“Fazer parte disso é tão grande, tão importante” diz voz da Raiva no Brasil em bate-papo com os dubladores de Divertida Mente 2

0
202

As emoções da jovem Riley estão de volta em Divertida Mente 2! Agora já mais velha, a garota ganha novas emoções na medida que se prepara para enfrentar novos desafios na adolescência.

Do primeiro filme, os atores Miá Mello (voz da Alegria), Dani Calabresa (voz da Nojinho), Leo Jaime (voz da Raiva), Otaviano Costa (voz do Medo) e Katiuscia Canoro (voz da Tristeza) retornam para a sequência. Já as novas emoções terão vozes de Tatá Werneck como a Ansiedade, já o Tédio terá voz de Eli Ferreira.

Completam a lista de dubladores das emoções de Divertida Mente 2, os dubladores Gaby Milani como Inveja e Fernando Mendonça como Vergonha.

E com isso, o ArrobaNerd foi bater um papo com o time nacional de dubladores da sequência que chega no dia 20 nos cinemas nacionais.

Confira também nossa crítica do longa.

Tristeza, Alegria, Nojinho, Medo e Raiva em cena de Divertidamente 2. Foto: © 2023 Disney/Pixar. All Rights Reserved.

Queremos começar com Katiuscia e Leo. Como foi para vocês descobrirem que iriam retornar para essa sequência e dar vozes novamente para as emoções da Riley e depois de tanto tempo depois do lançamento do primeiro do filme lá em 2015.?

Katiuscia Canoro: Olha eu fiquei esperando né? Porque ganhou o Oscar, ai você já passa pelo pressuposto que vai ter um dois! E aí eu fiquei sabendo que ia ter o dois, já, sei lá, uns quatro anos atrás… Eu fiquei esperando esse convite, esperando, falava assim “Não, eu preciso ser a Tristeza de novo! Cara, não podem colocar outra voz para ser a Tristeza, tem que ser eu!”

E aí, meu filho é um louco por dublagem, ele é um apaixonado, desde 6 anos de idade, e agora ele já tá com 11, mas ele é quem quem fica também tipo perguntando, me incentivando. “Vai lá mamãe!”Ele se ele acha o máximo que a mãe dele é a Tristeza, claro eu acho o máximo, também agora imagina uma criança que é louca por dublagem.

E aí eu mesmo liguei algumas vezes, falei assim, “Ué, mas vai ter e será que eu não vou fazer?” Liguei para meu escritório falei. “Será que eu não vou fazer? Tão demorando para chamar. Já tão falando para todo mundo que vai rolar o filme.” E aí quando me chamaram eu falei assim, “eu não quero nem, eu não quero nem ler o contrato. Vou fazer de qualquer jeito.” Eu fiquei tão feliz, foi muito bom.

Leo Jaime: Eu fiquei aliviado, eu fiquei, ainda bem que vai ter o dois. E ainda bem que me chamaram. Porque eu tive tanto prazer fazendo o primeiro e ao mesmo tempo foi uma experiência curta, foi um dia praticamente de gravação, e depois um dia, que dessa vez a gente não teve a oportunidade, de reunir o elenco inteiro e interagir e tal. (…) Mas fazer parte disso, é tão grande para mim, é tão importante. Eu fiquei tão honrado e como ator também achei um desafio tão legal assim fazer um personagem que não é próximo do que eu sou, ou de tudo que eu escrevo, tudo que eu costumo fazer como ator. É diferente, né?

(…) Fiquei muito feliz de ter passado me falaram para não fazer voz, acabei fazendo a voz. Deu certo, aceitaram a voz, mas depois a voz voltou do personagem, quando a gente foi fazer um teaser para o dois, né? E eu falei agora como é que eu vou recuperar aquela voz lá de 8 9 anos atrás na hora apareceu e eu achei o segundo episódio ainda mais sofisticado mais complexo, mais interessante e mais desafiador do que o primeiro. (…)

Ali era um teste, o primeiro era, era um filme ousado para ser um filme de criança, né? Um filme que falando de de emoções e tal e mas funcionou muito bem e eu acho que que as emoções todas se sofisticam. E aí aparece Tédio, aparece Ansiedade, aparece Vergonha.

 Vergonha, Ansiedade, Inveja e Tédio. Foto: © 2024 Disney/Pixar. All Rights Reserved.

Eli, nós amamos a sua personagem, gostariamos de saber se você se inspirou em alguém que você conhece para dar o tom da voz para Tédio porque normalmente, até o filme explica né que o Tédio e o Sarcasmo, às vezes, podem se misturar um pouco, mas eles são coisas bem diferentes. Poderia comentar um pouco?

Eli Ferreira: A personagem tem muito do sarcasmo e do mau humor, mas para mim [criar a tonalidade da voz da personagem] foi de uma coisa muito mais visual. De olhar para a personagem em movimento. Tanto no teste, quanto na hora de fazer. E foi uma coisa bem rápida de se fazer nesse sentido, foi coisa de um dia mesmo. No final, eu voltei outro dia, e o Rodrigo [Rodrigo Andreatto, diretor de dublagem da Disney] me colocou para gritar, né?

Eu tinha umas duas cenas específicas que tem mais esse grito só e aí foi dentro tudo que eu via ali [na tela] e o Rodrigo vindo pedindo essa dosagem. Coloca mais o pé no freio, menos energia, e aí ele ia mesmo conduzindo né? Era esse nível de energia que eu colocava para para dar voz para Tédio, mas acho que eu que eu vim de lugar meu, mesmo assim… a Tédio tem uma parada de [ser alguém] que não quer, e não faz, muita questão de agradar assim sabe? Ela tem uma coisa meio blazé. (…) Então foi um lugar de botar o pé no freio, [colocar] menos energia na voz, uma bem mais grave e vendo como o personagem se movimentava ali sabe? Foi bem intuitivo nesse sentido.

E existe alguma coisa que ajudam vocês a entrar no estado de espírito das emoções na hora de gravar para dublar? Vocês tinham algum truque? Algum macete? Era ouvir a voz original? Ou seguir o que o diretor de dublagem falava?

Eli Ferreira: O meu foi o corpo mesmo, eu acho. A postura do [meu] corpo, na hora de fazer, era mesmo, realmente era totalmente diferente. Eu ficava assim [meio largada], ai o Rodrigo ia conduzindo, mas eu ficava com o ombro bem para baixo, assim, com a cara, bem para baixo. Mudar fisicamente minha postura me ajudou.

Katiuscia Canoro: É [muito] engraçado porque [dublar é] diferente do processo que a gente vive no nosso dia a dia, né? Porque quando a gente cria um personagem, temos um texto, lemos, passamos por uma criação inteira até chegar no personagem e a dublagem não, você tem um briefing, você tem um trailer, é isso que você tem. Você não consegue [desenvolver], você nem viu o filme, você nem leu a história. Então você conta muito com a direção, né?

E eu acho que o Rodrigo, fez isso com uma maestria incrível. E aí você vai acaba buscando dentro de você mesmo ou isso que a Eli falou, né? O corpo trouxe para ela o tom de voz que ela tinha que colocar e para mim foi isso foi muito o Rodrigo e foi muito entender que né qual era tom da Tristeza.

Leo Jaime: Eu tive essa mesma sensação de estar fazendo um personagem que era distante de mim, da minha personalidade. Por isso era interessante, né? E sei o quanto é importante a dublagem. (…) Enfim o trabalho de dublagem é muito importante, ele entra muito profundamente na cabeça da gente, como parte da cena, como se aquilo tivesse sido criado para ser com aquela voz, com aquelas pessoas que estão com aquelas imagens que a gente tá vendo.

Então quando alguém via o Divertidamente [o original] e falava bem para mim do filme, e não sabia que eu tinha feito, eu achava que era o melhor elogio que eu podia receber. Ninguém percebeu que era eu, porque o personagem tava lá, independente de mim. Eu acho que como o ator foi muito rico, foi muito interessante. O dois foi mais sofisticado ainda exigiu mais e por isso foi mais divertido porque a gente tá brincando ali de achar caminhos e tendo diretor que sabe exatamente, o que que é e o que não é [que vai acontecer] fica muito mais fácil, você experimenta, uma hora acerta, eu acho que foi isso.

É o Raiva. Ele é impulsivo. Ele é instantâneo, eu acho que achar o caminho para ele foi usado os elementos deles impulsivo e instantâneo ir é muita energia, né? Porque ele é muito aceso, né? Praticamente tá pegando fogo.

E o que tem deixado vocês com Raiva ultimamente? É gente que fica na escada rolante do lado errado, é quem deixa o prato e a bandeja na praça de alimentação?

Katiuscia Canoro: Nossa gente mais muita coisa. Hoje a raiva me dominou. [a entrevista foi realizada um dia após a aprovação do projeto de 1904/24]. Eu acabei extravasando ela me arrependi e apaguei um post que eu tinha fiz feito. Tem muita gente, tem muito motivo para ficar com raiva hoje hein?

Leo Jaime: Muita gente!

Katiuscia Canoro: Muita falando merda muito assim, muita gente falando merda, hein?

Leo Jaime: Eu amo esse meme!

Katiuscia Canoro divulgando o primeiro Divertida Mente lá em 2015. Foto: Disney © Disney/Pixar. All Rights Reserved.

Falando em meme Katiuscia, sua imagem divulgando Divertidamente, o primeiro, com você parada sorrindo, né da Tristeza viralizou nas redes sociais. Vocês chegaram a cogitar a repetir esse momento? E como tem sido a sua relação com os fãs de Divertidamente?

Katiuscia Canoro: Eu adoro esse meme. Eu tô muito feliz, com a franjinha, e um negócio enorme escrito TRISTEZA atrás. Com um sorriso enorme. É o meme favorito do meu sobrinho mais velho, o Téo. Ai eu adoro gente, eu adoro virar meme. Eu adoro que as pessoas deem risada da minha cara, é minha missão social, porque risada cura, humor cura!

Leo Jamie: Humor é resistência, humor cura. Se eu puder dar um pouquinho de alegria para o mundo para mim é missão cumprida!.

Katiuscia Canoro: Nossa é uma coisa até as pessoas falam ai, mas você não queria [fazer outra coisa]. Claro, tem um estigma, da comediante, né que você fica preso ali, né? Uma imagem de ser só é comediante. Mas na verdade eu sou uma atriz antes de ser comediante, mas eu amo fazer comédia eu posso fazer para o resto da minha vida só comédia que eu não vou ser uma pessoa frustrada de não fazer, não precisa fazer mais um Hamilet na vida. Eu acho que que é um privilégio e eu sou grata a esse, sei lá, esse dom ou esse tempo de respiração que eu tenho que faz com que as pessoas deem risada. Eu espero fazer o povo rir ainda muito.

Em Divertida Mente 2, vamos acompanhar a mente de Riley agora que ela é uma adolescente com a personagem por encontrar uma nova série de emoções personificadas. 

Kelsey Mann cuida da direção e Meg LeFauve retorna para cuidar do roteiro.

Na sequência, retornamos para a mente, da agora adolescente, Riley e vemos que o centro de comando está em reforma para dar mais espaço para alguma coisa inesperada: novas emoções. Assim, Alegria, Tristeza, Medo, Nojinho e Raiva, que há anos tem cuidado com sucesso da casa, não sabem lidar quando a Ansiedade chega. E ela não chega sozinha, e vem com Ansiedade, Tédio, Inveja e não esqueça a Vergonha.

Divertida Mente 2 chega em 20 de junho nos cinemas nacionais.

Try Apple TV

Deixe uma resposta