Críticas Filmes 

A Festa de Formatura | Crítica: Um filme bagunçado mesmo que colorido e com Meryl Streep

E A Festa de Formatura (The Prom, 2020) hein? Uma bela e colorida bagunça na Netflix que nem a monumental Meryl Streep consegue salvar. O novo filme do diretor Ryan Murphy até tem seus momentos e pontos positivos, mas que nunca conseguem superar os pontos negativos e que vamos discutir aqui.

Talvez como experiência musical, A Festa de Formatura até pode ser uma peça interessante de se assistir, mas como filme, e visto no streaming, deixa bastante a desejar e não deve ter o mesmo impacto que teve como atração da Broadway.

A Festa de Formatura | Crítica
Foto: Netflix

Mesmo com o selo Murphy e um elenco de estrelas de Hollywood nos papéis principais, a grande mensagem que A Festa de Formatura quer passar se perde no meio de números musicais em excesso, “Jazz hands” e muito glitter e luzes fortes. A Festa de Formatura parece um spin-off não oficial da série Glee, onde Murphy coloca um grupo de atores de teatro fracassados para ajudar uma garota de um colégio do interior que não poderá ir na sua festa de formatura. Eu super imaginei que a Rachel Berry de Lea Michele iria dar as caras pelos corredores a qualquer momento, depois que por conta das pressões, a Associação de Pais e Mestres conservadora do local, e liderados pela Sra. Greene (Kerry Washington), não permitiu que jovem Emma (Jo Ellen Pellman) levasse sua namorada para o evento.

Claro que o diretor Tom Hawkins (Keegan-Michael Key, num bom ano) promete lutar contra isso, e que acaba por ser o grande motivo que a trama do filme aconteça e se desenrola depois que a história viraliza on-line e chame a atenção do grupo de atores que querem limpar as suas barras.

Mas são poucas coisas que funcionam em A Festa de Formatura, afinal todo o arco narrativo de se Emma vai conseguir mesmo ir ao baile ou não se resume logo nas primeiras horas, e que talvez fosse o primeiro ato da peça, antes do intervalo, onde pouca coisa realmente dá certo sabe? E Murphy e os roteiristas, a dupla Bob Martin e Chad Beguelin, parecem que até sabem disso e até brincam com uma certa metalinguagem sobre as críticas negativas da peça que os atores Dee Dee Allen (Streep, ótima) e Barry Glickman (James Corden) participam no filme e são massacrados pelos críticos teatrais.

“Deve ser a atuação mais equivocada, insultante e ridícula” afirma um deles sobre o papel do personagem de Corden na apresentação de Eleanor! uma peça de teatro sobre a vida da ex-Primeira Dama Eleanor Roosevelt. É a forma da produção de dar uma cutucada na imprensa e sobre como o show sempre vai continuar. E realmente Corden segue no seu segundo ano, novamente em um musical que não foi bem recebido, e que novamente também acaba por entregar um papel completamente difícil de se acompanhar e que, assim como Cats (sim ainda esse filme!) é realmente difícil de assistir. Corden, os figurinos, e músicas não combinam, nem mesmo a forma como o personagem é apresentado ou na sua tentativa de ser humanizado com paralelos com a história principal ajudam. É tudo muito fraco.

E em A Festa de Formatura não é só ele. No que poderia ser uma incrível continuação, depois de levar prêmios por Big Little Lies, Nicole Kidman também deixa a desejar e parece que aqui fechou mais um projeto com a barriga, depois da pavorosa minissérie The Undoing que terminou tem pouco tempo na concorrente HBO. Kidman chega aqui com a missão de ser mais uma atriz da Broadway, a sempre na lista de espera Angie, que ajuda a nossa protagonista. Mas a personagem fica deslocada em diversos momentos ao longo do filme e tem uma apenas uma única cena razoável, a passagem musical Zazz, que envolve Jazz e Cabaré, mas que é apenas uma cena, em um filme de mais de 2 horas.

Aliás Murphy realmente não sabe que menos é mais. A Festa de Formatura tem passagens demais, personagens em excesso, figurinos coloridos demais e etc. É tudo a mais e realmente tudo isso prejudica o filme. Claro, não vamos chorar pelo ponche derramado, ou pelo lustre colorido que gira quebrado, afinal, A Festa de Formatura tem seus momentos divertidos e contagiantes, mesmo que no máximo me fez bater os pés de forma tímida ao assistir.

A Festa de Formatura | Crítica
Foto: Netflix

É o caso da apresentação Tonight Belongs to You que junta boa parte do elenco, You Happened e Dance With You que mostra as personagens de Jo Ellen Pellman e Ariana Debose cheias de esperanças e sonhos para o baile. Marquem o nome de Debose que ela é uma estrela sim, e mesmo que entregue uma atuação um pouco mais contida, talvez por tudo que acontece com sua personagem Alyssa, a atriz realmente mostra para o que veio e não fica aquém dos veteranos que estão com ela no filme.

Outros destaques de A Festa de Formatura ficam, claro com Streep que realmente parece entender o que seria o filme e realmente se diverte como ninguém, seja ao tirar seus Tony Awards da bolsa para tentar pagar hotel, fazer malabares em It’s Not About Me, ou perder uma casa no Hamptons é o que realmente faz o filme ser moderadamente assistível. Já Kerry Washington sai do lugar comum, interpreta um tipo de vilã que mesmo não bem desenvolvida, e que apenas é preconceituosa por ser, mas tem bons momentos e realmente toma a frente quando em tela.

E como falamos, a mensagem que a história quer passar de aceitação fica eclipsada pelas parafernálias que Murphy e o time de produção coloca. E isso fica claro em uma das cenas que o personagem de Andrew Rannells, o ator desempregado que trabalha como bartender e é marcado apenas por uma sitcom antiga, a música (Love Thy Neighbor) que Trent canta para um grupo de adolescente em uma praça de alimentação no shopping, a grande virada do longa tá ali, mas é completamente passada despercebida por conta do grande flashmob que se desenrola na cena. É como se Murphy fizesse questão de colocar tudo isso para desviar as atenções das coisas que o filme tem de falho e que no final são muitas.

Murphy tenta dar tudo aquilo que os seus fãs queriam, uma espalhafatosa adaptação de um musical da Broadway com atrizes conhecidas e aclamadas cantando, e claro muita dança e opulência, mas acaba que aqui com A Festa de Formatura parece que festa acaba antes de ficar boa. Não sei se deixaria a Netflix me levar para o baile de formatura não.

Avaliação: 2 de 5.

A Festa de Formatura chega em 11 de dezembro na Netflix.