O Diário de Noel | Crítica: Perdas e buscas da vida em tempos de Natal

0
1395
o diário de noel
Crédito: KC Bailey / Netflix

A Netflix liberou em seu catálogo o longa O Diário de Noel (The Noel Diary), baseado na obra de Richard Paul Evans, e entregou uma comédia romântica cheia de nuances, buscas e entregas de seus personagens, que tem em Justin Hatley e Barrett Doss o coração de tudo.

Filmes de Natal não tem muita inovação, esta comédia romântica também não, mas a entrega do roteiro de David Golden e Charles Shyer, que também assina a direção, é muito bem focada e cheia de amor. A trama é simples e fala sobre perdas, lembranças e sentimentos bem intensos, como se sentir rejeitado por aqueles que deveriam lhe amar, seus pais.

O Diário de Noel navega muito nos sentimentos de Jake (Hartley), que perdeu o irmão Beji muito cedo e após isso viu a mãe virar acumuladora e o pai abandoná-los. Sua vida foi se refugiar em livros e daí começou a escrever romances que viraram sucesso mundial. Sua vida é na base de fofocas, pois querem ele casado, então ele mora em sua mansão com Ava, sua cadela.

A virada vem com a morte de sua mãe, e foi bem cômico e constrangedor o rapaz que executa o testamento pedir um autógrafo a ele no meio das lembranças de sua antiga casa. A partir dessa mudança sua vida volta a ser lembrada nesse passado, com Ellie (Bonnie Bedella) tentando fazê-lo se reconectar com seu pai.

o diário de noel
Crédito: KC Bailey / Netflix

Mas é Rachel (Doss) quem surge para movimentar sua vida e fazer várias conexões, como ela ser filha de Noel, e a correria para encontrar sua mãe biológica, o faz entender mais as cosias.

O Diário de Noel pega muito nessa questão de se sentir abandonado, de tentar entender o motivo de sua mãe não a querer, e ao mesmo tempo ir aprendendo que ela a amava, mas não tinha como cuidar de uma criança. E esse sentimento é repartido por Jake, que acredita que o pai não o quis mais, e tudo vai sendo solucionado, enquanto os dois vão se apaixonando.

A conexão e a química entre Hartley e Doss é muito boa, torcemos pelo casal, e ajuda a construção das personagens, que é bem aprofundada.

O Diário de Noel tem uma fotografia bem fria, muita neve, mas nos momentos certos traz o calor para a cena de seus personagens. A trilha que poderia ser um pouco mais trabalhada, ainda amis com tantas citações a grandes cantoras, como Nina Simone, Aretha Franklin e tantas outras.

Vale muito uma noite com vinho, e a pessoal certa do lado, para ver o leve e delicioso O Diário de Noel.

O Diário de Natal já está disponível na Netflix.

Try Apple TV

Deixe uma resposta