Destaques Reviews Séries & TV 

Run (HBO) | Primeiras Impressões

Essa é uma história de amor. Parafraseando a cena de abertura da segunda temporada de Fleabag, escrita também por Phoebe Weller-Bridge que assina a produção executiva junto com Vicky Jones aqui em Run, talvez seja a melhor definição para descrever a nova comédia da HBO que chegou no canal para nos alegrar em época de quarentena. 

E não se engane, mesmo pouco divulgada ou badalada, Run estreou seu primeiro trailer há algumas semanas e voou abaixo do radar, mas para os olhos bem treinados já dava para suspeitar que teríamos uma coisa boa vindo por aí…e depois do seu primeiro episódio, podemos constar, com total certeza, que Run nos entrega uma das melhores estreias de 2020.

Run faz um intrigante e completamente insano primeiro episódio, onde a talentosa e vencedora do Emmy, Merritt Wever e o ator Domhnall Gleeson esbanjam uma química inigualável em tela, e nos entregam personagens carismáticos, envolventes, e realmente apaixonantes.

Merritt Wever and Domhnall Gleeson in Run (2020)
Run – Primeiras Impressões | Foto: HBO

Claro, sabemos pouco sobre eles, mas quando o telefone de Ruby (Wever, ótima) recebe uma mensagem de texto escrita RUN (Corra), ela pensa por alguns segundos no que isso significa para ela (e não para o espectador), e começa a correr. Uma passagem para Nova York, por favor, contanto que não seja na poltrona do meio, e às 17 horas, ela chega na estação de trem, passa numa loja de cosméticos e arruma o cabelo. Quem será que ela está esperando? Deve se indagar o expectador que provavelmente tenha ligado a HBO sem saber do que se trata. Mas para a gente que estava na expectativa da série estrear a resposta é clara.

O encontro de Ruby com Billy (Gleeson) é hilário, divertido e totalmente o DNA de Waller-Bridge que aqui parece muito não tentar roubar os holofotes de sua colega, mas puxa, para quem já é fã da produtora há algum tempo, a marca da roteirista é inigualável. E o casal, que não são bem um casal, Ruby e Billy exalam paixão, e tesão, como fica claro nas ambas as cenas que os dois usam o banheiro do trem que estão rumo à Chicago.  

E Vicky Jones e Phoebe Waller-Bridge conseguiram criar uma trama sexy, instigante e completamente sedutora. Em Run, a vontade é sair correndo para encontrar Ruby e Billy, numa mesa de bar e querer saber de todos os detalhes de suas vidas, desse relacionamento conturbado, e ao mesmo tempo intenso, que eles viveram e que realmente terminou com bastante dúvida de ambas as partes.

Assim, Run entrega 30 minutos de pura adrenalina que nos faz querer correr para saber mais e mais sobre esses dois. Pequenas respostas nos são entregues, na medida que a dupla quebra sua própria regra de não falarem de suas vidas pessoais durante 24 horas.

Em uma temporada televisiva cada vez mais marcada por grandes estrelas rumo à TV, Run entrega uma produção típica da HBO, caprichada e que não se esconde atrás de firulas para entregar um texto ousado e inteligente. Ou seja, tudo que esperamos de uma produção com o selo do canal. E desculpe os outros canais, e serviços de streaming, mas dessa vez a HBO correu e passou na frente de todos vocês.

Run todos os domingos na HBO e HBO Go.

Postagens relacionadas