Emerald City | 1×05 – Everybody Lies

Achei que Emerald City enrolaria até quase o final de sua temporada para levar Dorothy até Oz, mas fico feliz que adiantaram as coisas e já a colocaram frente-a-frente com Elphaba, assim como Lucas descobrindo mais sobre sua vida como Roan com Eamonn. Gosto quando conseguem desenvolver as personagens e não se perderem nas histórias…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A primeira coisa interessante é o encontro de Elphaba e Dorothy. Ojo que pegou Dorothy correndo na floresta levou a garota como moeda de troca, ele entrega a assassina da Bruxa do Leste, e Elphaba lhe dá sua esposa, presa na Prisão do Abjeto, só que ela mente para ele. E nesse mote o episódio se arrasta, focando nas grandes mentiras, ou nas pequenas para realizar os seus objetivos.

Assim Dorothy sofre as mãos da bruxa, que a acusa de ter matado a única irmã que ela realmente amou e busca saber o segredo dela. Elphaba acredita que Dorothy matou sua irmã a mando de alguém, mas descobre as dores do acaso. Com direito a comparar a mãe de Dorothy com uma cachorra que pari e larga o filho, a sorte da garota é ter a manopla da bruxa do Oeste e Tip, que é a nova adorada de Elphaba.

Depois de conseguir descobrir que a Bruxa do Leste queria lhe alertar sobre os planos de Glinda, e ver suas irmãs brigando, ela resolve traçar planos…

Com Dorothy escapando, ela é chamada até os aposentos do Mágico de Oz por conta dele estar escutando Pink Floyd. É aí que as histórias se conectam e Dorothy, mesmo não sabendo de seu passado, está com alguém que a conhece, sabe seu nome e conhece Karen

A história de Roan/Lucas começa a evoluir e descobrimos que ele matou mesmo os soldados da guarda, mas por estar dominado por algum feitiço que ele abriu. Enquanto isso, eles precisam buscar uma forma de salvar a vida de Eamonn que foi baleado, fazendo o Mágico imaginar quem trouxe a arma que pode matar a Besta, e só depois ele encontra Dorothy.

O confronto na mesa entre Anne e Elizabeth foi interessante, mas é a Princesa Ev quem dá um cheque mate sensacional no Mágico, já que ela promete não haver ajuda de seu reino a Oz, e ela só ficará feliz quando ver o fim de tudo por ali, pois o Mágico abandonou as suas terras quando ela precisou.

Emerald City

Sorte de Ev é que ela aos poucos vai conhecendo a amizade de Jack, o garoto de lata, e ele vai lhe ensinando o valor da amizade e como sair de sua eterna solidão mascarada. Gostei dos momentos dos dois, principalmente com o pano de fundo dela crescendo.

Emerald City amarra as histórias e volta a se mostrar interessante, mas o problema é que oscilou muito sua história até aqui. Nos resta esperar que os próximos episódios continuem bons como este.

Fico por aqui, comentem e to be continued