The Good Doctor | 2×01 – Hello

The Good Doctor retornou com um episódio sincero sobre estar perto das pessoas que você ama nos momentos mais difíceis delas. Gostei de Jared motivar Shaun, mas Glassman é quem precisa de um apoio. Para início de temporada até que foi um episódio satisfatório.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Todos os personagens tiveram que enfrentar seus dramas, como Jared tendo que se despedir do hospital para ir para Denver e enfrentando Andrew para seguir Shaun. Realçar a amizade dos dois foi bem bacana e necessário para ambos aprenderem. Sua despedida de Browne foi bem emocionante.

Browne e Morgan continuam sua briga por atenção, mas enquanto uma precisa aprender a ter garra e ser mais agressiva, a outra precisa aprender a trabalhar em equipe. Browne teve uma ideia no caso de Melendez e tentou repassar isso para a equipe, mas Morgan repassou para ela seu caso, então temos uma trabalhando em equipe e a outra se mostrando mais.

Melendez é quem não confiou muito na operação de Melanie, mas cedeu após Andrew manipulá-lo de alguma forma, já que este queria que a operação saísse no jornal. A ideia? Resolver o problema de coração da paciente colocando um segundo de porco em seu peito. Foi bem tenso, mas saiu tudo certo.

Agora, Glassman precisará de todo apoio possível. Dra. Blaize (Lisa Edelstein, House) irá fazer o tratamento dele, mas ela não acata bem os mandos do paciente/amigo, principalmente com ele a ofendendo por conta de seu pavor do que pode acontecer. Agora, sozinho ele não passará por isso, foi bem legal ver Shaun entendendo que precisa estar ali pelo amigo.

Agora, o retorno de Lea é que ainda não mostra muitas coisas. Quero ver o caminho que irão seguir.

The Good Doctor fez um retorno bem na média da série, e espero que ela saiba se aproveitar de seu elenco.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.