Frequency | 1×12 – Harmonic

Frequency caminha para seu último episódio com diversas mudanças e disposta a ter um final que seja satisfatório, uma vez que a The CW desistiu de pedir mais episódios, e o cancelamento é inevitável. Uma pena, pois Peyton List está incrível apaixonante na série.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A grande jogada é que finalmente temos um destino para Joe, que sofre no passado nas mãos de Frank, enquanto no presente tem um destino inevitável pelas mãos de Raimy, que o faz ficar com a cabeça cheia por conta de suas atitudes. No fim ele se mata e foi bem sem sal este seu destino.

Toda a questão de Joe ter torturado Meghan e Robbie, e então matado a mãe dos dois fica mais forte, só que com Robbie vivo a coisa fica maior… Joe, sem Meghan em casa, coloca Robbie para ver seus problemas e quando o homem mata a mãe dele, o faz ver e participar de seu ritual de purificação.

A partir deste momento temos mudanças significativas, pois se Robbie e Meghan ficam juntos em 1996, a coisa degringola com o rapaz seguindo os passos de Joe e então descobrimos que ele tem uma fixação em Julie.

Julie essa que com as mudanças de Frank, acaba viva em 2016… Muitas coisas acontecem no episódio e essas mudanças não são tão fáceis de perceber, mas o que realmente está me intrigando agora é que Stan roubou um envelope destinado a Frank.

Chegando próximo ao último episódio de Frequency, espero que a série seja concluída de forma satisfatória, pois até aqui, com poucos erros, tivemos uma trama interessante.

Fico por aqui, comentem e to be continued