Críticas Filmes 

Greyhound: Na Mira do Inimigo | Crítica

Tom Hanks está de volta e interpreta novamente algum tipo de Capitão em que precisa enfrentar desafios pessoais e profissionais em meio ao caos de sua profissão. Já tivemos o ator como o piloto Chesley ‘Sully’ Sullenberger em Sully: O Herói do Rio Hudson lá em 2016 e também como o capitão Phillips em Capitão Phillips (2013). E aqui, no seu novo filme, Hanks interpreta o Capitão Krause no drama de guerra Greyhound: Na Mira do Inimigo (2020).

Tom Hanks in Greyhound (2020)
Greyhound: Na mira do inimigo | Crítica
Foto: AppleTv+

O longa é uma produção da Stage 6 e da Sony Pictures e tinha um lançamento programado nos cinemas, até que chegou a pandemia do coronavírus e atrapalhou os planos de tudo mundo e causou profundas mudanças na nossa sociedade. E a venda do longa para Apple, que chegou agora em julho, parece servir melhor com a proposta que a plataforma da gigante de tecnologia quer ser: o lar de grandes nomes de Hollywood no streaming. Com Greyhound: Na Mira do Inimigo, fica claro, cada vez mais, a intenção da AppleTV+ de ser a HBO dos streamings, com poucas produções ao longo de cada mês, mas com grandes nomes envolvidos em quase todas elas.

E Hanks, além de atuar e protagonizar o longa, também é responsável pelo roteiro que foi adaptado do livro The Good Shepherd do autor C.S. Forester. E por mais que Greyhound: Na Mira do Inimigo se perca e muito com uma grande quantidade de questões técnicas, e jargões militares da marinha, Hanks, como ator, é o principal responsável pela humanização do filme com seu personagem, um Capitão que assume sua primeira frota e precisa liderar um comboio americano contra submarinos nazistas no começo da Segunda Guerra Mundial.

Greyhound: Na Mira do Inimigo faz aqui um típico filme de guerra, a trama é intensa e as complicações e dilemas enfrentados pelos personagens são as mesmas já vistas em diversos outros projetos. O personagem de Hanks se mostra um oficial que por mais inexperiente em ação tem uma grande bagagem teórica e um tino apurado para seus instintos e consegue se livrar de muitas coisas. E ao longo do filme vemos o personagem lidar com todas as dificuldades da guerra e claro em garantir que ele e seus soldados saiam com vida da armadilha que as tropas alemãs criam ao longo da trama. 

E abençoado seja as poucas 1h30 que o filme tem, claro, tirando o protagonista vemos pouco desenvolvimento dos outros personagens, e assim como o Capitão faz, pouco reconhecemos seus nomes ao longo do filme. Tirando o relacionamento do Capitão com o garçom à bordo Clevaland (Rob Morgan) não temos quase nenhum desenvolvimento de personagens, não sabemos nada mais do que seus cargos dentro da hierarquia da marinha americana da época.

Greyhound: Na mira do inimigo | Crítica
Foto: AppleTv+

E o filme se aproveita disso para contar sua história de uma forma bastante rápida e alucinante. Na espera da chegada de apoio aéreo, a tripulação à bordo do Greyhound tem que fazer de tudo para se manterem vivos. O mais interessante é a forma que o diretor Aaron Schneider consegue capturar a apreensão e o sentimento de terror estampados na cara dos membros do navio e do seu Capitão que sabem que a cada momento que o radar apita pode ser a hora que um submarino inimigo possa surgir para atacar o grande navio americano. 

A ameaça do inimigo invisível que vem pelas gélidas águas do oceano Atlântico e cria um sentimento de tensão latente e palpável que a tripulação consegue disfarçar por conta do treinamento militar. Greyhound: Na mira do inimigo entrega um filme extremamente técnico, mas as emoções e as atuações de carinhas nem um pouco conhecidas do grande público, conseguem dar um tom para o filme que nos faz querer saber o que irá acontecer.

Com fortes e pesados efeitos especiais, Greyhound: Na Mira do Inimigo usa lugares pequenos e fechados para criar um sentimento de aflição e angústia sobre como aquelas figuras conseguiram passar todas aquelas horas em alerta e usam todos os seus conhecimentos técnicos para se safarem das armadilhas e da pressão psicológica que o chamado Lobo Cinzento Nazista impõe na ondas de rádio.

No final, Greyhound: Na Mira do Inimigo entrega um filme extremamente patriota e que mostra a figura de mais um herói americano pelas mãos de um de seus atores mais conhecidos e queridos. Com um valor de produção bastante alto, o filme se torna mais um destaque na programação da AppleTv+ que começa a engatinhar na formação de um catálogo mais robusto. 

Avaliação: 3 de 5.

Greyhound: Na Mira do Inimigo está disponível na Apple TV+.

Postagens relacionadas