Sex Education | Crítica da 2ª Temporada

Depois de uma longa e espera, e bota longa nisso, finalmente temos a 2ª temporada de Sex Education, série estrelada por Asa Butterfield e Gillian Anderson que sem muita cerimônia se tornou um xodó para os assinantes da Netflix. O gostoso desse novo ano é que o foco continua sendo a crescente em cima do respeito e da amizade, além de falarem mais sobre a sexualidade em si, e suas descobertas.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A evolução de Otis é perceptível, mesmo que em dados momentos ele fique meio repetitivo em alguns temas, mas seu amadurecimento é notável. Vemos ele mais forte em sua amizade com Eric, mais contido com o retorno de Maeve em sua vida, só que é ao se aceitar, se masturbar mais, que ele demonstra que tem seus corpo a seu favor.

Netflix

Sua relação com Ola é deliciosa! A comunicação, a forma como a família interfere nas coisas, como a presença exagerada de Jacob em sua casa não só atrapalha ele como também deixa Jean completamente fora de si. Relações importantes em sua vida são mais expostas, como a de sua mãe, ou a dele com seu pai, Remi. Ola acaba ficando perdida e ela por si acaba evoluindo e se encontrando em um momento de descobertas sexuais.

Ola precisa de contato e Otis acaba deixando-a de lado em inúmeros momentos, o que a faz ficar cada vez mais próxima de Lily, tendo até mesmos as fantasias espaciais dela.

Netflix

Maeve aqui teve o retorno de sua mãe para lhe preocupar e a chegada de dois vizinhos que mudam sua dinâmica no acampamento. Fato é que ela sempre foi a mais madura da série por ter passado por muitos problemas. Quando ela decide dar uma chance a sua mãe, e a mesma lhe decepciona, ela não pensa duas vezes antes de agir e cortar o mal pela raiz.

É Maeve também quem dá total apoio a Aimee quando ela é assediada no ônibus. Estar presente e ser amiga a todo custo é importante, e mesmo a mais forte das pessoas precisa estar disposta a ceder e entender que precisa de ajuda. Aimee não querendo atrapalhar e se isolando por seus sentimentos foi bem intenso.

Netflix

Um ponto meio que me irritou foram as relações de Eric. A entrada de Rahim é importante para mostrar a Eric um relacionamento um pouco mais sadio, e desentender sobre algumas coisas é normal, mas é questão do casal fazer concessões, só que temos Adam voltando a sua vida e por mais que queiramos que ele se regenere, é muito triste ver Eric deixando algo para ajudar aquele que foi o maior de seus problemas durante anos.

Adam teve também um desenvolvimento bacana, ele passou a se entender um pouco melhor e a querer ser melhor ao próximo, mas para isso precisa ver que seu pai, Michael, também é de carne e erra, e que até ele e sua mãe tem problemas, o que causa o divórcio. Tirar o pai do pedestal e vê-lo mais humano é importante.

Netflix

Agora, eu adorei Jean em todos os seus momentos. Anderson é simplesmente maravilhosa em cena, sempre espirituosa e pronta para palpitar em algo, assim como ao seu lado Alistair Petrie faz uma contraparte forte dentro do colégio. Não gostei muito da cena Meninas Malvadas, mas gosto da rivalidade e da briga dos dos mais velhos.

Sex Education ainda termina com pontas em aberto, como gravidez e alguns destinos, e já ficamos ansiosos para que a Netflix retorne com mais episódios para essa delícia de dramédia que sempre nos surpreende.

Que venha uma 3ª temporada.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.