se for encarrar a visita ao cinema, se proteger e seguir todas as recomendações de segurança contra o COVID-19 impostas pelas organizações de saúde.

Postagens relacionadas