Sentença | Crítica: Lupa é colocada no sistema judiciário e nas relações pessoais dos personagens

O gênero criminal é um que tem agradado o público de séries no streaming pelo fato que toda a história ali contada, se bem feita, causa uma instigação para queremos saber o que vai acontecer, afinal, os episódios estão ali disponíveis para ser vistos do começo ao fim e serve como um grande filme de X quantas horas.

E com Sentença, a área de produções nacionais da Amazon aposta nisso, e entrega um drama de tribunal para contar a história de uma advogada que luta e navega pelo sistema judiciário, e claro, acaba por encontrar percalços, obstáculos e inimigos muito poderosos. O seriado pode soar um pouco genérico e “Ah já vi antes” mas tem como grande trunfo a forma como a história é apresentada.

sentença
Foto: Amazon Studios

Sentença, além de colocar uma lupa nas “peças” que compõem o grande maquinário que é judiciário nacional, também mostra as relações pessoais desse grupo que acompanhamos aqui e como essas relações são partes cruciais para as consequências de boas partes da ações que esses personagens tomam ao longo da temporada.

Seja a família da advogada Heloisa (Camila Morgado), do traficante preso e líder de uma facção Zeca (Rui Ricardo Diaz) ou até mesmo de Dinorah (Lena Roque) que acaba de ser presa por um crime contra um policial que causou comoção popular depois de ter sido postado nas redes sociais pelo acaso.

Mas será que as coisas são tão assim 8 ou 80? Preto no branco? Em seus episódios, Sentença vai mostrar que as coisas não são bem assim como vemos, ou como somos condicionados para vermos baseado em nos pré-concepções e pré-julgamentos. A entrada da advogada celebridade, posto que atingiu o ápice com Viola Davis em How To Get Away With Murder, no caso de Dinorah parece que foi acaso, e mais um pro bono de Heloísa, mas as engenhocas sempre estão trabalhando e na série o sentimento de que alguma coisa está errada com o caso, com o que aconteceu, e como as coisas se desenrolam é muito sentido.

Foto: Amazon Studios

É um seriado muito intenso narrativamente falando, que apresenta questões morais e complexas muito grandes, e claro, marcado por diálogos que levantam um certo tipo de discussão. De maneira geral tudo funciona bem, temos sim, algumas discussões e falas são mais duras, e algumas passagens não são bem elaboradas, e uma edição brusca, mas nada que tire o mérito da produção de forma alguma.

Na medida que Heloísa é jogada para esse furação, com uma intensa cobertura da mídia, aquela mais sensacionalista e com um jogo de interesse muito grande que no começo não fica tão claro assim nem para o espectador e nem para os personagens, tanto a vida pessoal quanto a vida profissional dessa personagem é colocada a prova. Morgado lidera o elenco de forma impressionante e apresenta passagens pesadas e intensas para sua personagem, cheia de camadas interessantes que são trabalhadas, e desconstruídas, pela atriz ao longo dos episódios.

O que temos aqui, e graças ao talento de Morgado, é uma personagem complexa, cheia de traumas, e que canaliza isso para tentar desvendar, compreender e consertar um evento que marcou seu passado e sua infância. Seria aquilo que aconteceu com a sua mãe uma injustiça e o único caso que Heloisa não consegue vencer? No campo da vida pessoal, esse é um dos arcos narrativos que temos para a personagem, juntamente com a sua relação com o marido (Fernando Alves Pinto), seu filho (Victor Hugo Martins), e seus avôs, figuras importantes da sociedade e do cenário judicial nacional.

Foto: Amazon Studios

Já na parte profissional, Heloísa se vê no meio da pressão na medida que a facção criminosa tenta levar a personagem para o lado deles, onde Zeca e sua esposa (Heloísa Jorge) também tem suas vidas expostas e apresentadas para o público, e o caso de Dinorah (Roque, tão boa aqui com cenas poderosas) que parece ser mais desafiador do que parecia ser num primeiro momento, onde a ré parece sempre esconder alguma coisa sobre o que efetivamente aconteceu naquele dia.

Com 6 episódios, Sentença amarra tudo que é apresentado de uma forma bacana de se assistir, onde as coisas se desenrolam um pouco mais para o fim da temporada, e nos encaminhamos para o julgamento principal do seriado, onde os episódios finais são marcados por boas reviravoltas. 

Sentença chega em 15 de abril no Prime Video.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.