Destaques Entrevistas Filmes 

Batemos um papo com M. Night Shyamalan sobre o seu novo filme, Tempo


Tempo é o novo e misterioso filme do diretor M. Night Shyamalan que chega aos cinemas nacionais na próxima semana. Como uma boa produção do diretor, o projeto é cercado de expectativas, muitas teorias e especulações por conta dos fãs.

O Arroba Nerd foi convidado para participar de um evento virtual com o diretor onde Shyamalan contou detalhes sobre o longa, o processo de gravação na pandemia, o que esperar do filme, e claro, trabalhar com o elenco internacional que ele mesmo escolheu para Tempo.

O processo de criação de Tempo começou como um presente. Em um Dia dos Pais, as três filhas de Shyamalan deram para ele a graphic novel Sandcastle do autor francês Pierre Oscar Lévy e do artista Frederik Peeters. A obra rapidamente fascinou o diretor e inspirou o projeto que na época seria o seu próximo longa.

Tempo acompanha uma família que parte para uma viagem de férias tropical que descobre que a praia isolada onde eles estão relaxando por algumas horas de alguma forma os fazem envelhecer rapidamente… e reduzem suas vidas inteiras em um único dia.

Shaymalan no set de Tempo
Foto: Universal Pictures

No nosso bate-papo descobrimos que o roteiro do filme foi pensado para fazer o espectador ser absorvido para essas sequências de eventos que acontecem com os personagens. Shyamalan diz que queria “encontrar o ritmo certo para essas sequências de eventos que acontecem com os personagens e como mostrar o mistério se revelando [ao longo do filme].” diz ele.

O diretor completa: “Eu quis ser implacável e dar a sensação que você não poderia internalizar e tentar entender certas coisas que já partimos para a próxima coisa que acontece e deixar esse tom estranho que alguma coisa de errado vai acontecer até o final.”

Eu queria passar o sentimento de The Twilight Zone em que tudo é muito estranho. Com Tempo eu nunca quis que a audiência se sentisse segura, eu queria que a audiência fosse descobrindo uma coisa, e depois outra, e depois outra, assim como os personagens do filme.”, afirma ele.

Shyamalan comenta também sobre o tempo e a noção de envelhecimento ser o grande vilão do filme e o que a audiência pode esperar de Tempo. Ele diz: “Quando eu comecei a pensar em fazer esse filme eu pensei se o medo de uma coisa existencial seria tão assustador assim, não alguém te perseguindo, mas sim o tempo, e se conseguimos lidar com isso… e sabe de uma coisa?… audiências do todo mundo conseguiram se relacionar com isso. Esse [sentimento] de medo eles acharam terrível e eu acho que provavelmente tem haver com a relação do nosso medo de morrer.”

Ele continua: “Quando eu faço um filme sobre fantasmas é a mesma coisa.. você sente o medo de morrer. E aqui, é o que acontece quando você vive sua vida toda em um dia só…é um sentimento universal [de medo].”

Em Tempo temos um dos personagens que vive por perguntar para os outros hóspedes do resort que a família principal está hospedada, quem são eles e o que eles fazem.

Shyamalan comenta sobre isso: “Nos meus filmes sempre existem personagens crianças ou jovens que me representam de alguma forma. E o interessante de Trent [personagem do ator Alex Wolff (Hereditário) já mais velho] que ele pergunta para todo mundo, quem são eles, e é basicamente isso. E de uma certa extensão é o que o filme representa para mim, um grupo de pessoas que precisam encarar esse dilema que as coisas acontecem tão rapidamente. Aqueles que tentam vencer o tempo acabam por ter um destino não muito feliz, e aqueles que param de se lamentar sobre isso, ou de pensar sobre o que vai acontecer nos próximos minutos, e apenas aceitam que aquele é o presente deles. Então Trent representa isso, tipo quem é você nesse momento é importante para mim.

Em relação sobre Tempo ser um filme que mostra o tempo muito rápido em relação ao que o mundo vive e viveu durante a pandemia, Shaymalan comenta: “A pandemia forçou a gente a desacelerar e nos alertou sobre o quão rápido estamos indo, e sobre não estarmos presentes, foi quase como se tivéssemos sidos forçados a estar presentes por um segundo. (…) É como se nos forçasse a pensar “Eu quero viver minha vida desse jeito? São essas as pessoas que eu quero passar meu tempo? E é como se fosse uma extensão do que os personagens vivem nesse filme. Eles percebem que não importa o quão rápido o tempo passa, se você está com seus familiares ou entes queridos.”

Shyalmalan diz que ele não considera Tempo um filme de terror. Ele diz “Eu não faço terror”. 

“Não é isso que eu descreveria o que faço. No horror, há quase uma sensação de que a morte é um destino. O que eu tento fazer como um escritor é imaginar as piores coisas possíveis e me perguntar se eu sobreviveria como um humano emocional.”

Shaymalan com Gael Garcia Bernal no set de Tempo
Foto: Universal Pictures

Sobre o elenco, Shaymalan comentou um pouco sobre trabalhar com o ator Gael Garcia Bernal no longa, ao ser perguntado por uma jornalista do México sobre essa parceria. O diretor diz: “A gente já tinha falado sobre trabalhar juntos uma vez…Eu adoro aquele cara…ele é um verdadeiro artista e somos muito parecidos inclusive. Eu acho que irritamos muito Vicky [Krieps de Trama Fantasma] com nossas piadas o tempo todo. Mas eu amei trabalhar com ele e espero trabalhar novamente. Ele é um ótimo ator.”

E ter escolhido esse elenco de artistas internacionais com pessoas de diversas partes do mundo do México, da Austrália, da Alemanha. Shaymalan diz: “Foi uma coisa muito grande para mim. Eles não estavam interpretando personagens mexicanos, ou personagens alemães, eles só eram uma mãe, um pai, um marido e essa é a maior forma de aceitação. É como se a gente dissesse “Esse é você. Não é seu vizinho mexicano. É o seu vizinho” Eu estou muito orgulhoso [dessa escolha]. Quando você viu um ator mexicano sendo o protagonista de um blockbuster de verão [em Hollywood]? E essa questão não nem sobre o que o filme quer dizer… ele é apenas um pai e seus problemas. Assim quem é um pai se identifica com ele apenas por isso.”

Tempo chega em 29 de julho nos cinemas nacionais.