Raio Negro/Black Lightning | 1×04 – Black Jesus

Mais uma vez Raio Negro (Black Lightning) se mostra intenso e instigante sem precisar ser tão focado no lado super-herói do personagem, apenas trabalhando Jefferson e seu senso básico de justiça como pai, diretor e membro ativo da comunidade. Seu lado Raio Negro é importante para a crescente da população como um símbolo de justiça, mas acaba não sendo o ponto principal, o que torna a série ainda mais interessante.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A contrapartida de seu lado super-herói acaba recaindo em cima de Anissa e sua Tormenta, que aos poucos vai aprendendo sobre seus poderes e até os estragos que ele pode fazer. Adorei ela dando conta dos cobradores que partiram para cima de Grace para cobrar propina para manter seu bar aberto, e também como ela já chama atenção de Raio Negro e Gambi. Quero ver como eles a descobrirão.

Outra coisa que está de botar medo é a tranquilidade e serenidade de Lady Eve. A personagem cresce em suas cenas e colocá-la dando medo em Tobias Whale é incrível, pois a deixa ainda mais grandiosa. Quero entender o que ela fazia com o corpo, que ainda parecia vivo, e quem está por trás dela ainda, pois ela cita que estão ficando impacientes com Tobias, principalmente por ele ter mentido sobre ter matado Raio Negro.

Tobias então trabalha para fazer Khalil deixar claro que ele nunca mais andar é culpa de Raio Negro, e como presente paga todas as suas contas hospitalares, mas antes ele mata o homem que havia lhe garantido que Raio Negro estava morto. Tobias tem pressa em destruir seu inimigo, seja moralmente, seja fisicamente, pois sua gangue Os 100 está em perigo.

O encontro de Jefferson com Two-Bits, o leva a um carregamento da droga Luz Verde, que vicia rapidamente e torna o viciado extremamente violento ao consumi-la. A série tem trabalhado muito bem todas as frentes de sua comunidade, seja no desgaste da mesma, seja na esperança que os moradores de lá tem.

E além disso o drama familiar ainda tem um grande espaço, como a relação conflitante de Lynn e Jefferson, que mesmo se amando e sabendo a necessidade em termos do Raio Negro, acabam ficando separados. E tem ainda Jennifer, que começa a desafiá-los para ficar ao lado de Khalil, ou até mesmo o confronto de Anissa e Henderson, o policial amigo da família sobre a figura do herói e como a polícia parece de mãos atadas.

Não há como negar que Raio Negro (Black Lightning) segue instigante e muito mais forte que suas séries parentes no Arrowverse, e dá para repetir, essa dosagem que a série tem é necessária no outro universo, mas não tão forte como aqui. Raio Negro é intensa e bem real, um soco no estômago as vezes e pode realmente criar um Lightningverse* interessante, enquanto Supergirl segue mais light e The Flash volta um pouco mais cômica, e as 3 seguem melhores que Arrow, que parece perdida, sem direcionamento, enquanto DC Legends of Tomorrow parece uma festa de adolescentes sem os pais em casa.

*Lightningverse: os produtores começam a criar uma ideia de criar um universo para Raio Negro e outros heróis como ele, e chegam a planejar uma série do Super Choque neste contexto.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.