Destaques Reviews Séries & TV 

WandaVision | Primeiras Impressões: Marvel Studios embarca na Era do Streaming de uma forma maravilhosa

Residência dos Vision….” – Wanda (WandaVision, 2021)

Se a Disney gastou bilhões de dólares para criar um serviço de streaming global nada mais certo que o estúdio use uma das suas principais armas para ajudar a construir esse anexo do Castelo do Mickey, não é mesmo? E aqui, a empresa usa artilharia pesada para isso. Kevin Feige coloca dois dos personagens mais queridos dos fãs, e que realmente nunca tiveram bem a oportunidade para brilharem nos cinemas, para roubarem as cenas… Só que agora na TV, ou no caso, no streaming.

E é isso que WandaVision faz. A primeira série da Marvel Studios embarca na Era do Streaming de uma forma incrivelmente maravilhosa.

Eu diria até MARVELilhosa. *tumtumtas*.

*Plateia ri ao fundo*

Elizabeth Olsen is Wanda Maximoff and Paul Bettany is Vision in Marvel Studios’ WANDAVISION, exclusively on Disney+.
WandaVision | Primeiras impressões
Foto: Disney

E pelo menos nesses dois primeiros episódios de WandaVision, Feige parece compreender como ninguém esse novo território que pretende conquistar para o estúdio, depois da épica empreitada que fez com os 22 filmes da Marvel Studios nos cinemas e os bilhões de dólares arrecadados em venda de ingresso. Lembram de 2019 e do auê que foi Vingadores: Ultimato? Bons tempos… e aqui Feige tem outra missão, atrair usuários pagantes para o serviço de streaming da Disney, e parece que ele novamente vai acertar.

O chefão da Marvel agora coloca Wanda Maximoff e Visão no Disney+, onde temos dois super-heróis que vivem no subúrbio, onde nem tudo é o que parece ser. Essa é a sinopse de WandaVision que ao mesmo tempo não nos diz nada, mas depois de assistir os três primeiros episódios, chego a conclusão que acaba por dizer muita coisa sim. E aviso, esse texto abordará os 2 primeiros capítulos apenas e o terceiro será analisado separado.

WandaVision é tudo aquilo que os materiais promocionais venderam, a história de um “casal incomum” que parte para viver no bairro de Westview. Só que esse casal, formado por dois dos mais super poderosos Vingadores, não só precisam se misturar no bairro, mas também desvendar outros segredos que cercam a ida deles para lá. O que faz de WandaVision ser uma série com um grande conceito por trás, onde além de termos as aventuras dos personagens, temos que também resolver um dos vários mistérios que o seriado apresenta.

Como eles foram parar lá? Quanto tempo eles estão lá? E onde, e como, eles se conheceram nessa nova realidade? E quem prendeu eles lá e por qual motivo? Afinal, Visão só não morreu uma vez, como duas, tanto nas mãos de Wanda, quanto nas mãos de Thanos, lá em Vingadores: Guerra Infinita (2018), não é mesmo? Será que Wanda é responsável por isso? Ou alguém ainda mais sinistro?

Cartazes de WandaVision mostram Wanda e Visão em diferentes momentos da Era da TV

E a série parece deixar todas essas perguntas de lado num primeiro momento, e parte totalmente para essa história de uma vez. E como diz a personagem da vizinha fofoqueira (mais sobre ela abaixo): isso vai ser uma pândega*! E realmente é, é de verdade.

WandaVision abraça as comédias americanas clássicas e coloca Wanda (Elizabeth Olsen, no auge do seu talento realmente livre para poder ousar com a personagem e aqui entrega um trabalho incrível de expressão e atuação corporal) e Visão (Paul Bettany realmente divertido) como um casal dos anos 50 recém-casados e recém chegados no bairro. Eles até tem uma música tema própria e seguem a cartilha tradicional dos filmes antigos. Mas se você é fã da ação maluca dos filmes, pode esperar que agora é foco no conceito e nessa brincadeira toda. Aqui, no começo, a Marvel épica dá espaço para a Marvel criativa e em WandaVision, Olsen e Bettany tem uma extraordinária química em tela, e realmente entregam momentos ótimos com seus personagens, tanto em passagens juntos com um casal, quanto separados e ao interagirem com os personagens de apoio.

A incrível atuação dos dois se mistura com toda a atmosfera que WandaVision consegue criar nesse primeiro momento e que abraça o cenário e tom de sitcoms como I Love Lucy (1951-1957) e The Dick Van Dyke Show (1961-1967), juntamente com figurinos de época caprichados, e claro, por ser filmada em preto e branco e uma plateia (que não é vista!) reagindo com os eventos da trama.

Conheça os personagens de WandaVision, a nova série do MCU para o Disney+

O trabalho de produção de WandaVision aqui é impecável e a série parece e realmente é, pelo menos nesse começo, uma sitcom sim, uma comédia sobre um casal apaixonado que vivem momentos engraçados e “ensaiados” como se estivéssemos em uma peça de teatro. E ao mesmo tempo, o seriado nos faz sentir em casa, como uma verdadeira e intrigante história da Marvel, só que muito menos do Universo Cinematográfico, e muito mais dos quadrinhos que deram origem para esses personagens.

WandaVision é um dos maiores ápices criativos do estúdio nos últimos anos desde que Feige começou a ousar com os gêneros dentro MCU em filmes como Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014) e Thor: Ragnarok (2017). A sensação de ouvir novamente a música de abertura com os letreiros da Marvel Studios, aqui em preto e branco, é indescritível, onde finalmente estamos de volta nesse Universo. E o melhor de tudo, em WandaVision, vemos Wanda e Visão terem que lidar com contratempos simples e considerados até bobinhos pelo que o casal já enfrentou anteriormente. Mas é aquele ditado, antes da tempestade sempre temos a calmaria e é isso que o seriado parece ser.

Paul Bettany is Vision and Elizabeth Olsen is Wanda Maximoff in Marvel Studios' WANDAVISION, exclusively on Disney+.
WandaVision | Primeiras impressões
Foto: Disney

Aqui temos passagens divertidas como a dupla em apuros para cozinhar para o chefe do Visão, o Sr. Heart e sua esposa, interpretados pelos atores Fred Melamed e Debra Jo Rupp, dois comediantes conhecidos em Hollywood e ainda, toda a relação de Wanda com a vizinha curiosa, um clássico das séries de comédia, a desbocada Agnes (Kathryn Hahn, numa escalação perfeita e que dá um tom cômico sem tamanho para os episódios) para se adaptar na vizinhança e que a ajuda bajular um grupo de senhoras para se dar bem nas atividades sociais do local, principalmente durante um show de talentos que vemos nesse começo.

E tudo isso é apresentado de uma forma completamente divertida, um pouco estranha, em WandaVision, sem pressa nenhuma, que utiliza o poder de uma história serializada para dar certo. Em termos de narrativa, tudo em WandaVision, parece ter um propósito e essa chuva de easter-egg, seja uma garrafa de vinho, ou ainda números em um visor de relógio, acabam que casam muito com o que a proposta do seriado diz. É uma grande homenagem para a TV, e claro, com séries que fizeram muito sucesso, mas a temporada também consegue ser uma coisa quase única e pouco vista na TV. O segundo episódio particularmente tem uma homenagem para A Feiticeira (Bewitched – 1964-1972) que me fez dar um pulinho na cadeira de tão boa e tão incrível que é.

E com isso temos também aquelas perguntas que o seriado faz e ficam martelando na nossa cabeça ao assistir e que nos fazem perguntar: o que REALMENTE está acontecendo aqui?

Cenas de WandaVision fazem homenagem para séries de comédia americanas clássicas!

Pois ao mesmo tempo que sim WandaVision se parece com uma sitcom realmente fica claro que isso não é apenas por uma questão estética, e vemos isso já no primeiro episódio. Para vocês entenderam o quão interessante é a série, a Marvel colocou comerciais falsos no meio dos episódios… claro eles dão pistas e dicas do que pode vir ai e ainda se conectam com a história do MCU ou com o passado dos personagens.

O mais legal é que a série brinca com a história da TV e ao mesmo cria sua própria história, onde aqui temos tempo para desenvolver isso, afinal teremos 9 episódios para contar ela. Assim, WandaVision faz um novo e sedutor capítulo dentro do MCU que parece que finalmente vai abraçar seu lado mais original, bem mais do que apenas entregar grandes sequências de ação cercadas por efeitos especiais, o que também é legal não me levem a mal, mas depois de 22 filmes parece que há muito mais outras coisas para se focar.

Nesse começo, WandaVision realmente faz um espectáculo, um que é super agradável e divertido, para essa nova etapa da Marvel, e que cai como uma luva com a proposta do Disney+, a nova joia da coroa da Disney, tem que é de tentar reunir os fãs 1 vez por semana (igual The Mandalorian) para descobrir, analisar e comentar o episódio da semana.

“Não sabemos o que esperar” afirma Wanda e realmente com WandaVision é isso mesmo, afinal, com a série estamos rumo ao desconhecido de mais uma nova fase da Marvel Studios, só que agora ela começa no streaming.

WandaVision chega em 15 de janeiro no Disney+ com episódios semanais.

*pândega: substantivo feminino
1. festa ruidosa com comidas e bebidas; festança.
2. leviandade no agir; loucura.

Postagens relacionadas