The Good Doctor | 2×05 – Carrots

The Good Doctor sempre traz uns questionamentos bem interessantes sobre procedimentos e até estilo de vida de seus pacientes. Neste episódio não poderia ser diferente, só que o drama dos pacientes acabaram ficando mais interessante que o drama do próprio Shaun, e o dilema de viver com Lea.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O paciente que Park, Lim e Shaun tomaram conta estava urinando escuro e fazendo bolhas, o que os levam a presença de bactéria. A descoberta é que o paciente era obeso, fez uma cirurgia para emagrecer e a mesma estava lhe fazendo mau. A questão não era nem a cirurgia, mas a mentira que o paciente vivia com o parceiro. O medo dele de que seu paceiro descobrisse que ele era obeso foi justificado pelas piadas que ele fazia em cima de colegas.

Park e Lim argumentaram sobre a mentira e Shaun logo deu um banho neles, pois não conseguiam viver com seus parceiros e tinham até separações em seus histórico. Sem o lacre da cirurgia, o paciente pode voltar a engordar, algo que Park conta para o parceiro dele e o faz ficar pensativo. A discussão da gordofobia é importante em um contexto amplo, e colocar a saúde a frente do desejo do parceiro é algo bem complicado.

O drama da mulher que sofre de distúrbio alimentar e pode morrer foi bem intenso, a questão de pedirem para ela fazer um sacrifício pelo filho, e ela não conseguir ainda assim se alimentar foi bem intenso. O problema dessa trama acabou caindo em cima de Browne e Melendez, já que ela acha uma forma da mulher se alimentar, Melendez se nega, ela passa por cima dele e vai até Andrew, e depois da cirurgia ela leva um sermão do cirurgião.

Browne passou por cima da orientação de Melendez, que era contra o procedimento devido ao seu risco, assim ele não a quer mais em sua equipe. Vai ser interessante ver o desenrolar disso.

Shaun e Lea agora irão dividir um apartamento e temos toda a questão dela temer que ele misture as coisas, só que ele logo decide que eles podem fazer isso e ter uma “amizade com benefícios”, mas não da forma como imaginamos. Shaun ainda tem muito o que aprender, e ainda não consigo ver bem o desenvolvimento da relação dele com Lea, não de forma tão rápida.

Longe dali, Debby é a única que convence Dr. Glassman a sair para caminhar e movimentar as pernas depois da cirurgia. Shaun tenta argumentando que ele poderia pegar infecção, mas ele tem o orgulho muito forte, e até Dra. Blaize tenta algo, mas não dá. Só o carinho que ele tem pela moça da lanchonete que o faz se levantar.

The Good Doctor traz bons argumentos, mas ainda se perde na hora de balancear com o drama de seus personagens, só que a série entrega o que promete e ainda tem a seu favor um elenco bem afiado.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.