Uma Astronauta Quase Perfeita | Crítica: Legalmente Loira…no espaço

Emma Roberts lidera o elenco da comédia Uma Astronauta Quase Perfeita que é tipo um Legalmente Loira, só que no espaço. Nossa crítica.

0
197

“Você entrou no programa de treinamento de astronautas da NASA? Tipo, é alguma coisa difícil?” Parafraseando Elle Woods em Legalmente Loira, essa é a frase que poderia muito bem definir Uma Astronauta Quase Perfeita (Space Cadet, 2024) e aqui estrelado por outra loira, Emma Roberts.

Curioso pensar que o longa de Reese Witherspoon pavimentou o caminho para que esse projeto chegasse, anos depois e diretamente, no Prime Video. Afinal, é da mesma produtora, a MGM Studios, que hoje faz parte da Amazon, que lançou lá nos cinemas em 2001 essa comédia onde uma garota de uma irmandade entrava para a disputada faculdade de Direito de Harvard. E agora, mais de 20 depois, acompanhamos uma nova versão dessa história, agora focada em uma jovem baladeira da Flórida que consegue entrar no programa de treinamento de jovens astronautas da NASA, a agência espacial americana.

Emma Roberts em cena de Uma Astronauta Quase Perfeita. Foto: Credit: Eric Liebowitz//Prime Video © Amazon Content Services LLC

E a data de lançamento dessa comédia, em pleno 4 de julho, somente mostra o quão orgulhosos os americanos são com essa organização, em querer contar histórias sobre ela, e com tudo que envolve a chamada corrida espacial. E pegando carona no que deu certo para a tia Julia Roberts, Emma Roberts parece realmente ter se encontrado nessas comédias de streaming, principalmente depois de ter estrelado o espirituoso Amor com Data Marcada lá em 2020. 

Particularmente, é com esse tipo de projeto, com uma pegada mais cômica, até os mais doidos tipo Scream Queens, que a atriz entrega o seu melhor. E Uma Astronauta Quase Perfeita não foge da regra, e Roberts dispara feito um cometa nessa comédia, com essa personagem imperfeita e que se vê em uma teia de mentiras e confusões quando entra no programa de treinamento espacial na NASA. 

Meio sem noção e até mesmo bem galhofa, Uma Astronauta Quase Perfeita segue a cartilha dos filmes do gênero, e aqui é um filme simples, um que não inventa a roda, mas sabe muito bem trabalhar com o que tem para entregar um filme divertido e nada mais. É como se Uma Astronauta Quase Perfeita fosse o Top Gun: Maverick de Emma Roberts, onde aqui ela é quem lidera o elenco, abusa do timing cômico, do humor mais pastelão, e ainda eleva todo mundo ao seu redor com essa história que desafia todas as leis da física para dar certo. 

Afinal, ninguém daquela sala na NASA usou o Google, ou deu uma espiadinha no perfil lá no instagram de Rex (que tem fotos dela lutando contra uma crocodilos)? E isso fica claro no momento em que a jovem bartender da Flórida Tiffany Rex Simpson (Roberts) cruza o salão de entrada do prédio da NASA para pegar o seu crachá de admissão, com uma sandália de plataforma, um top brilhante, um shorts curto e muita empolgação. Muita empolgação mesmo. 

Mas o texto de Liz W. Garcia que cuidou também da direção e com Continência ao Amor de 2022 na credencial, já deixa bem claro, logo no começo do filme, que Rex é uma garota inteligência, assim como Elle Woods, e apenas é uma que também sabe se divertir e aqui se esconder de um acontecimento trágico que afetou sua vida. Uma das coisas mais positivas de Uma Astronauta Quase Perfeita é que o longa sabe brincar com os estereótipos apresentados aqui com esses personagens. Principalmente quando vemos Rex interagir com as pessoas ao seu redor. Seja com sua melhor amiga, a deslumbrada Nadine (Poppy Liu) ou com os outros participantes do grupo de treinamento da NASA que são apresentados pela trama, logo no começo do filme. Da colega de quarto Rex, a tímida Violet (Kuhoo Verma), do caladão Hector (Troy Iwata), da durona Grace (Yasha Jackson), do militar Capitão Jack (Andrew Call) e da ultra competitiva Stacy (Desi Lydic), ou melhor Dra. Stacy. 

E enquanto Nadine começa a criar todos os disfarces possíveis para quando a equipe da NASA, liderada por Pam (Gabrielle Union), começa a verificar as informações que ela colocou no currículo de Rex sem a amiga saber, o longa mistura cenas de telefonemas do chefe do programa Logan (Tom Hopper) com cenas de Rex e os colegas em pleno treinamento.

Desi Lydic, Andrew Call, Kuhoo Verma, Josephine Huang, Yasha Jackson, Troy Iwata e Emma Roberts em cena de Uma Astronauta Quase Perfeita. Foto: Credit: Eric Liebowitz//Prime Video© Amazon Content Services LLC

Garcia não foge do básico e entrega uma história bem simples e que já vimos trilhões de vezes em quase todos os filmes do gênero possível ao longo dos anos. Mas é o carisma de Roberts, todo nonsense dessa história, e realmente o ar divertido e descompromissado que Uma Astronauta Quase Perfeita transmite, um de estarmos vendo uma boa comédia para streaming, que faz essas pouco mais de 1h30min passarem voando feito um foguete rumo ao espaço. 

Das despojadas cenas dos treinamentos que simulam uma viagem ao espaço, para a permanência do grupo, em uma das cenas mais legais do longa, em uma réplica da estação espacial populada por 5 pessoas em uma minúscula salinha, até os momentos um pouco mais dramáticos, Garcia, como diretora, consegue capturar a essência que o roteiro escrito por ela quer passar e seguir dentro do esperado para o gênero. 

Com o auxílio das peripécias desse treinamento da NASA, Uma Astronauta Quase Perfeita consegue criar essa comédia divertida, espirituosa e que sabe bem trabalhar essa história da forma como ela precisa ser contada. Os arcos narrativos apresentados aqui são seguidos sem muita surpresa ou revelações bombásticas, mas, talvez, seja isso que faça Uma Astronauta Quase Perfeita dar certo:  ao ficar no conhecido e no que já deu certo em diversas outras produções do gênero.

No final, fica claro que é muito por conta do talento cômico de todos os envolvidos, principalmente de Roberts, que decola mais uma vez aqui, e entrega uma nova comédia de streaming para assistir, relaxar e apenas dar boas risadas. Não é preciso física quântica ou cálculo avançado para chegar nessa conclusão que é isso que vamos ter com um longa chamado Uma Astronauta Quase Perfeita, feito para o streaming, e com uma atriz com o currículo de Roberts. Se você quer conceito, um filme mais cult, ou alguma coisa que mude a história do cinema, avisamos que existe diversas outras opções disponíveis nesse mesmo streaming que você escolheu para dar play nesse filme.  

Nota:

Uma Astronauta Quase Perfeita está disponível no Prime Video.

Try Apple TV
Try Apple TV

Deixe uma resposta