Astronauta: Magnetar, Singularidade e Assimetria | Resenha

Dando continuidade aos reviews das graphics da Panini Comics para os personagens do Mauricio de Sousa Produções, vamos a parte de Ficção Científica do selo Graphic MSP com um antigo personagem do Mauricio: Astronauta. Criado em 1963, Mauricio sempre falou abertamente por sue gosto por ficção, principalmente Flash Gordon.

Para a Graphic MSP o convidado da vez foi Danilo Beyruth que começou o projeto lançado em 2012, mas pensado há um bom tempo, e hoje chega ao seu 3º volume, com Astronauta indo de Magnetar, Singularidade e Assimetria. Beyruth tem 3 Troféu HQ Mix em seu currículo (1 de Melhor Roteirista e 2 de Melhor Desenhista) e se inspirou em diversos filmes de ficção para Astronauta, entre eles Alien – O Oitavo Passageiro, 2001 – Uma Odisseia no Espaço, entre outros.

Já li as 3 edições e cada uma é mais interessante que a outra, com um aprofundamento incrível na personalidade segura e solitária do Astronauta e como cada missão muda fortemente sua vida.

Magnetar

AstronautaCom a missão de nos apresentar um Astronauta mais velho, consciente de sua missão e com uma carreira a seguir, Beyruth faz isso de uma forma tão magistral, que Magnetar em nenhum momento se torna enfadonha, muito pelo contrário, ficamos encantado pela missão dele e de como ele se conecta a sua nave, vinda de destroços de uma nave alienígena que foi encontrada.

A missão em Terra é instigante, os personagens apresentados são cativantes, mas é sua missão solitária que nos encana. Podendo cair na mesmice, ou até mesmo se tornar cansativa pela jornada solitária, Beyruth busca nos aprofundar mais nos desejos e anseios de Astronauta e isso nos faz ficar a cada instante mais ao seu lado.

Magnetar cumpre em cada uma de suas páginas a missão de adentrar em um novo velho conhecido mundo. O retorno do Astronauta é bem bacana.

Singularidade

AstronautaA partir do seu retorno temos um novo Astronauta. Um homem ainda mais fechado, mas consciente de sua missão e de como o universo é abundante e o anseio por conhecimento ainda maior. Em mais uma jornada, depois de receber informações sobre uma atividade estranha em um buraco negro longe da Terra, a maior questão é se ele será liberado para ir a tal ponto.

Como ficou muito tempo isolado com a nave e sua Máquina, Astronauta precisa passar por uma bateria de testes, só que somente ele pode pilotar a nave para investigar o buraco negro. Ali mais uma vez ele se vê em perigo e Beyruth dosa de forma fantástica a ação, suspense e o desenvolvimento de seus personagens.

Mais uma vez saímos extasiados com as aventuras de Astronauta e como um ponto de partida é importante para ele compreender a singularidade sua nave e da relação que ele possui com ela.

Assimetria

AstronautaPor fim chegamos a Assimetria, último volume de Astronauta lançado, e também o mais novo lançamento da Graphic MSP. Dessa vez há a mudança nas cores, uma vez que as mesmas acabam ficando nas mãos de Chris Peter. O desenrolar do roteiro de Beyruth até a ida para as luas de Saturno rola de forma linear e segue vários momentos de Sigularidade, mas as cores acabam sendo um show a parte.

Desenvolvendo agora a solidão de Astronauta, Beyruth mostra que possui total domínio sobre o personagem e a cada minuto somos apresentados a elementos de seu passado e nenhum deles nos soa forçado. A aparição de Ritinha, seu grande amor, reforça a solidão de suas escolhas e o ápice para mudanças no Astronauta acontece já na lua Titã.

Abusando de uma mitologia sensacional, Astronauta se encontra com uma entidade atemporal que acaba jogando-o em um vácuo espacial conectado a duas linhas de tempo de sua vida. Ali ele encontra uma nova nave e dentro dela ele mesmo bem mais velho, casado com Ritinha e ambos astronauta, com direito a uma filha.

As ações dele então começam a mudar, ser mais pensadas antes de suas ações e a se questionar sobre as atitudes tomadas. O final triste e inconsequente, mas com atitudes fofinhas para com o destino de sua filha da outra linha do tempo, acaba sendo o único pecado do roteiro.

Com o final proposto por Beyruth, fica óbvia a necessidade de uma continuação, e espero que a Panini Comics e o pessoal da Mauricio de Sousa Produções confirme a mesma.

Astronauta se mostra uma incrível jornada feita de forma sensata e com o roteiro muito bem conduzido por Beyruth.

FICHA TÉCNICA

Título: Astronauta: Magnetar
Autor: Danilo Beyruth
Editora: Panini Comics – Graphic MSP
Ano: 2012
Gênero: Aventura, Ficção Científica

Título: Astronauta: Singularidade
Autor: Danilo Beyruth
Editora: Panini Comics – Graphic MSP
Ano: 2014
Gênero: Aventura, Ficção Científica

Título: Astronauta: Assimetria
Autor: Danilo Beyruth
Editora: Panini Comics – Graphic MSP
Ano: 2016
Gênero: Aventura, Ficção Científica

Nota do Crítico: