Animações Entrevistas Filmes 

Jorge Lucas e Luciana Mello comentam sobre processo de dublagem nacional da animação Soul

Soul é a nova animação da Pixar que finalmente chega no Disney+ no Natal, e como um bom filme do estúdio tem nomes de peso no elenco de dubladores como Jamie Foxx, Angela Basset e Tina Fey entre outros.

Já na versão nacional temos Jorge Lucas e Luciana Mello.

Lucas é a voz de Jamie Foxx no Brasil e dá voz para Joe Gardner, o nosso protagonista, e Mello para Dorothea Williams, uma lenda do jazz que dá as caras no filme.

O ArrobaNerd bateu um papo com dois sobre o filme, o processo de dublagem em si, curiosidades sobre dublagem e como foi gravar tudo isso no meio da pandemia. 

Soul | Crítica: Vai tocar sua alma e te fazer chorar como uma verdadeira animação da Pixar

E a voz do professor de música Joe Gardner pode ser conhecida de você leitor. Lucas é a voz de atores super conhecidos em Hollywood que vão desde de Vin Diesel (da franquia Velozes e Furiosos), Ben Affleck, Mark Rufallo, até a drag queen RuPaul.

Ao ser perguntado como ele lida com todos esses personagens, o dublador que também é ator (fez participações nas novelas como Orgulho e Paixão, Bom Sucesso da Rede Globo e ainda estará na inédita Gênesis, na TV Record) comenta que trabalha com extremos “Eu vou do Vin Diesel até a Rupaul que são extremos como personagens, quanto vocais, o Vin Diesel eu faço no meu grave, o maior que eu tenho, e a RuPaul é uma drag queennnn [diz ele com a voz afinada].”

Ele fala que tudo depende do tipo de personagem que ele dubla naquele momento ou trabalho. “Eu não consigo dublar a RuPaul se colocar a mão na cintura, eu não dublo ela sentado, eu dublo ela sempre de pé, e com a mão na cintura, senão ela não sai.”

Soul First Reviews: Fun for Kids and Emotional for Grown-Ups << Rotten  Tomatoes – Movie and TV News
Joe Gardner personagem que o ator e dublador Jorge Lucas dá voz em Soul
Foto: Pixar/Disney

Ele continua “ator nenhum cria algo que não esteja dentro dele… quando eu pego uma peça de Shakespeare, um roteiro de novela, ou quando eu vejo o Joe Gardner e eu vi aquela alma daquele homem, daquele pianista, frustrado por ser professor de escola, mas que queria tocar com a Dorothea, qual artista não tem isso dentro dele...?”

Lucas diz que quando viu o personagem do Joe pela primeira vez se apaixonou por ele “A gente tem uma necessidade de expressar, de botar a expressão para fora, eu preciso colocar meus sentimentos para fora”.

Ele completa “É deixar a intuição, a sensibilidade, a alma do artista falar, eu não posso criticar em momento nenhum.” Ele fiz também “cabe a mim apenas interpretar”. Sobre os atores que já interpretou que andaram envolvidos em polêmicas.

Liberada a trilha sonora de Soul, a próxima animação da Pixar, que chega no Disney+

Já a cantora Luciana Mello diz que Dorothea foi a sua primeira dublagem profissional, mesmo que já tivesse feito outros trabalhos menores na escola e na faculdade, mas que adorou a experiência de trabalhar com a equipe de dublagem.

Ao ser perguntada quais foram suas influências, e inspirações musicais, para compor a personagem de Dorothea (voz de Angela Basset no original)  “quando eu recebi o roteiro e vi que ela era uma dona de banda de jazz eu não sei por que eu achei ela a cara da Nina Simone”.

Como fã da cantora, pianista, e compositora americana (e muito ligada na luta pelos direitos negros nos anos 50 e 60) ela diz ter notado a semelhança logo de cara. Ela diz que sua personagem “tem uma força, um poder, de uma mulher ultra sensível, dona de uma banda que toca muito, que é uma grande artista com aquele coração [enorme]. Ela aceita o Joe, e diz que vamo [sic] ai ver se você é isso mesmo.” 

Dorothea Williams personagem que Luciana Mello empresta a voz em Soul
Foto: Pixar/Disney

Sobre o seu processo de dublagem, a cantora diz que precisava adotar uma postura para trazer para vida essa personagem. “Eu precisei criar uma postura para conseguir entrar naquela tela e conseguir entender qual seria o jogo de corpo, o que ela tava querendo dizer.”

Ela completa “eu adotei uma postura de mão, e de corpo, até mesmo para colocar a voz, uma voz mais grave… é uma personagem forte, bonita e que ajuda ele [Joe Gardner].”

Ela finaliza “Então foi Nina Simone, eu me lembrei muito dela na hora de falar, eu imaginei que a Nina Simone fosse aquela entidade, aquela diva que ela é, mas que ela [Dorothea] fosse daquela forma.”

Sobre o processo de finalização do filme que foi feito nos EUA na casa dos funcionários da Pixar que levaram seus computadores e materiais de trabalho, a dupla comenta como foi feito o trabalho de dublagem aqui no Brasil.

Mello diz que a equipe de dublagem seguiu todas as recomendações de segurança para trabalharem no processo de dublagem. Ela diz que tinha hora marcada, tudo bem rígido, e poucas pessoas no local e que as datas para as sessões mudaram até a Disney e a equipe de produção acharem uma ideal para todo mundo. No local, só ela, o diretor, e o técnico de som.

Eu fui ao estúdio e fiquei sozinha no aquário [para gravar as partes dela].”

Mello diz que foi testada para o vírus e liberada após a negativa e sempre se cuidou, com o uso da máscara, do álcool em gel, e distanciamento social. 

Lucas diz que primeiro fez alguns comerciais para o filme (que chamamos no mercado de Spots) no estúdio profissional que ele tem na casa dele. Mas toda a dublagem do longa foi feita em um estúdio em São Paulo que também seguiu todas as recomendações de segurança impostas pela organização de saúde.

Ele diz que o todo o processo de dublagem de Soul durou 2 semanas e alguns dias e até mesmo vir para a cidade ajudou ele a lidar com o isolamento na quarentena. “Era do hotel para o estúdio que fica 8 minutos de distância.”

COM 100% DE APROVAÇÃO E DATA DE ESTREIA NO DISNEY+, A ANIMAÇÃO SOUL GANHA NOVO TRAILER

Joe Gardner é um professor de música do ensino médio que alcança a grande chance de sua vida, tocar no melhor clube de jazz da cidade. Mas um pequeno passo em falso o leva das ruas de Nova York para um lugar fantástico, onde novas almas obtêm suas personalidades, peculiaridades e interesses, antes de irem para a Terra.

Determinado a retornar à sua vida, Joe se une a uma alma precoce, chamada “22”, que nunca entendeu o apelo da experiência humana. Ao tentar desesperadamente mostrar para “22” o que há de bom em viver, Joe pode descobrir as respostas para algumas das perguntas mais importantes da vida.

Dirigido por Pete Docter (Up – Altas AventurasDivertida Mente) e produzido por Dana Murray (curta Lou).

ARROBA CULT | ANIMAÇÃO SOUL DA PIXAR, THE FRENCH DISPATCH, SEQUÊNCIA INVASÃO ZUMBI E MAIS NA LISTA DE FILMES COM O SELO DO FESTIVAL DE CANNES 2020!

Soul chega em 25 de Dezembro no Disney+.

Postagens relacionadas