Santa Clarita Diet – 2×06-10 – Pasión / Halibut!

E aqui estamos com a crítica da segunda metade da segunda temporada de Santa Clarita Diet! O final do quinto episódio deixou um gancho bastante interessante e por isso que resolvemos quebrar a temporada em duas aqui no Arroba Nerd.

Mas o que esperar dos Hammond nessa parte final da série? Afinal o circo parece estar se fechando contra o casal. Será que eles vão conseguir descobrir sobre a venda dos moluscos? E Anne vai ficar na cola deles e descobrir sobre os assassinatos?

Confira nossa crítica para os 5 últimos episódios do novo ano aqui:

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Foto: Netflix

E toda a empolgação deixada pelo episódio 5 foi meio que deixada de lado pelo fraco episódio 2×06 – Pasión, afinal a graça toda de Santa Clarita Diet é ver Sheila e Joel (consequentemente Drew Barrymore e Timothy Olyphant) juntos e interagindo com suas maluquices lado a lado. E nesse episódio, a dupla foi para cada um para um canto fazendo com que as trocas entre os atores acabassem ficando muito menos empolgantes e interessantes.

Sheila foi atrás de seu chefe, o odiável Carl onde eles tinham uma reunião de investidores e acabou gerando uma onde de estresse gigante para a personagem (“Eu acabei mordendo meu dedo!”) e Joel foi atrás da pista de uma pessoa que também tinha comido a comida do restaurante Japopo’s na mesma noite que Sheila foi infectada, e ele claro, levou seu martelo especial.

E por mais que o ator Gerald McRaney seja muito bom sentimos que o episódio serviu mais para colocar um pé no freio no ritmo da temporada. As coisas só ficam interessante quando Joel é praticamente obrigado a ensinar a policial Anne a dançar tango e vemos o ator indo de um lado para o outro em movimentos da dança e a flor na boca é um dos charmes da temporada. E assim vemos a personagem cada vez mais envolvida no dia-a-dia do Hammonds e claro percebemos que em Santa Clarita Diet não existe ponta solta e toda a trama da investigação é desenvolvida de forma bem lenta.

Já na outra dupla do seriado, o clima de vai ou não vai entre Abby e Eric fica cada mais interessante afinal os dois são ótimos amigos mas também funcionariam muito bem como um casal e a série ficou nesse vai ou não vai até agora. Eric deixa o lado mais nerd ficar mais em evidência nessa temporada onde ele acaba até ficando mais independente de Abby pelo fato que suas personalidades serem bastante diferentes. E Abby até ganha um arco próprio onde envolve bandejas na cafeteria do colégio, primeiros encontros e claro aulas de maquiagem.

O bom que antes mesmo da série barrigar, a produção embarca em uma sequência de episódios muito bons (2×08 – Easels and War Paint e 2×09 – Suspicious Objects) e como falamos no nosso texto da parte 1, Santa Clarita Diet embarcou na idéia de fazer pequenas tramas que desenrolavam ao longo de alguns episódios e deixam a série com um ritmo bastante ágil tal como The Good Place faz em suas temporadas.

O gancho que Sheila poderia ter comido o chefe e sofrido um black-out foi uma das melhores coisas desenvolvidas na série e toda a resolução dessa história toda cria um episódio hilário com eles indo descobrir onde a personagem perdeu a bota e desviando das câmeras e assim deixam a série com aquele humor estranho mais muito bem colocado dentro da proposta do seriado.

E claro toda a preocupação dos roteiristas em criarem cenas da Abby com os pais são muito bem pensadas para o ritmo do desenvolvimento da personagem que claramente ficou bastante afetada com a história toda da mãe virando uma zumbi. Afinal eles não pais ruins e a série acerta em deixar isso bem claro principalmente com o retorno de Chris e Christa (e claro seu filho também mala, Christian) e o que faz o episódio 2×07 – A Change of Heart ser o mais bacana em termos de vermos a família um lutando pelo outro.

Foto: Netflix

Pois afinal os últimos episódios são um grande choque de realidade no casal e mostra Sheila e Joel caindo na real já que Annie está cada vez mais perto de descobrir a verdade com seus quadros e sua criatividade artística. Inclusive a cena de Sheila parada do lado do quadro do dedo é sutil, engraçada e bastante bem bolada.

Isso junto com toda a conclusão da trama dos moluscos do restaurante e claro da tentativa deles de salvar o mundo que foi finalizada rapidamente e bem antes da temporada terminar juntamente com o casal misterioso que no final não serviu muito para muita coisa. E como falamos os arcos se fecham de uma forma bastante rápida e sem muitas delongas como se todo episódio fosse um final de temporada.

Mas o grande mérito de Santa Clarita Diet é que nessa segunda temporada, os roteiristas perceberam que passado o momento de explicar a condição da personagem em termos de como justificar o acontecimento temos a equipe  mais solta para desenvolver novos e bizarros aspectos da própria mitologia criada na série. Assim, a temporada foco o casal na busca dos como? e por que? da “doença de Sheila” mas também a equipe dos escritores conseguiram nos fazer também torcer pelo casal.. afinal eles não são más pessoas, não é?

O final de temporada com as cenas corridas do 2×10 Halibut! ainda abrem caminho para uma próxima temporada ainda mais pirada do que essa. Afinal até mesmo quando as coisas parecem dar super erradas para os Hammonds, temos alguma virada no roteiro que transforma isso numa coisa boa. Seja ela uma explosão, uma cabeça falante querendo morrer ou uma policial super religiosa indecisa. “Bem, isso ficou estranho para car*lho” é a frase que poderia definir bem esse novo ano.

tem suas duas temporada disponíveis na Netflix.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales