Críticas Destaques Filmes 

Os Irmãos Willoughby | Crítica

Deliciosamente açucarado!

Lançado pela Netflix a animação Os Irmãos Willoughby (The Willoughbys, 2020) é uma deliciosa aventura de 4 irmãos que só querem ser bem tratados e amados pelos pais, que por sua vez só se preocupam em amar entre si e não serem perturbados por coisas infantis.

Com altos e baixos, o longa dirigido por Kris Pearn, é pontualmente episódico, com seus momentos muito bem desenhado, indo do ponto A até o ponto B, depois do B ao C, apresentando seus personagens que contrapõe os problemas dos Willoughby nos momentos que convém.

Lógico que isso não atrapalha a aventura, ou melhor desventuras, desses irmãos, que logicamente nos remete a Desventuras em Série, também lançada pela Netflix. Só que aqui os vilões são os pais das crianças, que só buscam ter amor e comida.

Imagem: Netflix

Os Irmãos Willoughby são muito bem definidos por suas características, com Tim (Will Forte) o racional que sonha em honrar o nome da família, a doce Jane (Alessia Cara) que adora se aventurar nas questões cotidianas e ama cantar, enquanto os gêmeos Barnaby e Barnaby (Seán Cullen) são excêntricos e cheios de caraminholas, adoro a forma como os dois ficam trocando de roupas para confundir as pessoas.

O narrador, um gato (Ricky Gervais) que interfere em alguns momentos da trama, cria uma situação para colocar a bebê Ruth na vida deles, é o ponto de partida para brigarem com os pais, escaparem para o mundo “real”, encontrar um protetor e depois a amável babá Linda (Maya Rudolph) entrar em suas vidas por conta de um plano de férias.

Como eu disse no início, o desenrolar é bem episódico, com esses momentos acontecendo pontualmente, sendo a origem dos Willoughby, os conflitos, a chegada da bebê Ruth, a fuga para a fábrica de doces do Comandante Mellanof (Terry Crews), o plano de férias para matar os pais abusivos, a chegada da babá, a venda da casa e por aí vai…

Imagem: Netflix

O gostoso de Os Irmãos WIllhougby, baseada na obra de Lois Lowry, são as cores. A forma como a animação é fluída, com tons e formas que remetem um pouco os elementos de Tim Burton, mas exageradamente coloridos. Os cabelos de lã são muito bonitos de ver e até dá para sentir aqueles fiapos da lã soltos e ainda tem o contraste da pele que parecem massinha.

Por fim, Os Irmãos Willoughby acaba falando muito sobre família, principalmente que família é estar com quem te ama e quer o seu bem, que não basta ser pai biológico, que isso nem sempre é significado de amor.

[yasr_overall_rating null size=”–“]

Os Irmãos Willoughby está disponível na Netflix.

Postagens relacionadas