Críticas Filmes 

Pieces Of A Woman | Crítica: Trata de questões delicadas com uma poderosa atuação de Vanessa Kirby

O processo de luto é uma coisa intensa mesmo e que varia de pessoa para pessoa, mas aqui em Pieces Of a Woman (2021) o espectador é convidado para acompanhar a jornada de Martha, uma talentosa Vanessa Kirby, e todas as etapas, e os pedaços assim por dizer, que essa mulher percorre na tentativa de viver nos meses seguintes após a perda de seu bebê durante o parto. 

Pieces Of A Woman Crítica
Pieces Of A Woman review
Pieces of A Woman Netflix
Pieces of A Woman Vanessa Kirby
Pieces Of A Woman – Crítica
Foto: Benjamin Loeb / Netflix

E com isso, o diretor hungaro Kornél Mundruczó trabalha com a câmera de uma forma que faz com que o espectador esteja lá junto com os personagens de um modo que é tão íntimo, tão colado com eles, que às vezes soa um pouco desconfortável, mas não no mau sentido da palavra. É como se Mundruczó tentasse fazer com que quem assista Pieces Of A Woman (seja na pré-estreia em Veneza ou na Netflix como foi meu caso) tenha um lugar de destaque em toda a atmosfera que envolve esses personagens que lidam com questões delicadas como amor, maternidade, e claro, tristeza e luto.

Desde da poderosa cena do parto logo no começo, onde vamos, quase na mesma tomada por mais de 15 minutos, Martha (Kirby sensacional) prestes a dar a luz em casa com a ajuda de seu companheiro Sean (Shia LaBeouf), até todas as sequências que se desenrolam logo depois ao evento traumático nos meses seguintes, tudo em Pieces Of A Woman é muito bem trabalhado e construído. Aqui, vemos que os produtores tem uma preocupação e um prezo pelos detalhes e entregam a história sem a afobação de querer apressar as coisas, ou pular as etapas dessa jornada melancólica e triste que esse casal, e principalmente, Martha passa.

Kirby sem dúvidas aqui faz por merecer seu prêmio de Melhor Atriz em Veneza. A atriz ganhou destaque na série The Crown e aqui está completamente incrível no papel. Pieces Of A Woman é dela, funciona por conta dela e Kirby é a força que conduz a trama e a história.  Sem a presença dela provavelmente o longa seria uma outra coisa e que aqui faz completamente a diferença ao assistirmos.

Seja por conta dos pequenos detalhes, uma blusa molhada, uma ponte em construção, ou uma maçã que é que comida no trem, Pieces Of A Woman entrega momentos sensíveis que se entrelaçam com a atuação de Kirby que deslumbra o espectador com qualquer que seja o sentimento que Martha viva naquele momento. O mais interessante é que Martha tem uma reação completamente diferente do que esperávamos para um filme com essa temática. Seus sentimentos são contidos num primeiro momento, seja na ótima cena que ela retorna ao trabalho cercada pelos colegas de trabalho que a observam, até mesmo no oposto, onde Martha já parece não aguentar mais e temos a explosão de tudo que vem sendo guardado por meses. E realmente Kirby entrega tudo e se doa muito, e em pelo menos duas cenas é impossível não se abalar com o turbilhão de emoções que vemos Martha passar.

Seja por conta do próprio luto, ou como ela vê seu casamento desmoronar após o evento, ou também como lida com sua relação turbulenta com sua mãe controladora (Ellen Burstyn tem cenas ótimas com Kirby) e o caso criminal contra a parteira (Molly Parker) que comandou o parto que gerou traumas e consequências. O roteiro de Ansuman Bhagat e Kata Wéber consegue dar nuances e camadas para essas personagens, mesmo que aparecem pouco, mas que estão vividas em tela que realmente conseguimos ver por trás delas, de suas ações, e como elas movimentam a trama do longa.

Pieces Of A Woman Crítica
Pieces Of A Woman review
Pieces of A Woman Netflix
Pieces of A Woman Vanessa Kirby
Pieces Of A Woman – Crítica
Foto: Benjamin Loeb / Netflix

Os atores Sarah Snook, da série de sucesso da HBO Succession e Benny Safdie completam o elenco de apoio como familiares que estão ali para Martha em sua jornada mesmo que necessariamente também não estão lá 100% para ajudar. E isso fica claro numa das cenas lá pelo final e que acaba por ser um dos ápices do longa, o almoço em família, que reúne Martha e o companheiro, com Elizabeth (Burstyn), a irmã Anitta (Iliza Shlesinger) e o cunhado (Safdie), onde realmente vemos os personagens discutirem sobre a tudo que aconteceu, dias antes do julgamento contra a parteira que será liderado pela prima/advogada Suzanne (Snook).

Toda a atmosfera mais intimista de Pieces Of a Woman nos ajuda a criar um quadro geral sobre como Martha vai superar essa perda, e se vai e como vai, e que realmente se apoia e muito em Kirby que por si só já vale o play se dúvidas. O roteiro garante algumas surpresas aqui e ali, ao deixar o longa mais novelesco em muitas situações mesmo que no final não tenha o mesmo poder que olhar afiado de Mundruczó tem para contar essa história. E isso se dá muito pelas opções tomadas, principalmente para o destino de alguns personagens, e claro, pela a intensa cena do tribunal nos momentos finais. Mas como falamos as sutilezas que essas passagens são apresentadas deixam tudo muito mais interessante de se ver mesmo que em algumas partes, o longa não seja nada agradável de se assistir.

No final, a Netflix começa seu 2021 lá em cima com Pieces Of A Woman que faz um drama intenso e triste mesmo que consiga, ao mesmo tempo, contar uma bonita história de superação. A plataforma entra na temporada de premiações com mais outras fortes candidatas na corrida principal pelo Oscar, principalmente nas categorias de atuação, e aqui liderados por Vanessa Kirby que vive um bom começo de ano.

Avaliação: 4 de 5.

Pieces Of A Woman disponível na Netflix.

Postagens relacionadas