Por que Você Não Chora?Filmes Notícias 

Bárbara Paz estrela drama sobre depressão e suicídio, Por Que Você Não Chora?

Chegando em um momento especificamente propício, a cineasta brasiliense Cibele Amaral vem com o poderoso drama Por que Você Não Chora?, seleção oficial do 48° Festival de Gramado e que faz um relato cru, honesto e confrontador a respeito das mazelas que norteiam a depressão, o suicídio e as demais questões ligadas à saúde mental. Desmitificando a delicada temática, a diretora traz um olhar absolutamente feminino em sua narrativa, criando um contraste realista entre Jéssica (Carolina Monte Rosa) e Bárbara (Bárbara Paz), duas mulheres que enxergam a vida por óticas bem diferentes e que tentam lidar com suas dores, traumas e perdas à sua tortuosa maneira. 

48º Festival de Cinema de Gramado será todo no Canal Brasil

De acordo com Cibele Amaral, “a ideia do filme surgiu durante o meu estágio como psicóloga no Instituto de Saúde Mental de Brasília. Percebi que a grande demanda é de mulheres e que a maioria delas apresentava ideação suicida. E este é um longa que aborda e debate questões que se apresentam pelo menos uma vez na vida de cada mulher, como a maternidade, a busca por autoconhecimento, a dúvida e a necessidade de encontrar a nossa força interior para sobreviver em um mundo que nem sempre nos enxerga“. 

Na trama, ao receber a missão de acompanhar e orientar a Bárbara – uma mulher diagnosticada com Transtorno de Personalidade Borderline, a estudante de Psicologia Jéssica gradativamente vai descobrir que os extremos de sua “paciente” revelam de fato um obscuro e sombrio lado de sua própria alma – que sempre calada, aprendeu a ignorar os seus sofrimentos mais íntimos. Para a atriz Carolina Monte Rosa, dar vida à essa complexa personagem exigiu de si um outro nível de auto descoberta.

Na verdade meu trabalho não foi interpretar a Jéssica, mas sim enfrentá-la, porque eu sabia que teria que ir a lugares muito escuros, assim como teria que viver essa emoção contida, que na verdade não promove uma experiência catártica. Este é um exercício de ter que engolir as próprias emoções e foi muito difícil ter que me calar emocionalmente dia após dia, durante todo o período de trabalho dentro do set“, compartilhou Monte Rosa. 

Já para Bárbara Paz, interpretar uma mulher com Borderline lhe exigiu um mergulho na compreensão desse transtorno. “Fui em busca de um estudo mais profundo sobre a Síndrome de Borderline, pois essas experiências geralmente resultam em ações impulsivas e relacionamentos instáveis. Nestes pacientes, intensos episódios de raiva, depressão e ansiedade podem durar horas ou até mesmo dias e eu quis entender melhor tudo isso“, revelou.

Buscando fugir de toda e qualquer romantização dos assuntos ligados à saúde mental, Por que Você Não Chora? vai na contramão de muitos projetos cinematográficos que abordam o mesmo tema. Para o produtor Patrick de Jongh, foi fundamental fazer do longa uma narrativa genuína e franca sobre o suicídio, a depressão e transtornos como o Borderline, a fim de que a audiência compreenda o verdadeiro peso que essas complexidades exercem na vida de tantas pessoas. 

É muito comum algumas produções tratarem o assunto do suicídio e da depressão de forma mais rasa, mas nosso filme faz justamente o contrário e mostra que o suicídio pode vir de onde menos se espera – justamente porque muitas vezes as pessoas não observam os sinais de um suicida. E nós buscamos construir esse longa com o apoio de instituições que tratam deste problema, a fim de trazer esse olhar mais maduro. Além do suicídio, nós contextualizamos uma série de outras questões correlacionadas, sem partir para qualquer tipo de glamourização“.

Elenco global

Por que Você Não Chora? ainda conta com um elenco formado por grandes atrizes da teledramaturgia e que também possuem longas trajetórias nas telonas. Cristiana Oliveira, Priscila Camargo, Maria Paula e Elisa Lucinda ajudam a dar corpo à trama, conferindo expertise técnica e uma percepção ainda mais madura para a produção.

Trazendo suas habilidades como psicanalista na vida real para dentro das telonas, Maria Paula emprestou o seu talento artístico e sua sabedoria como profissional da área de saúde mental e aqui refletiu sobre a importância do drama. “Esses ambientes internos são muito ricos e quando nós os abordamos através da arte, isso desperta muito a lucidez nas pessoas, bem como a atenção delas a esses temas. Todos precisam prestar mais atenção a esses assuntos e procurar ajuda quando for o caso, além de ajudar e criar redes de apoio em torno daqueles que sofrem com essas complexidades. Eu acho que isso é fundamental. Uma das vocações da arte é para isso: Trazer para a vida real essa força e esse poder que os personagens possuem“, ponderou.

Complementando seu raciocínio, Cristiana Oliveira e Elisa Lucinda pontuaram sobre a riqueza existente no roteiro. “Eu estudei bastante a doença, conversei muito com a Cibele e tentei incorporar aquela linguagem da forma mais natural para poder vivenciar a personagem Do Carmo, que é uma psicanalista. Até porque, aqui estamos lidando com um assunto que é verdadeiro e que é recorrente na vida de muita gente“, refletiu. 

Já a atriz Elisa Lucinda pontuou o crônico problema da saúde mental no nosso país, salientando a falta de medidas mais efetivas que promovam uma melhor qualidade de vida e tratamentos mais adequados aos pacientes, por meio da rede rede pública. “A questão da saúde mental no Brasil é muito delicada, pois nossas políticas públicas são muito equivocadas. Então o filme faz também uma denúncia nesse lugar, que é também o lugar de atuação da Cibele, que é uma psicóloga“, concluiu.

Por Que Você Não Chora? estará no Festival de Gramado.

Postagens relacionadas