Destaques Reviews Séries & TV 

Foundation | Primeiras Impressões: Uma aventura de ficção-científica grandiosa e que promete diversas reviravoltas.

“Nossa civilização vai sair das cinzas e as futuras gerações terão alguma coisa para se reconstruírem, uma fundação… eles não vão precisar reinventar a roda, o conhecimento já existirá… mas não é só o conhecimento que vamos salvar, e sim a história da Humanidade. Nossa História.” É com essas palavras que o personagem do ator Jared Harris, o Dr. Hari Seldon, defende sua ideia para os conselheiros do Império no meio de um julgamento logo no primeiro episódio de Foundation (Fundação), a nova série da Apple TV+.

E é nesse momento que vemos que plataforma da gigante de tecnologia não está para brincadeiras quando faz de Foundation um de seus carros chefes para esse final de ano, e talvez, entregue uma de suas produções mais ambiciosas até o momento. No seu lançamento, a Apple testou as águas do streaming com The Morning Show que trouxe um elenco talentoso e de nomes conhecidos para liderar a empreitada na guerra dos streamings. Mas é aqui, em 2021, e com Foundation que a AppleTV+ planeja estabelecer e criar uma fundação para o seu futuro na Era do Streaming.

Com a série, o plano é atrair o público nerd, fã de sci-fi com uma série que tem jeito e cara de produções épicas como Game Of Thrones, Star Trek e Battlestar Galactica. É como o showrunner David S. Goyer diz, Foundation foi a base para diversas produções como Star Wars e Duna, e é aqui com essa série que a Apple quer se firmar como a nova casa para esse público. E Foundation faz em seus primeiros episódios uma grandiosa aposta da AppleTV+ e promete ser uma das maiores produções em termos de escopo, efeitos visuais, e de história a ser contada.

Foto: Courtesy of Apple

A adaptação dos livros de Isaac Asimov é uma história que é contada ao longo de 1000 anos e mostra como um homem, um matemático, previu que a humanidade iria cair e um período das trevas chegaria. O seriado da AppleTV+ se passa num futuro onde o universo é governado por um trio de Imperadores, todos clones do primeiro deles, e que querem defender com unhas e dentes o status dominante que eles mantêm com os outros planetas da galáxia. O que impede eles? A disseminação das ideias do Dr. Hari Seldon e sua fórmula complexa que somente ele parece saber ler. Assim, temos a entrada da jovem Gaal Dornick (Lou Llobell), como uma poderosa variável nessa equação de politicagem que o seriado se apresenta. Gaal é uma jovem que vem de um planeta distante que também consegue ler um pouco os valores e que o cubo com a fórmula diz.

E Foundation, pelo menos no seu primeiro episódio, parece que vai entregar para o espectador um grande jogo de xadrez galático, um dos personagens até diz isso, afinal, quem garante que o Dr. Seldon diz a verdade e que seus cálculos matemáticos estão certos? E também quem disse que ele também não está errado? 

Os Imperadores clones Brother Day (Lee Pace, ótimo), Brother Dusk (Terrence Mann) e Brother Dawn (Cooper Carter) vivem isolados do que acontece na galáxia em seus cômodos no palácio na capital, mas a população não está feliz de modo geral. E a busca por manter o poder deverá causar uma verdadeira batalha entre esses clones e os outros planetas.

O mais interessante que fica nessas duas horas iniciais de Foundation é que a série se passa em diferentes linhas do tempo.

Sabemos por cima para onde a trama da série vai e temos lá no futuro uma misteriosa personagem (Leah Harvey), mas para descobrir mais sobre ela, precisamos voltar um pouco no tempo e descobrir a história desde do ponto em que Dr. Hari e a jovem Gaal se encontram para debaterem sobre a fórmula e um novo mundo se apresenta para a garota. Os efeitos visuais para isso são de impressionar, desde da criação do mundo que a nossa protagonista vem, passando pela chegada dela na capital, com o grande elevador que conecta o espaço com a superfície, e até mesmo o restante dessas guerras na galáxia que prometem acontecer se a fórmula do dr. Sheldon se concretizar. E tirando os efeitos visuais de cair o queixo, e dos figurinos completamente saídos de um grande filme de ficção científica, Foundation entrega um dos grandes alicerces que fazem essas grandes produções derem certo: Boas atuações.

Foto: Courtesy of Apple

Desde Harris que está fenomenal no papel, passando por Pace que realmente está muito bem e realmente ameaçador, pela atriz Laura Birn como a governanta/babá dos imperadores Demerzel, até pela novata Lou Llobell, todos entregam boas atuações no meio do caos que a situação se apresenta no início. O mesmo vale para o ator Alfred Enoch, figurinha carimbada do público por seu papel em How To Get Away With Murder, com um personagem que promete movimentar a trama, e garante surpresas nessas primeiras horas que são bastante bem-vindas.

Eu particularmente não li as obras nas quais os livros foram baseadas, mas pelo que eu vi até agora dos outros episódios (não posso falar nada!) Foundation parece que será uma série que ninguém está a salvo e durante suas próximas horas deve acontecer muitas coisas e situações que devem movimentar a trama e o destino dos personagens. Por enquanto, tudo que já vi foi muito bem apresentado de uma forma que instiga o espectador a querer saber mais sobre tudo e sobre esse novo mundo que nos é oferecido nesse começo.

Foundation chega com 2 episódios iniciais em 24 de setembro e com episódios semanais todas às sextas-feiras.