Homeland | 6×12 – America First [Season Finale]

E depois de muitas agonias finalmente chegamos a season finale de Homeland. A série manteve-se bem até seu último episódio, mas então entrou em uma correria e conclusões insanas e foi o que lhe trouxe problemas. Apressado, o episódio nos prende em seus momentos iniciais, mas logo em seguida nos perde ao evitar muitas explicações e trazer um salto temporal…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Na primeira metade do episódio descobrimos que Dar Adal estava envolvido no processo, mas que o Senador Coto tinha mais informações sobre como fazerem Quinn ser dado como culpado pelo atentado contra a Presidente Keane, só que não esperava que Carrie fosse conseguir interferir em tudo e principalmente, que a presidente foi salva pelo próprio Quinn, lhe dando mais um ato heroico.

Carrie sempre pensa a frete e é delicioso ver como a série expõe sua mente sempre trabalhando a frente do que os outros personagens esperam, e Claire Danes trabalha muito bem isso em sua personagem. Sua correria para alertar e então salvar Keane é ótima, mas com o atentado ficamos imaginando a morte de outros personagens, como Bobby e até mesmo Saul.

Mas é a morte de Peter Quinn saindo com a presidente após fugir dos 2 fuzileiros que me deixou bem abalado. Esperava mais redenção para o personagem, mas vê-lo entrando na linha de tiro para tirar a presidente da zona de risco foi doloroso. Nos restou apenas Carrie vasculhando suas coisas e vendo fotos de seu filho, o que foi bem ruim, pois não nos dá mais apego ao personagem.

Aí o que mais me incomodou foi o salto de 6 semanas…

A partir daí tudo é bem rápido, com Keane já na presidência, Brett ainda atacando-a por suas decisões, mas ela está diferente, mesmo que ouvindo Carrie, Keane está mais reservada e isso só vai piorando, chegando ao ápice dela se isolar e ainda pedir a prisão de inúmeras pessoas, incluindo Saul. Aí vemos o conselho de Adal a Saul se tornar realidade, pois ele deixou claro e Keane não sabe muito bem o que faz, e ela é a presidente que ele mais teme.

Sabendo da prisão de Saul e mesmo pedindo um tempo para pensar no cargo que Keane lhe ofereceu, Carrie vai correndo tentar intervir pelo amigo, mas não é recebida. No final fica a dúvida sobre o que fazer diante dessa nova adversidade.

Homeland nesta temporada fez uma grande transição, foi de ataques terroristas de fato para uma conspiração interna dentro do próprio Estados Unidos, mostrando grandes feridas e como eles trabalham para saturá-las, mas é incomodo ver tantas atitudes que podem machucar ainda mais só para chegar a um ponto. A série abordou isso bem, desenvolveu o que queria mostrar, mas pecou neste último momento, ao menos elenco, como sempre, esteve afiado e Rupert Friend esteve excelente em cena.

Fico por aqui, comentem e to be continued

  • JOÃO CLAUDIO

    Começou lento com os 3 primeiros episodios. Depois a trama envolveu de uma forma alucinante voltando aos velhos tempos. No final faltando 20 minutos para acabar a temporada; esses americanos sabem muito bem como fazer, tudo muda . VAMOS TER QUE ESPERAR MAIS UM ANO PARA VER CARRIE. gostei nota 10. Viva Homeland

    • Dan Artimos

      Exato, começou apenas rascunhando o que deveríamos aguardar e depois foi só episódios incríveis e nos deixando curiosos… Até a metade do episódio final eu fiquei eufórico, mas depois voltou a esfriar e a nos preparar para o que vem por aí… E sim, VIVA HOMELAND! Viva Claire Danes <3