Supergirl | 3×15 – In Search of Lost Time

Hora dos acertos de contas com o passado em Supergirl. Kara confrontou Mon-El, enquanto Lena finalmente liga os pontos sobre o que acontece com Samantha, nos explicando ainda mais sobre suas características biológicas, mas é o drama de M’yrnn e sua perda de memória, que causa estragos.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

M’yrnn usa uma meditação para realocar suas memórias sadias em áreas ainda intactas do cérebro, mas devido a seu poder psíquico e sua condição ele acaba deixando parte de sua raiva e chateação vazar, e isso acaba atingindo pessoas ao seu redor. J’onn agora se preocupa com o destino do pai e achei legal a citação de que uma hora “o pai vira filho e o filho o pai”, e ele fica disposto a fazer de tudo para ajudá-lo.

Só que antes as ondas acabam atingindo os agentes do DEO, colocando Winn lutando contra outros agentes, principalmente por ele ser amigo de Kara, e até Alex entra na jogada, o que os obriga a usar o aparelho de bloqueio das ondas psíquicas de Psi para bloquear o marciano e eles conseguirem lutar contra a evasão dos aliens presos.

Kara finalmente confronta Mon-El e descobre táticas de sua capa, que é feita de um material especial de Krypton. Achei bem legal a conexão psíquica entre capa e usuário, e legal eles falarem sobre lutar contra Reign como se ela fosse um touro, e não deixando-a tocar o chão com os pés, onde concentra sua força.

Só que junto de tudo isso Kara sofre os ataques de M’yrnn e acaba jogando todo o peso de seus medos e frustrações para cima de Mon-El, o que acaba até sendo legal para aliviá-la de tantos problemas. Lógico que Mon-El fica sem entender, mas no fim a ficha cai, pois desde que chegou a National City ele foi um fardo e houve tudo o que fez. Não sei como a relação deles ficará, mas foi bom ver esse momento chegar.

Agora, quem rouba a cena é Lena e Samantha. A atriz Katie McGrath é simplesmente amável! A forma como ela transmite os sentimentos por Lena é formidável, a vemos forte, ao mesmo tempo que está vulnerável com medo e preocupação pela amiga, e Samantha só atrapalha ao não acreditar no que acontece, restando para Lena lhe mostrar… Então temos a explicação de que quando Samantha vira Reign, ela muda até mesmo sua composição celular, dando espaço para uma entidade completamente diferente.

Não sei como irão trabalhar o destino de Reign que segue sob observação de Lena, mas enquanto isso Pestilência começa a dar seus sinais…

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.