Análises Destaques Games 

Overland | Primeiras impressões

Overland é um jogo de sobrevivência, rogue-like e estratégia por turnos produzido pela desenvolvedora americana Finji. A empresa é responsável por jogos como Night in the Woods (2017) e Canabalt (2009), que já garantem pontos para a desenvolvedora e me fizeram criar certa expectativa quanto ao novo título produzido por eles.

Jogaço! Recomendo!

Jabá de Night in The Woods feito, voltemos a Overland.

Em Overland você assume o papel de um sobrevivente do que parece ser uma invasão alienígena a Terra e possivelmente esteja vivenciando o fim da sociedade como conhecemos. Seu objetivo principal é partir da costa leste dos Estados Unidos, cruzar todo o país e chegar a ensolarada Califórnia, ou ao que restou dela, pelo menos. A razão para você seguir para o Oeste não é muito clara e confesso que de início, não faz muito sentido, visto que quanto mais você se aventura país adentro, mais as coisas pioram. Parece até trama de filme de terror ou suspense onde em vez do protagonista fazer algo sensato, o mesmo faz o oposto e vai em direção a sua morte. Talvez eu esteja racionalizando demais e os desenvolvedores tenham seguido o mote: “O importante não é o destino, mas sim a jornada!“.

Do seu protagonista, assim como companheiros e encontros, tudo no jogo é gerado de forma aleatória. Por esse motivo, cada nova jornada ou encontro, é único. Isto permite que o game possa ser jogado inúmeras vezes, já que cada viagem será singular.

Wally e Ibuki foram os primeiros a morrer enquanto eu aprendia a jogar.

Logo de início você já percebe o quanto o jogo é desafiante e também frustrante (se é no bom ou mal sentido cabe a você decidir), pois em alguns momentos você terá que tomar decisões desagradáveis, contar apenas com a sua sorte ou aceitar a sua morte eminente.

Chega a ser impressionante como cada galão de gasolina encontrado, kit médico ou a alegria de se deparar com uma região sem muitos insetos alienígenas já é uma pequena vitória.

Quanto aos personagens, todos são apresentados com uma pequena biografia com informações aleatórias, divertidas e curiosas. Estes personagens e possíveis companheiros de jornada vão possuir características ou habilidades únicas que podem ajudar ou atrapalhar na hora do aperto. E sim, tem cachorros. E sim, você pode fazer carinho neles.

Com um carro adquirido, seu objetivo é sobreviver e se manter na estrada. Portanto cuide do seu veículo, busque suprimentos e galões de gasolina, mas só pare quando realmente for necessário, afinal, cada parada pode ser a sua última. E se você der sorte e a região estiver “tranquila”, vasculhe todos os carros e lixeiras. Buscar um veículo que comporte mais pessoas também é uma boa ideia, já que toda ajuda é mais que bem vinda na hora do combate ou quando chegamos aos temidos bloqueios. E recomendo que você não se apegue a ninguém, pois em Overland os inimigos literalmente brotam do chão e vai ter momentos que você não vai conseguir salvar todo mundo.

O lugar mais propício para tudo dar errado é em um bloqueio.

E quanto a itens e acompanhantes, aviso que Overland também tem um pouco de multi gerenciamento, e por esse motivo alguns itens e companheiros de estrada tem mais prioridade que outros. Parece frieza, mas infelizmente sua vida depende de escolhas difíceis, lide com isso.

Outra coisa que dificulta bastante a nossa vida é perceber que seus personagens não conseguem carregar muitas coisas e mesmo com uma mochila, seu inventário meio que continua a desejar. Até os veículos como a Van, não permitem que você guarde muitas coisas no porta-malas ou bagageiro, portanto já fica o aviso para os acumuladores: tratem de se conter.

Houve situações em que eu me via torcendo para que a próxima parada não tivesse muitos alienígenas ou até mesmo pedras ou outros tipos de bloqueio que precisem ser tirados do caminho, já que qualquer barulho pode e vai atrair as criaturas que atacam até mesmo o seu carro.

A alegria de encontrar poucos aliens. Pena que a alegria durou pouco.

Em alguns momentos, mesmo com o seu veículo quase sem gasolina, a melhor coisa é optar por passar reto e evitar um confronto. Ser covarde em Overland não é algo ruim, ao meu ver é um sinal de inteligência. Só arrisque entrar em um combate quando você realmente não tiver como escapar. Afinal, tudo pode mudar de uma hora para outra, já que qualquer barulho gerado por você, seus colegas ou inimigos pode ser fatal.

A Finji parece ter se aproveitado de certas restrições para fazer com que o jogo renda e obviamente estas limitações fazem com que cada movimento ou decisão pese muito. A verdade é que não existe um único momento em que me senti seguro ou com a situação sob controle, quando em um ambientes de risco. Chegando ao ponto que você nem se importa mais com a razão de tudo estar como está ou do porque você está indo em direção a Califórnia. Você se simpatiza e se envolve com seus personagens, que mesmo que apresentados de forma simples, conseguem gerar empatia, e quanto mais longe você vai com eles, mais difícil fica quando um deles morre ou é deixado para trás. Você quer fazer o máximo, quer manter todos vivos, mas chegar o mais longe o possível é o que importa aqui.

“Mas eu só matei porque ele estava próximo! Não achei que ele ia dar cria!”

E fique atento aos mapas que podem estar à venda nos acampamentos de troca. Estes podem revelar um pouco mais da história e novos locais no jogo.

Quanto aos aspectos técnicos, de modo geral eu realmente gostei do visual minimalista e da ambientação que ajuda a você entrar no clima do game. A interface é simples e funcional e cumpre o seu papel e talvez duas coisas que tenham me incomodado foi o fato da música ser meio repetitiva e a falta de profundidade nos diálogos e mais conteúdo quanto a história. Mas tanto a música como a falta de profundidade não chegam a ser problemas, só penso que seria legal os diálogos durante as paradas terem um pouco mais de conexão e não serem gerados de forma tão aleatória.

Como um todo, Overland é um ótimo jogo que atende as expectativas e cumpre o seu papel. E se você continuar morrendo e falhando miseravelmente, não se preocupe, o problema não é com você. Fica claro que o objetivo do jogo é dificultar o máximo a sua vida.

Overland tem legendas em português do Brasil e já está disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, PC (Steam / GOG / ITCH.IO) e iOS (iPhone/iPad).

Postagens relacionadas