His Dark Materials | Primeiras Impressões

Numa tentativa de agradar os fãs de Game of Thrones, a HBO em parceria com a BBC entrega num novo e adorável mundo de fantasia, numa série que deve suprir a necessidade dos espectadores órfãos da série medieval até quando um spin-off não chega no canal americano.

Baseado na franquia de livros escrita por Philip Pullman – no Brasil a trilogia chegou com o título de Fronteiras do Universo – podemos ver que a HBO, pelo menos no primeiro episódio, nos entrega uma adaptação muito mais empolgante que o filme de 2007, A Bússola de Ouro, e aqui temos a sensação de que, enfim, os livros terão suas histórias transportadas de uma maneira que faz jus ao material original.

Dafne Keen in His Dark Materials (2019)
His Dark Materials| Primeiras Impressões – Foto: HBO

Assim, His Dark Materials entrega um novo e caprichado universo que promete vir com uma trama cheia de fantasia, bruxas, pó mágicos, e animais falantes – a HBO aposta nos ursos armados em vez de dragões! – para contar a aventura de jovem Lyra (Dafne Keen talentosíssima e segura as pontas como protagonista) rumo à um destino quase certo, e que claro, precisa enfrentar também os percalços de passar da fase infantil para adolescente. 

Para isso, His Dark Materials não poupa esforços para deslumbrar o espectador com grandiosas locações no melhor estilo da franquia Harry Potter, onde vemos castelos imponentes e grandes jardins, que são populados com uma mistura de figurinos antigos belíssimos com certas outras modernidades como helicópteros, balões de ar, e muito mais. 

A produção consegue então ir além ao introduzir todos os elementos da mitologia que o seriado deve desenvolver ao longo de seus episódios. O primeiro episódio chamado de Lyra’s Jordan se preocupa em ambientar nesse momento, oferecer pequenas doses de mistérios que envolvem profecias, e ainda apresentar seus personagens principais, seja a jovem Lyra, a misteriosa Sra. Coulter (Ruth Wilson, fantástica), membro da organização Magisterium – a versão da Igreja Católica que governa o mundo que os personagens vivem – e ainda a figura de Lorde Asriel (James McAvoy, num bom ano), tio da nossa protagonista que retorna de uma viagem ao norte e defende ter provas para a existência de um pó mágico, uma substancia que não pode ser vista olho nu, mas que diz ter as respostas para questões filosóficas do universo.

James McAvoy in His Dark Materials (2019)
His Dark Materials| Primeiras Impressões – Foto: HBO

Assim, ambos os personagens adultos devem movimentar a trama na medida que a curiosa e destemida garota parte em busca de respostas, ao mesmo tempo que o roteiristas nos introduzem para uma conspiração envolvendo crianças perdidas, novos mundos, e uma iminente guerra que está para começar.

Um dos destaques para His Dark Materials fica com os efeitos especiais dos daemons, o animal de companhia que todo personagem tem e que mostra um pouco de sua personalidade, afinal, o ser é uma personificação da alma da própria pessoa.

Com 8 episódios para esse primeiro ano, já renovada para uma segunda temporada, e um primeiro livro que serve de bases para a temporada, His Dark Materials começa bem, nada surpreendente, mas com bastante potencial, ao apresentar ao poucos para o espectador, as diversas nuances que o livro tem para oferecer.

Como a bússola que Lyra ganha, a série parece apontar para o norte e promete entregar uma curiosa e épica jornada. Mal podemos esperar pelo resto. 

His Dark Materials chega na HBO e HBO GO em 4 de novembro.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales