Mostra SP 2018 | The Man Who Killed Don Quixote – Resenha

The Man Who Killed Don Quixote, a comédia de Terry Gilliam que demorou 25 anos para ter seu roteiro finalizado foi um dos títulos presentes na programação da 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Confira a sinopse:

Toby, um cínico publicitário, se vê envolvido nas ilusões e alucinações de um sapateiro espanhol que acredita ser Dom Quixote. No percurso de suas aventuras cômicas e surreais, Toby é obrigado a confrontar as trágicas consequências causadas por um filme que ele fez na juventude —e que mudou para sempre as esperanças e os sonhos dos habitantes de uma pequena vila na Espanha.

O que achamos: 

The Man Who Killed Don Quixote acompanha Toby (Adam Driver) um jovem cineasta que, anos após seu primeiro filme ter sido gravado em um pequeno vilarejo na Espanha, se encontra mais uma vez no mesmo local para a filmagem de seu mais novo projeto.

Lá, revive momentos e encontra conhecidos rostos, mas se depara com a nova realidade destes: um simples morador do vilarejo (Jonathan Pryce) que Toby convencera a interpretar Dom Quixote, fora tomado pela loucura que o convenceu de que é de verdade o personagem; uma jovem que Toby havia influenciado para sair dali e se tornar uma grande estrela, agora se encontra nas mãos de um milionário espanhol que a maltrata.

O filme, no entanto, tem um humor um tanto quanto ultrapassado. Em outras comédias de Gillam, hoje consideradas clássicos do gênero, como Monty Phyton em Busca do Cálice Sagrado (1975) e A Vida de Brian (1979), o uso do humor não tem época. Apesar de seus anos de produção, são filmes atemporais, que podem ser assistido hoje em dia e ainda arrancar gargalhadas do público. Don Quixote, porém, parece uma fórmula repetida do que já foi visto em obras de Gillam, em uma tentativa de modernizá-la.

O elenco de Don Quixote merece reconhecimento. Adam Driver volta às suas raízes da comédia e entrega uma performance hilária como Toby. Jonathan Pryce aparece ótimo como Dom Quixote, ainda que esta também seja uma atuação (dentro de outra) de um simples senhor – e é aí que está sua genialidade. Outros rostos conhecidos como de Stellan Skarsgard e Olga Kurylenko também animam os 132 minutos do universo de Terry Gilliam em The Man Who Killed Don Quixote.

Nota do Crítico:

Visto na 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.
Sem previsão de estreia no circuito nacional.