Críticas Filmes 

Um Caso de Detetive | Crítica: Para os fãs de história de detetive longa é um prato cheio

Histórias de detetive, os clássicos Quem Matou?, e os livros de Agatha Christie fizeram minha infância. Eu sou muito fã, claro não ao ponto de saber quem é o assassino logo de cara como acontece como Abe Applebaum, mas é um assunto que me interessa muito, sim. E com Um Caso de Detetive (The Kid Detective, 2020) tive uma grande surpresa. O longa do diretor e roteirista Evan Morgan, em um de seus primeiros trabalhos na área, tem um ar desses de filmes antigos, sabe?

Um Caso de Detetive me ganhou com um humor muito, mas muito afiado e extremamente peculiar. O texto de Morgan consegue criar toda uma ambientação intrigante para contar essa história: uma mistura de coming of age com uma investigação criminal, que a princípio parece ser simples, mas que vira uma grande bola de neve na medida que envolve os membros da cidade que nosso protagonista vive.

The Kid Detective
Um Caso de Detetive | Crítica
Foto: Sony Pictures Home Entr.

Em Um Caso de Detetive conhecemos o jovem Abe (Jesse Noah Gruman), um garoto que tem um faro detetivesco bem apurado e que resolve abrir um escritório para investigar pequenos casos. E Abe se torna uma celebridade mirim naquela cidadezinha do interior. Os anos passam, um caso marcante na cidade não resolvido fica na sombra do nosso personagem, mas Abe continua na ativa, mesmo que descreditado. Agora com 30 anos, e interpretado por um quase irreconhecível Adam Brody, ele vive no mesmo ramo, mas sem perspectiva nenhuma, com um vício em bebidas, tendo que lidar com o péssimo humor de sua secretária (Sarah Sutherland) mas sempre tira um tempo para passar na sorveteria do bairro para pegar seu sorvete de graça do dia depois de ter ajudado o dono em um caso. 

E Um Caso de Detetive pinta essa cidade estranha como se fosse as séries Twin Peaks com Stranger Things, onde as coisas parecem super desconexas, estranhas e sem cor, assim como o humor e a motivação de Abe para viver sua vida. Um caso novo chega e parece ser a oportunidade de enfim o rapaz voltar para as graças da cidade.

A jovem Caroline (Sophie Nélisse) quer ajuda dele para descobrir o que aconteceu com seu namorado. Ele foi esfaqueado mais de 15 vezes. O roteiro de Morgan leva um certo tempo para introduzir todos esses personagens, e mostrar para o espectador o que aconteceu na cidade e com o jovem morto. Abe e Caroline partem em investigação sobre o que o namorado da jovem poderia esconder, afinal, bastou investigar um pouco que descobrimos que ele escondia algumas coisas sim. E assim, o casal fala com diversos moradores da cidade, desde o melhor amigo do falecido, o jovem Calvin (Dallas Edwards), o diretor do colégio (Peter MacNeill) até os pais do garoto Sr. e a Sra Chang (Sharon Crandall e Tzi Ma, respectivamente).

A história começa por ganhar um certo fôlego depois disso, onde pistas aparecem (fiquem de olho no Origami) e nos ajudam a construir o quebra-cabeça que é o caso que Abe investiga, o primeiro grande caso e como adulto. Assim, para os amantes de filmes de detetive, Um Caso de Detetive deve ser um prato cheio. Afinal, ao mesmo tempo que a investigação da morte do jovem é o foco, toda a culpa que Abe carrega por não ter resolvido o caso do sequestro de uma outra jovem quando criança também é desenvolvido pela história, coisa que acaba por afetar o tino e o faro do personagem agora adulto e cheio de rancor.

O mais interessante é que Um Caso de Detetive constrói ambas as investigações de forma paralela, sem deixar de desenvolver as duas de forma super orgânica, onde as pistas de cada uma são dadas ao pouco, onde nenhuma sobrepõe a outra. E Adam Brody está absolutamente incrível no papel, desde do visual desleixado até o sentimento de cansado e ranzinza, tudo ajuda a compôr a aura de seu Abe. Aqui, ele se desconstrói da sua aura de “bom moço” e entrega um personagem complexo e cheio de facetas e que realmente nos faz sentir e entender sua jornada ao longo do filme.

Um Caso de Detetive | Crítica
Foto: Sony Pictures Home Entr.

Nos momentos finais, Um Caso de Detetive engrena e me pegou completamente de surpresa com suas revelações e reviravoltas, algumas bem mais sombrias e pesadas do que eu imaginava. As histórias se fundem e as investigações realmente se completam, onde o espectador é convidado a descobrir as pistas juntamente com o personagem, e aqui entregam passagens super interessantes e que me deixou colado na frente do computador para saber o que iria acontecer.

No final, Um Caso de Detetive faz um drama investigativo muito interessante em que acerta tanto na parte do drama como também na parte investigativa. Adam Brody tem escolhido seus papéis a dedo nos últimos tempos e aqui se comprova ser muito mais que apenas um ator de uma série teen do passado. Assim como Abe, Brody coloca o passado para trás e parte para novas empreitadas.

Avaliação: 3.5 de 5.

Um Caso de Detetive chega nas plataformas digitais em 20 de janeiro.

Postagens relacionadas