My Little Pony: O Filme | Crítica

Parece que as animações em 2017 estão meio fora de tom e a gente sente que elas estão deixando um pouco à desejar. Talvez pelo fato de muitas delas serem continuações de filmes que já deram certo em algum momento como por exemplo Meu Malvado Favorito 3, Carros e os desenhos da franquia LEGO mas ai vem My Little Pony: O Filme (My Little Pony: Movie, 2017) chega ai no meio deles, meio que do nada e acaba fazendo uma boa animação, gostosa de assistir, com um tom super leve e familia e claro com uma veia muito musical.

A animação exala gliter, cores fortes e é super recomendada para crianças, afinal ela conta sobre a importância da amizade, ser você mesmo e nisso tudo o filme acontece no meio de muita música, personagens cativantes e claro uma história simpática. Com a trama indo para o famoso combate do bem para o mal temos a Princesa dos unicórnios Twilight Sparkle (voz no nacional de Bianca Alencar) preocupada com o seu primeiro evento oficial no Reino de Equestria. Com ela sendo a Princesa da Amizade ela precisa unir todos habitantes do reino para as comemorações que claro precisa ser perfeito.

Foto: Paris Filmes

No melhor estilo A Bela Adormecida mas sem o lance de dormir e etc, vemos a vilã Tempest (dublada pela atriz Mariana Rios no nacional) chegar para acabar com a Festa. Com um tom bastante ameaçador e um plano bem criado a pônei roxa que não tem um chifre quer vingança e assim a pequena unicórnio princesa precisa se unir as amigas e embarcar na procura de ajuda para salvar o reino das mãos da unicórnio do mal e do seu chefe o caricato Rei Storm (voz irreconhecível do ator Sergio Marone).

A animação não cria nada de novo e grande parte do que é visto no desenho já vimos em outras produções e o filme até tem uma trama bem previsível em algumas partes mas a pitada de humor consegue deixar ele bem agradável de se assistir. O personagens secundários com Rainbow Dash e sua voz estralada deixam o desenho como um ar bem mais infantil do que ele apresenta ser mas em comparação com a Gangue dos Papagaios Piratas o longa consegue deixar a história mais aventuresco e no final deve agradar todas as idades. O tom de redenção e toda as explicações dos comportamentos dos personagens tanto do bem quanto do mal não são nada unilaterais e passa uma mensagem bem interessante.

A versão nacional acerta na dublagem que acaba por deixar as falas com o tom mais jovem e as músicas também foram bem feitas. Mas o que deixa a animação meio estranha é o 2D, nada se compara ao fator Disney de qualidade mas assistindo é como desenho tivesse sido chapado na tela do cinema direto do computador meio parecendo que não teve um cuidado maior na pós-produção. A animação consegue claro disfarçar bem com várias sequências de raios coloridos e personagens gritando e cantando mas para os olhares bem atentos isso deve ser um problema.

Com músicas cativantes, a cantora Sia até tem uma participação no filme com a canção Rainbow, My Little Poney consegue fazer um bom apelo para as crianças sem soar forçado ou super didático. Como falamos a animação foi bem trabalhada e segue bem a cartilha de filmes infantis, a diferença aqui é o roteiro que teve história de Meghan McCarthy e Joe Ballarini.

A animação tem seus méritos em ser uma produção totalmente feita para o público infantil que acerta muito nos personagens e fica claro a intenção de fazer algo mais que apenas um bando de animalzinho falante para vender boneco. My Little Pony: O Filme faz aqui uma das melhores animações do ano e tem uma alma viva e luz própria que no caso é cheia de cores e deve animar até os corações mais peludos.

Nota do Crítico:

My Little Pony: O Filme chega em 05 de Outubro nos cinemas.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales