Destaques Entrevistas Filmes 

Batemos um papo com Alex Wolff, um dos protagonistas de Tempo do diretor M. Night Shyamalan

Tempo é o novo e misterioso filme do diretor M. Night Shyamalan que chega aos cinemas nacionais nesta semana. Estrelado por um elenco internacional de nomes conhecidos em Hollywood, o filme acompanha uma família que parte para uma viagem de férias tropical que descobre que a praia isolada onde eles estão relaxando por algumas horas de alguma forma os fazem envelhecer rapidamente… e reduz suas vidas inteiras em um único dia.

Um dos membros dessa família é o jovem Trent, que é interpretado em diferentes idades pelos atores Nolan River e Alex Wolff (Hereditário).

O Arroba Nerd foi convidado para participar de um evento virtual com Wolff que contou um pouco sobre como foi para ele desenvolver esse personagem e algumas curiosidades das gravações, como o fato dele ter sido atacado por uma água-viva no meio delas.

Sem spoilers do filme.

Foto: Universal Pictures

DINÂMICA FAMILIAR

Perguntado sobre como foi trabalhar com os colegas Gael García Bernal que interpreta Guy, o pai de seu personagem, Vicky Krieps, a mãe Prisca, e Thomasin McKenzie, a irmã Maddox, o ator comentou um pouco sobre como o processo de construção dessa dinâmica familiar, afinal, ao longo do filme vemos que os personagens mirins se tornam versões adolescentes onde ele e McKenzie surgem em tela. 

O ator diz: “Nós devemos tudo ao M. Night Shyamalan que nos forçou a estarmos todos juntos em uma ilha pequena na República Dominicana e nós ficamos o tempo todo juntos e parecia que nós éramos uma família mesmo. E eles são três dos melhores atores que temos hoje em dia e senti [uma conexão] quase imediatamente com eles. Já sinto que Thomasin é como uma irmã para mim, Vicky parecia uma mãe, mesmo ela não tendo a idade de ser alguém que poderia ser minha mãe, mas ela tinha um senso material em relação a mim, e Gael a mesma coisa. Então ajudou muito a gente estar junto naquela praia. Fazia muito calor, então íamos nadar juntos e eu me senti com muita sorte [em estar com todos eles].”

E Wolff estava muito empolgado para trabalhar com Shyamalan. “Para mim, até um determinado momento, não importava o que seria o roteiro… Night é um dos meus grandes heróis”, diz ele. “Lendo o roteiro, aconteceu que eu estava soluçando,  gritando e rindo alto.” 

E ler o roteiro foi uma experiência “muito engraçada“, afirma o ator. “Eu tinha um período de tempo muito limitado, algo em torno de duas horas e 30 minutos para ler todo o roteiro e eu lia como se tivesse um filme que desenvolvesse muito rápido na minha frente.” diz ele.

“Fazia tempo que eu não lia um roteiro que eu tivesse reações em voz alta assim pois [a história] era tão intensa e chocante e também tão emocional que no final eu tive uma reação tão alta. Eu ainda não vi o filme, mas eu posso imaginar como seria estar sentado em uma sala de cinema com as pessoas reagindo a cada coisa que acontece pois é tudo muito intenso.” afirma Wolff.

PREPARAÇÃO

Durante sua preparação para o personagem, o ator procurou obras que falassem de psicologia infantil como o livro do psicanalista Bruno Bettelheim chamado The Uses of Enchantment: The Meaning and Importance of Fairy Tales. Ele diz: “Essa pesquisa foi realmente ótima. Mas o que eu achei mais útil foi quando me conectei comigo mesmo quando criança e estava completamente inconsciente e completamente aberto. Foi quando me senti mais conectado a Trent. ”

Ele completa: “Foi o filme que eu mais pesquisei e me preparei para um filme. As pessoas falam que eu tenho o espírito de um jovem garoto. Eu fiz um grande trabalho de preparação comigo mesmo, eu vi um monte de vídeos meus quando criança. A maior conclusão que eu cheguei foi que eu não mudei muito de lá para cá.

VISÃO SOBRE O FILME

Assim como o diretor comentou em seu bate-papo (leia mais aqui), Wolff não acredita que Tempo seja um filme de terror. “Eu não vejo esse filme como um filme de terror, e eu certamente já fiz parte de filmes assim, (….) mas eu acredito que ele seja mais parecido com Psicose (1960) ou Três Mulheres (1977) (….) ou como dissemos é um filme blockbuster do Bergman. E as pessoas deveriam ir esperando alguma coisa assim. É o filme dele mais artístico.”

GRAVAÇÕES

Sobre trabalhar com Shyamalan, Wolff comenta: “É como se fosse teatro com Night. Você não pensa em números de takes durante as gravações, ou quanta vezes você vai fazer essa cena. Você só vai como se fosse uma máquina e você só vai indo…”

“Ele nunca fazia a gente gravar mais que 742 vezes. Eu diria que 742 era a média. Apenas brincando, eu não sei por que eu disse esse número, eu só pensei nele e achei que seria engraçado. O número que surgiu na minha mente.” brinca ele.

O ator completa: “Ele não é nada excessivo, como Kubrick, ele é bem preciso quando ele consegue aquilo que quer e sabe quando parar. Eu não lembro de uma cena individual que precisou de muitas tomadas e eu acho que ele é muito bom em conservar a energia dos atores. Mas tem uma cena que quando você ver no filme vai pensar: “Uau, isso deve ter demorado muito” e a gente ensaiou muito para ela. Eu até passei mal durante uma parte, por causa do calor, eu cai e depois voltei aos meus sentidos… e eu acho que ele usou isso no filme. O que é muito engraçado de certa forma.”

Ainda sobre as gravações e como foi trabalhar em uma locação na praia, o ator conta de forma super bem humorada como foi trabalhar nesse tipo de set de filmagem. Ele diz: “Muitas pessoas esperam que eu fale “Ah não, durante as gravações sempre paramos para bater nosso texto…” mas não! toda vez que tínhamos uma pausa corríamos para o mar. E toda vez que eu ia nadar sem a permissão da equipe de produção eu era atacado por uma água-viva. Toda vez. Eu ia nadar e voltava segurando minha barriga e eles: O que houve? lá estava eu segurando a maior água-viva com o corpo todo vermelho.” diz ele que arranca risos dos jornalistas presentes.

Tempo chega em 29 de julho nos cinemas nacionais.