DC’s Legends of Tomorrow | 3×02 – Freakshow

Buscando ganhar força para se tornar novamente relevante para o Time Bureau de Rip Hunter, as lendas de DC’s Legends of Tomorrow começam a buscar anacronismos menores para lidar ao invés de ir com sede ao pote. O melhor dessa série do Arrowverse é que ela não se leva a sério, muito menos os seus personagens, então eles podem brincar mais não só com as situações, como com seus poderes.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Ray conseguiu modular os equipamentos de Rip e fazer a Waverider e sua Gideon identificar os anacronismos e o mais bacana é eles quererem ir atrás dos mais leves, para começar a treinar. Logo de cara temos uma piada envolvendo Victor Garber, ator que interpreta Martin, pois eles querem ir a 1912, época que o Titanic afundou e eles poderiam resolver um anacronismo lá, mas ele se recusa, por que Martin acha o engenheiro um horror. Mas o que isso tem a ver com Garber? Garber interpretou o engenheiro em Titanic de 1997.

Então eles resolvem ir até um anacronismo mais leve e chegam até um circo, os famosos Freakshows, onde o personagem de Billy Zane, Barnum, que também esteve em Titanic, tem o Tigre Dentes de Sabre. Até aí tudo tranquilo, se não fosse o fato deles serem mais estabanados do que os Trapalhões, e Ray fazer o Tigre crescer, ao invés de diminuí-lo e enviar de volta para sua época. De nível 1, a equipe consegue mudá-lo para nível 4 e então 8, quando Jefferson, Nate, Amaya e Ray são pegos…

A trama então se resolve rápidamente, tudo é controlado e o circo segue…

A questão dos anacronismos ficam um pouco de lado então, pois são apenas amarras para as tramas principais, pois temos Amaya tendo de lidar com a sua perda de controle. Seu colar está mais forte e sua raiva por tudo acaba colocando todos em risco, como os soldados que ela matou. Agora ela precisará lidar com tudo isso sozinha, pois teme colocar a vida de todos em risco. Nate foi deixado de lado por ela, que viu sua neta Mary, a Vixen de 2017, em ação e votou para Zambesi.

Sharpe, uma das funcionárias de Rip, mostra que está no pé da equipe, esperando o menor deslize para tirá-los de rota. Aí vem Sara e suas cenas de lutas, que mesmo coreografadas, elas são sempre muito bem vindas, pois Caity Lotz imprime uma verdade deliciosa (algo que Finn Jones se perde em Marvel – Punho de Ferro). Sara consegue salvar Sharpe e mais uma vez ganha tempo…

No fim, com tudo resolvido, temos a descoberta de um grande problema, Mallus, o novo horror que ficará nos pés deles. Sara, Mick e todos acabam enumerando os horrores que passaram e não acredita que isso será um problema. Só que então vemos Mallu convocando Kuasa dos mortos para lhe dar uma ajuda…

Aqui então DC’s Legends of Tomorrow traz uma entidade forte para ser a parte vilanesca da série, e ainda liga com a animação Vixen ao trazer dos mortos a irmã mais velha de Mary, Kuasa, que deseja o totem a todo custo, tanto que morreu antes de tê-lo.