Diretor de fotografia indicado ao Oscar por Império da Luz fala sobre o longa

0
358

Império da Luz é a quinta colaboração do diretor de fotografia Roger Deakins com o diretor Sam Mendes.

Deakins trabalhou com Mendes em filmes como 1917 onde levou o Oscar na Categoria de Melhor Fotografia. O profissional também levou a estatueta para casa em outra oportunidade, em 2017 com o longa Blade Runner 2049.

Deakins tem mais de 15 indicações ao longo de sua carreira.

E em Império da Luz, o britânico trabalhou com Mendes para criar a ambientação para o longa que se passa no começo dos anos 80 e acompanha a funcionária de um cinema de uma cidadezinha inglesa chamada Hilary (Olivia Colman) que precisa lidar com seus problemas e de Stephen (Micheal Ward) um novo funcionário que também enfrenta problemas diferentes. Assim, os dois compartilham uma conexão e uma relação extremamente única.

Em bate-papo com o site, Deakins comenta sobre seu trabalho no filme, retornar a trabalhar com Mendes e outras curiosidades de Império de Luz.

Michael Ward e Olivia Colman em cena de Império da Luz.
Foto: Courtesy of Searchlight Pictures. © 2022 20th Century Studios All Rights Reserved.

SOBRE OS SETS E AS LOCALIZAÇÕES

O longa foi gravado em uma cidade chamada Margate, no norte de Kent. “Eu cresci na costa do sudoeste da Inglaterra e esse filme trouxe muitas memórias.” afirma.

E diferente de 1917, usar a cidade de Margate permitiu para Deakins e Mendes trabalharem de uma nova forma.

“A abordagem para esse filme foi muito mais tradicional. Nós passamos alguns dias falando apenas sobre o roteiro, o que eu adoro fazer, e depois, gradualmente depois começamos a formular o tipo de mundo que nós gostaríamos de ter, e começamos a prospectar lugares e obviamente uma das decisões mais cruciais era escolher o cinema, então nós vasculhamos Brighton, lugares em Eastbourne e olhamos para os cinemas de lá.”

Ele completa também sobre quando finalmente eles encontraram e escolheram o local.

“Então quando nós encontramos o Dreamland em Margate, ele tinha um estilo bem diferente do tipo de cinema que Sam tinha em mente mas de alguma forma pareceu se encaixar. E pareceu uma oportunidade muito boa, por que não só era um cinema real, mas tinha esse salão na parte de dentro, que não tinha muito haver com o que Sam tinha pensando, mas de sua forma realmente funcionava para ajudar o roteiro a contar essa história.”

“Então todos esses elementos se juntaram e nós tivemos muita sorte por que algumas portas depois tinha um terreno vazio e nós pudemos construir o interior do lobby. “ completa.

[Gravar] em Margate trouxe um senso de realidade para esse filme” finaliza ele.

Michael Ward e Olivia Colman em cena de Império da Luz.
Foto: Courtesy of Searchlight Pictures. © 2022 20th Century Studios All Rights Reserved.

SOBRE AS GRAVAÇÕES

E com a decisão de gravar em locação e não em um estúdio, deu a possibilidade do time de produção aproveitar não só os espaços, e a cidade escolhida, mas também outros truques para deixar o longa soar o mais natural possível.

O profissional comenta: “Nós estávamos cercados pela Rua principal e por outros prédios, mas por conta do nosso orçamento, e da praticidade de tentar gravar tudo com luz natural, nós fazíamos de tudo para aproveitar para iluminar o lugar e esperávamos certos momentos do dia para fazer as cenas. Nós gravávamos de acordo com a luz. Tem uma cena, mais para o final do filme que temos tão pouco sol no prédio. É só uma cena com o espaço vazio, então a gente esperava um pouco, ia gravar outra coisa, e depois ia lá e filmava.”

Ele conclui: “Este é um quebra-cabeça de como você trabalha com a luz do dia, realmente a luz natural.”

E a forma como o filme foi gravado foi totalmente importante por conta dessa decisão do cenário e das locações. Deakins comenta: “A grande vantagem foi para Sam ter a habilidade de gravar de forma continua, e mais do que qualquer coisa, em vez de termos que construir um set nos estúdios em Pinewood ou Shepard. “

O profissional comenta: “Nós teríamos que gravar todos os blocos naqueles sets durante a produção. E depois mudar. Então, nós gravamos cenas que Hilary chegava nas primeiras semanas das gravações e depois outras cenas algumas semana depois, e todas elas eram no mesmo lugar sabe? Isso foi uma grande vantagem.”

SOBRE TRABALHAR COM MENDES NOVAMENTE

Depois de levar o Oscar por 1917, Deakins estava muito interessado em trabalhar com Mendes novamente. “Eu estava interessado pois depois de 1917, ele [Mendes] vivia por falar de um outro projeto específico que parecia ser muito desafiador e que será muito interessante, mas ele só estava por mexer no roteiro na época.”

“Ele me mandou o roteiro (…) e era uma coisa muito mais pessoal para ele que ele estava escrevendo, sabe durante a pandemia de Covid e realmente me chamou atenção, afinal, Sam é um criador de filmes. Ele não é um homem que está interessado em se repetir. E todo filme que nós fizemos juntos foi uma experiência completamente diferente do filme anterior e isso é parte da alegria. Eu acho que trabalhar juntos tem que ter novos desafios. Temos que ter novas estradas para percorrer.” afirma ele.

Império da Luz está disponível no Star+.

Deixe uma resposta