Paddington 2 | Crítica

As aventuras de Paddington por Londres nos leva literalmente para uma empolgante jornada como se estivéssemos dentro de um livro infantil, onde a cada passo temos uma surpresa e uma pista para ser decifrada. A missão do ursinho adorável atrás do presente para a tia ursa se transforma em uma caça ao tesouro pela cidade e conta com atuações simpáticas, ótimos efeitos visuais, uma trama ágil e claro tudo dentro uma história com o melhor humor britânico tem para oferecer, com piadas polidas e inteligentes.

Foto: Imagem Filmes

Paddington 2 se destaca por contar uma trama no melhor estilo de uma história para dormir e tem algumas partes bem lúdicas e auto-explicativas para crianças, mas mesmo assim não é um filme bobinho, ou só focado para os pequenos, e sim uma produção que acerta ao criar um mundo fantasioso para todos. Para as crianças que forem assistir, o filme trabalha de uma forma bastante interessante ao contar sua história e como todo bom livro infantil consegue passar algumas mensagens bacanas como por exemplo: trabalhar para conseguir as coisas, se você fizer alguma coisa errada vai ter que sofrer as consequências, ou que amizades são importantes. Para os mais velhos, temos uma dose de suspense e uma pitada de investigação.

Nessa segunda aventura, o ursinho continua a viver com a família Brown e agora está na busca de um presente para sua tia ursa, que irá completar 100 anos. Ao visitar um antiquário ele encontra um livro que tem ilustrações em formato de pop-up da cidade de Londres e que custa uma fortuna. Quando a obra é roubada, Paddington acaba levando a culpa e vai para prisão, assim cabe aos Brown investigar, descobrir o verdadeiro culpado e ajudar o amigo.

Com uma paleta de cores gigante e com sequências alegres e dançantes, Paddington 2 é uma alegria visual. Os efeitos visuais no urso são um detalhe à parte e toda a construção dos cenários desde a cidade até a prisão é super bem acertada. Os figurinos e toda as caracterizações são realmente bastante bacanas de se acompanhar e procurar pelos detalhes escondidos.

Foto: Imagem Filmes

Outro destaque fica para as atuações, principalmente do ótimo Hugh Grant como Felix Buchanan, um ator fracassado de teatro em que Grant consegue mostrar seu show de versatilidade e encarna um personagem no melhor estilo Conde Olaf, de Desventuras em Série. A fantástica Sally Hawkins nos encanta com a sua doçura como Mary, uma personagem perspicaz e bastante observadora.

A qualidade envolvida no filme é bastante impressionante até mesmo na dublagem brasileira, onde temos o ator Bruno Gagliasso como o urso, o cozinheiro Fogaça (do reality show MasterChef) como um chef de cozinha da prisão e o ator Márcio Garcia como o vilão, acaba por combinar com a trama.

Engraçado e adorável Paddington 2 é um filme para se ver com a família e aproveitar cada momento. Tem suspense, investigação e comédia e é uma das produções mais bonitas esteticamente lançadas até então num trabalho de fotografia e ambientação maravilhoso.

Nota do Crítico:

Paddington 2 chega aos cinemas em 01 de fevereiro.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales