A Million Little Things | 2×12 – Guilty

E finalmente A Million Little Things traz algumas respostas sobre Eric e não me emocionaram, pelo contrário, mas só em mostrar mais de Gary e o motivo dele ser tão neurótico com perdas e mudanças, deu um outro clima para a série. Mas o único fato incontestável, é a certeza de que Regina e Rome são os dois personagens sensacionais.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Delilah precisou ir a Nova Iorque resolver umas coisas e Rome decidiu ir também por conta de um problema com um antigo amigo de sala, mas tudo foi desculpa para arrastarem Gary, já que ele tinha que ir falar com sua mãe. Gary passou problemas e se isolou, e Eddie e os outros amigos foram tirá-lo dessa zona negativa e Maggie falou da mãe dele.

O encontro de Gary e Alice (Marcia Gay Harden) foi tranquilo, ela explicou seus motivos de abandoná-lo por ser muito nova e querer seguir carreira, ele tentou entender e até quis conversar mais com ela, só que mais uma vez ela escolhe a carreira a ele. Gary e ela iriam jantar, mas um compromisso apareceu e ela o deixou de lado, mesmo que ele a liberasse.

Isso foi importante para ele tirar de cima dele esse peso, pois pensava que tudo era culpa dele, mas passou a compreender que não é responsável pelas decisões dos outros. E é aí que entra sua ida até Maggie, a conversa sobre a descoberta dela e deixar que as coisas se acalmem para eles se resolverem.

Maggie ficou destruída ao saber que Eric mentiu para todos, que quem ganhou o coração de seu irmão foi sua noiva, mas ela morreu um tempo depois, o fazendo mentir para se sentir mais próximo delas, e consolá-las… Uma mentira bizarra atrás da outra, e Maggie ficou sozinha.

Regina contando a Shelly que será mãe adotiva e ela avó foi muito legal, mas trouxe traumas à tona… Shelly sentiu-se mal quando a filha falou que irá criar o bebe dentro de sua comunidade, e ela sentiu-se excluída. Os diálogos entre elas foram sensacionais, pois ela deixou claro que nunca viu a filha pela cor da pele, e acabou ouvindo que a filha sofreu não por ela, mas na escola e em toda a comunidade branca que viveu.

A forma como as duas se perdoam por pequenos problemas que foram carregando ao longo do tempo é muito legal, e assim vemos que é necessário diálogos para não ficarem essas cicatrizes.

Rome levou o drama de ver seu roteiro ser destruído por Todd, seu colega de faculdade, e vendê-lo para ter o ator Isaac Martin no papel principal, que também era uma ideia sua. Todd joga na cara do amigo que ele sempre foi o inventivo, mas nunca levou nada adiante e o roteiro realmente era bom, por isso ele voltou ao que era e tirou a ideia do drama da depressão, só que Rome arma para ele e mostra a Isaac a sua versão.

Gostei de ver Isaac querendo essa ideia mais original e indo atrás de Rome para tentarem resolver as coisas. Não sei como Todd irá lidar com tudo isso, pois ele deu, mas levou, umas punhaladas aí.

A Million Little Things sabe mexer com essas coisinhas e nos fazer emocionar com alguns personagens, só precisam saber quais tramas são melhores para serem trabalhadas, pois algumas estão se arrastando.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.