Até o Fim | Resenha

Com uma premissa até que simples que nos faz questionar o além da morte, Até o Fim coloca vários questionamentos sobre ações e escolhas e como cada um tem o livre arbítrio de decidir o seu destino, mesmo do outro lado. A história de Eric Peleias é leve e instigante, e toda a paleta de cores escolhida para conduzir os quadros é agradável e ajuda na jornada de Lilian.

Decidida e cheia de planos, Lilian e seus amigos planejam uma viagem com muita diversão e cantoria, mas o destino coloca a morte a sua frente e decidida a não morrer sem cumprir seus planos ela parte com Beto, uma alma misteriosa, para cumprir a tarefa lhe dada pela A Noiva e assim conseguir retornar.

Cada encontro de Lilian com seus amigos é um aprendizado e tanto, e seu irmão é o que mais sofre nessa passagem, pois suas escolhas e pensamentos suicidas o consomem em um momento que nem ela sabia que ele passava por isso.

Lilian precisa escolher o destino dos amigos antes do sol nascer, para assim ter ela mesma o seu destino selado. Com o galho que representa cada um de seus amigos, Lilian parte em uma jornada de conhecimento, onde aprende que mesmo seus maiores planos podem ter imprevistos, mas além disso, que a morte pode ser uma jornada diferente para cada pessoa. Saber encarar o destino também é importante…

A sensibilidade dos traços, as cores, a condução da história, o crescimento de Lilian, o objetivo de seus amigos, tudo é tão singelo em Até o Fim que ficamos apaixonado pela obra.

Até o Fim é mais uma publicação do selo Geektopia da Editora Novo Século.

FICHA TÉCNICA

Título: Até o Fim
Autor: Eric Peleias (roteiro), Gustavo Borges (desenho) e Michel Ramalho (cores)
Editora: Novo Século – Geektopia
Ano: 2017
Gênero: Mistério, Aventura
Páginas: 96
Formato: 26,4 x 17,2 x 1 cm
ISBN: 978-85-428-1338-8

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.