The Romanoffs – 1×01 – The Violet Hour [Primeiras Impressões]

The Romanoffs estreia como um projeto ousado e cheio de pompa da Amazon Prime Video e é bem isso que define, em resumo, o que é a série, uma produção opulenta e grandiosa.

O seriado foi criado, desenvolvido e produzido por Matthew Wiener, criador da série Mad Men, que conseguiu reunir um elenco de peso para produção e conta, durante seus oito episódios, histórias de pessoas que se consideram descendentes diretos dos Romanoffs, a família Imperial Russa que morreu fuzilada durante a Revolução no país.

Foto: Amazon Prime Video

A Dinastia Romanoff governou o país desde de 1613 até serem tirados do poder em 1917. O Czar e a Czarina foram assassinados juntos com seus cinco filhos, mas algumas pessoas acreditam, que pelo menos dois deles, tenham sobrevivido ao massacre, os príncipes Alexis e Anastasia.

Mesmo que até hoje nada tenha sido comprovado de fato, teorias e rumores circulam desde então mas The Romanoffs, logo de cara, já resolve o mito dos descentes sem muitas explicações de como e porquês onde acaba por resolver não se apoiar em nenhuma dessas teorias da conspiração. E mesmo assim, entrega um episódio muito bem trabalhado mesmo com alguns problemas aqui e ali.

No 1×01 – The Violet Hour, somos apresentados para o americano Greg (Aaron Eckhart, ótimo) e sua tia, a aristocrata Anushka (Marthe Keller, excelente). Os dois vivem numa relação de co-dependência gigante onde, ela vive por fingir problemas médicos e ele sempre corre para ajudá-la, o que causa a ira da noiva do rapaz, Sophie (Louise Bourgoin) que está de olho no casarão da parente rica.

Com quase 1h30, o episódio é quase um filme para TV (no caso o streaming), que demora para mostrar para que veio. Somos apresentados aos personagens, suas relações e seus conflitos mas tudo soa muito introdutório e caminha a passos lentos. O texto se arrasta em diversos momentos mesmo que o grau de refinamento e preocupação com os detalhes seja formidável. E por mais que a idéia de The Romanoffs seja ter uma trama por episódio com atores diferentes, talvez, a produção pudesse tentar ser mais ágil com suas histórias e realmente ir logo no que importa.

Foto: Amazon Prime Video

The Violet Hour consegue em seu roteiro mostrar todo o preconceito de uma Velha Europa que demora para aceitar os novos tempos, onde o episódio mostra um texto bem afiado e quase satirico com as relações sociais entre os personagens. O episódio também aborda temas como xenofobia, intolerância religiosa e faz uma crítica social importante sobre a realidade francesa.

O episódio começa a ganhar forma e um norte com a entrada da arrumadeira Hajar (Inès Maleb). Na trama, muçulmana a jovem vai trabalhar para a Anushka onde vemos o choque de realidade entre as duas. Estudiosa e independente, Hajar lida com os ataques pessoais da patroa com superioridade e o roteiro, mesmo com um clichê aqui e ali, consegue mostrar bem o quanto de preconceito que a jovem lida no seu dia-a-dia numa França cada vez mais polarizada e que continua a enfrentar os problemas em relações aos imigrantes que chegam no país.

A produção da série é de brilhar os olhos, desde de suas locações, The Violet Hour se passa em Paris num palacete gigante, até mesmo nos figurinos, que pelo menos nesse primeiro episódio são muito bem escolhidos.

No final, The Romanoff tenta ser a The Crown da Netflix. E esse episódio de The Romanoff é sobre o puro desenvolvimento de personagens e conta aqui, no melhor estilo Cinderela, uma história sobre família, amor, legado e deixar sua marca no mundo.

Vamos ser se essa família real se torna também a jóia da coroa desse serviço de streaming.

The Romanoffs estreia em 12 de Outubro com exibição semanal de seus episódios sempre nas sexta-feiras.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales