Críticas Filmes 

Feel The Beat | Crítica

Sabe aquele filme super descompromissado que sempre passava na Sessão da Tarde nos anos 2000 e que era a definição máxima de um bom divertimento? Então, isso é Feel The Beat (2020) todinho: uma comédia gostosinha e feita para assistirmos sem muita preocupação com os detalhes, se o filme merece ou não uma oportunidade na temporada de premiações ou se seus atores entregam as atuações de suas carreiras. 

Feel The Beat é filminho dos anos 2000 no Disney Channel, é Hilary Duff no auge da popularidade embarcando para Roma para cantar com seu alter ego musical, é Lindsey Lohan numa era pré surtos trocando de corpo com a mãe. Liderados pela carismática Sofia Carson, Feel The Beat é uma nova aposta da Netflix para o público jovem e vou te falar que que diverti bastante assistindo, onde o filme entrega uma produção agradável e totalmente feita para ser vista numa tarde de quarentena. 

Feel The Beat | Crítica
Foto: Netflix

Carson vem de um sucesso monstruoso na franquia Descendentes da Disney, passou pela curta vida que a série Pretty Little Lies: The Perfeccionists teve, e agora chega em Feel The Beat para contar a história da dançarina April Dibrina que está em busca de um cobiçado papel na Broadway, aliás papel na qual, ela luta para ter seu momento de estrela e está pronta para o seu close-up, diretor.

Mas viver na competitiva Nova York e na busca por perfeição fez de April uma garota ambiciosa e quase sem uma rede de apoio na cidade. Ao perder a oportunidade em uma peça, April se vê obrigada a retornar para sua cidade natal, voltar a morar com pai Frank (Enrico Colantoni), enfiar a cara em queijo processado e retornar para o local que ela deixou as pressas pra ir em busca do seu sonho na cidade grande. Isso sem falar no namoradinho Nick (Wolfgang Novogratz) que completa a equação de ser uma típica comédia romântica dos anos 2000.

Assim, Feel The Beat coloca todas as peças para apresentar essa história simples, completamente batida e já requentada, mas que dá a oportunidade para Carson ser a verdadeira protagonista. Imagine uma Rachel Berry de Glee, só que com mais talento e mais determinação, e de volta para casa depois de ser derrotada. April está pronta para lamber as feridas e tentar de novo.

A presença de Carson é cativante, a atriz e a produção sabe disso e jogam seguro com o destaque dado para a protagonista. Quando em cena, os olhos caiem sempre na atriz, mesmo quando ela divide o espaço com crianças engraçadinhas e espirituosas. Não via uma reunião de atores mirins talentosos e inspirados assim desde da comédia Doze É Demais (2003) com Steve Martin e Hilary Duff.

Feel The Beat coloca então a personagem de Carson com essas crianças para uma disputa musical que vai dar trabalho e claro movimentar a trama. Assim, junto com a professora local, Barb (Donna Lynne Champlin, hilária) as duas precisam treinar essas crianças para competirem na disputa e levarem o troféu pra casa.

Marcia Bennett, Donna Lynne Champlin, Enrico Colantoni, Robinne Fanfair, Sadie Lapidus, Ken Pak, Shaylee Mansfield, Kai Zen, Justin Caruso Allan, Pat Thornton, Shiloh Nelson, Wolfgang Novogratz, Dennis Andres, Brandon Kyle Goodman, Sofia Carson, Lidya Jewett, Jonathan Breedon, Johanna Colón, Eva Hauge, and Carina Battrick in Feel the Beat (2020)
Feel The Beat | Crítica
Foto: Netflix

Claro, o roteiro de Feel The Beat, escrito por Michael ArmbrusterShawn Ku é pobremente desenvolvido ao tentar construir narrativas próprias para as crianças e as poucas histórias paralelas criadas são resolvidas em poucos minutos, assim como quase tudo que o filme se propõe fora da trama principal envolvendo a disputa. 

Feel The Beat apela para os talentos musicais e de dança de Carson e o filme tem seu ponto altos nas apresentações com o time de crianças nas etapas da competição. A trama ao redor deles parece só servir para tapar os buracos na história até o momento inevitável em que April consegue se encontrar com Welly Wong (Rex Lee), um chefão da Broadway, que convenientemente também é jurado na prova final, para tentar um chance para ser a protagonista de um musical em desenvolvimento.

As conveniências do roteiro, as atuações feitas para um filme para tv, e a simplicidade da história deixam Feel The Beat ser um filme que parece ter ficado na década de 2000 em plena era do streaming. Mas como um dos maiores atrativos de um serviço de streaming é dar abertura para todos os tipos de filme, essa comédia parece ter encontrado na Netflix um lar ideal mesmo com um ritmo totalmente desconexo em alguns momentos. 

[yasr_overall_rating null size=”–“]

Feel The Beat disponível na Netflix.

Postagens relacionadas