Young Sheldon | 1×01 – Pilot

E conferimos a estreia de Young Sheldon, spin-off focado em, óbvio, Sheldon de The Big Bang Theory e que mostra a juventude precoce do rapaz, que precisa lidar com as diferenças de seu QI elevado e como o seu jeito peculiar acaba interferindo em toda a dinâmica de sua família.

A série foi criada por Chuck Lorre e Steven Molaro e é produzida e tem uma narração de Jim Parsons, e o roteiro deste piloto ficou a cargo dos criadores, mas a surpresa é que temos Jon Fraveau (Homem de Ferro, Mogli) na direção.

A escolha do elenco também foi bem acertada, pois Zoe Perry consegue demonstrar bem o seu amor e também sua fé, além de ser filha de Laurie Metcalf, a Mary Cooper de The Big Bang Theory. Agora, o que falar de Ian Armitage? O jovem ator é cheio das expressões e nos faz ficar encantado pelo jovem Sheldon, só que é Raegan Revord, a Missy, quem rouba a cena.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Este primeiro episódio apenas mostrou a dinâmica da família e como tudo gira em torno de Sheldon, a não ser quando Missy abre a boca e rouba toda a situação com seus comentários ácidos sobre os membros da família. É inclusive esse peso de Sheldon que acaba fazendo o pai George (Lance Barber) ser demitido e o irmão George Jr (Montana Jordan) arrumar confusão com seus colegas que ofendem seu irmão.

A série acaba nos remetendo Atypical com a forma em que todos precisam lidar com a excentricidade de Sheldon, assim como a família de Sam Gardner precisa lidar com seu grau de autismo. Sheldon não gosta de segurar nas mãos de seu irmão nem pai, faz comentários irrelevantes na igreja, o que nos trouxe uma piada excelente de Missy na igreja, que fala que chutaria suas bolas e que elas não desceriam, e o Sheldon do futuro comenta que elas descem quando ele faz 15 anos.

Os momentos na escola são rápidos demais, poderiam ter abordado mais de Sheldon em cima dos professores e como ele consegue ter o pensamento maior, ao invés de focar em sua obsessão nas regras de vestimentas e comentários sobre o bigode da professora. Se explorassem mais o lado intelectual e de pensamento rápido teria agradado mais.

No geral Young Sheldon é um drama leve com altas doses de comédia, nos prende em alguns momentos e pode ser que até funcionasse sem ser ligada diretamente a The Big Bang Theory. Young Sheldon pode ser que melhore, mas não vejo até onde a série pode ir. Devo acompanhar mais um episódios (que só voltam em novembro) para sentir mais da série antes de decidir segui-la ou abandoná-la.

Young Sheldon tem pré-estreia aqui no Brasil na Warner Channel no dia 08 de outubro.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.