Cartunista Mário César lança projeto Bendita Cura no Catarse

Bendita Cura retrata o que é ter a vida marcada pelo preconceito e os efeitos de terapias de reversão que tentam curar algo que simplesmente não é uma doença.

Desde 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) se posicionou contra a homossexualidade ser considerada uma doença e passou a tratá-la uma variação natural da sexualidade humana. A partir deste entendimento, uma resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) proibiu os profissionais de aplicarem terapias para tentar alterar orientação sexual no Brasil.

Mesmo assim, a chamada “cura gay” volta e meia vem à tona por conta da ganância dos que almejam lucrar com a ignorância e o preconceito sobre a questão. Grupos conservadores desejam submeter pessoas perfeitamente saudáveis a tratamentos abusivos e, não raro, os próprios homossexuais se subordinam a métodos que beiram a tortura para corresponder às expectativas dos outros.

Por conta do teor da história, a HQ está sendo disponibilizada para leitura on-line gratuita para que sua mensagem chegue ao maior número possível de pessoas. Quem quiser pode ler no link a seguir e, se gostar, ajude a transformar a edição impressa em realidade apoiando a campanha no Catarse: https://tapas.io/series/bendita-cura.

Para ajudar na publicação da história acesse: www.catarse.me/bendita_cura_1.

História

Desde pequeno, Acácio do Nascimento era um garoto diferente dos demais. Preferia brincar de boneca a jogar futebol, o bambolê lhe interessava mais que carrinhos e pistolas de cowboy. Assustados com a possibilidade de seu filho ser homossexual, Mara e Galdino submetem Acácio desde os cinco anos de idade a diversos tratamentos para ele se tornar um menino normal como os outros.

Neste primeiro volume, acompanhe a infância e a adolescência de Acácio, a dificuldade de seus pais em lidar com uma questão que desprezam sem ao menos conhecer direito, as provocações de outras crianças na escola, o despertar de sua sexualidade e as cobranças para se encaixar nos padrões ditados pela maioria.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Autor

Mário César é cartunista, autor e editor de histórias em quadrinhos, além de atuar como ilustrador e designer gráfico freelancer. Já foi duas vezes vencedor do Troféu HQ Mix, a principal premiação brasileira de quadrinhos, também foi indicado à premiação nas categorias Novo Talento – Roteirista e Novo Talento – Desenhista por sua série EntreQuadros. Já publicou charges políticas no UOL Notícias, Jornalistas & Cia e atualmente as publica no site Socialista Morena (www.socialistamorena.com.br).

Foi editor e colaborador da Front e co-editor e um dos desenhistas dos álbuns Pequenos Heróis (Devir e Marsupial) e Futuros Heróis (Nova Fronteira) de Estevão Ribeiro. Além disso é desenhista de Púrpura (SESI-SP Editora), com roteiro do jornalista Pedro Cirne, e de Não existem Super-heróis na vida real (Devir), em parceria com o escritor Nick Farewell. Ciranda da Solidão (Balão Editorial) foi seu primeiro quadrinho a abordar questões LGBTQ+s e foi viabilizado via campanha de financiamento coletivo no Catarse.

O Livro

Este primeiro volume de Bendita Cura terá as seguintes características:

  • 120 páginas coloridas;
  • miolo em papel offset 90g;
  • capa em papel supremo 250g;
  • formato 16×23 cm;
  • lombada quadrada e orelhas.

Além disso terá como brindes:

  • poster A4;
  • cartões postais;
  • íma de geladeira;
  • desenhos personalizados;
  • páginas originais do livro;
  • quadrinhos do meu catálogo
  • um jantar de lançamento do livro com comidinha caseira feita pelo autor.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.