Uma Dama de Óculos Escuros com Uma Arma no Carro | Crítica

Em histórias em que a trama depende principalmente de um personagem principal e que aparece em quase todas as cenas, a ideia da direção é procurar um ator ou atriz que consiga entregar um bom trabalho e claro segurar o filme sozinho. Em Uma Dama de Óculos Escuros com Uma Arma no Carro (La dame dans l’auto avec des lunettes et un fusil, 2015, França) além de um título chamativo temos também esse acerto da direção de Joann Sfar com a escalação de Freya Mavor para o papel principal. Somos atraídos como um imã para a beleza da atriz, com seus olhos grandes e chamativos no melhor estilo de Emma Stone, junto com o seu talento para ajudar a contar uma história empolgante e bastante peculiar. Assim o filme faz uma produção interessante, com cenas muito bem trabalhadas junto com uma trilha sonora bem bacana.

Na história somos apresentados a secretária Danny (Mavor) uma mulher espirituosa, talentosa e boa no que faz que trabalha numa agência de publicidade. Seu chefe, um dia pede que ela finalize um relatório importante e depois leve ele e esposa que por acaso também é sua amiga ao aeroporto. Ela começa a fantasiar como seria sua vida naquele mundo até que no caminho de retornar o carro para a casa do patrão ela decide dar uma volta com veiculo e parte para ver o mar.

Foto: Mares Filmes

A trama começa a ficar interessante quando ao percorrer a França com o carro roubado do chefe ela percebe que as pessoas parecem já terem visto e interagido com ela antes. Mas Danny jura que nunca esteve em tais lugares até que a situação se complica ainda mais quando ela descobre um corpo no porta-malas do carro de seu patrão.

O filme trabalha com cores vivas que se contrastam com o cabelo ruivo chamativo da atriz. A dualidade das ações da personagem deixam quem assiste curioso, afinal será que a personagem tem problemas mentais? Será que alguém está tramando contra ela? Ou pior será que ela numa virada novelesca teria uma irmã gêmea por ai? Como tantas pessoas dizem ter conhecido ela nos dias anteriores sendo que ela sequer se lembra.

Junto com algumas visões expressados em desejos da protagonista o filme consegue passar uma ambiguidade bem interessante sobre a personagem. Afinal ela quer ter a vida da amiga que é casada com o patrão? Ela só quer transar com ele? Ou ela deseja somente uma aventura?  A inclusão de um vigarista italiano na história aumenta ainda mais as suspeitas sobre o que deve estar acontecendo com ela. Altas hipóteses passam na cabeça de quem assiste a medida que a trama se desenvolve e vamos descobrindo mais e mais sobre os lugares que ela passa.

Assim, Uma Dama de Óculos Escuros com Uma Arma no Carro é um filme sobre detalhes. Desde de sua ambientação, as músicas e claro sobre a personagem principal. Com dúvidas e questões que são jogadas e depois só vão ser trabalhadas no seu final o longa é uma produção desafiadora e que te força e instiga a caminhar com ele até a descoberta do mistério da trama. Talvez para alguns a grande graça seja as perguntas e não as respostas.

Nota do Crítico:

Uma Dama de Óculos Escuros com Uma Arma no Carro estreia nacionalmente em 11 de maio.