The Good Fight | 3×01 – The One About the Recent Troubles

Carl Reddick!

O mais interessante deste retorno de temporada é que quase tudo é novo, The Good Fight reiniciou várias tramas, mas deixando o gostinho de alguns momentos para serem tratados mais adiante. Aqui foi momento de falar sobre o grande homem Carl Reddick, pai de Liz e grande nome para os direitos civis.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Todo o desenvolvimento e a forma como mostram Reddick como um grande homem vai sendo destruído durante o episódio, ao colocar Marisa e Jay para fazerem um vídeo para o site da firma e descobrirem que ele assediava mulheres, e Cinthia foi só a primeira.

Os contornos, a forma como é discutido os inúmeros pontos de vista, como eles tentam fazer a palavra da mulher ser invalidada, mas a série nunca deixa isso acontecer, reforçam que devem ouvi-la e seguir em frente. Ao conversar com Cinthia temos uma mulher que sofreu, e Wendy acaba também entrando no jogo. Ambas tem conversas fortes com Liz, já que é filha do assediador.

Então temos o contrato para eles nunca falarem do ocorrido (NDA, com direito a um curta animado) e receberem uma quantia. Liz fica arrasada com a história do pai e Adrian faz de tudo para consolá-la, e principalmente, mostrar que ele não sabia, a questão é que há mais por trás disso e acho que devem tocar no assunto mais adiante.

E eis que Maya também teve seus momentos e foram bons, já que ela começa a ter mais voz ativa e estar no comando da própria vida. E quem melhor do que Marisa para lhe dar um chacoalhão e fazê-la enxergar, mesmo que a luz atrapalhe por conta de um problema na córnea, que ela pode ser mais.

Lucca também teve seus destaque, mostrou sua relação com a sogra na criação do filho, e até um momento constrangedor para Julius, que ficou sem jeito ao vê-la tirando leite para o filho. Ela começa a ter outras responsabilidades, e Adrian, Julius e Diane a oferecem o departamento de Divórcios para ela gerir.

Diane leva muitos momentos nas costas, e isso por conta de Christine Baranski sempre arrasar em cena. Seu problema com Kurt, que aprecia ser de traição com mulheres, acaba se mostrando mais política, já que ele tem andado com Donald Trump Junior, e ainda se machuca em uma dessas saídas, já que ele é contratado para o controle e uso das armas em caçadas.

A parte política retornará com tudo nos próximos episódios, uma vez que Diane leva o caso de Tara para Naomi e devemos ter a notícia na televisão, já que pagaram para ela fazer um aborto. Quero ver mais do desenrolar de tudo isso.

The Good Fight retorna forte, independente, interessante e cheio de tramas que tem tudo para se desenvolver de forma intensa como a série sempre faz. Elenco continua afiadíssimo.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.