Destaques Reviews Séries & TV 

Ted Lasso | Crítica: Comédia é um golaço da Apple TV+ e Jason Sudeikis o seu MVP

E bem amigos da rede Arroba Nerd … num é que Ted Lasso, a nova comédia da Apple TV+, é bem boa? Depois de um primeiro trailer bastante positivo – mesmo que não tenha tido o destaque e nem a repercussão on-line merecida – a Apple estreou os três primeiros episódios da série, e o que eu posso dizer é que me diverti como se estivéssemos em clima de Copa do Mundo. Com um roteiro afiado, e uma ótima atuação de Jason Sudeikis no papel principal, fica claro que Ted Lasso é um golaço da Apple TV+.

A trama da série chega até ser simples num primeiro momento, mas são nos pequenos detalhes, y’all que ela se destaca. Em Ted Lasso, acompanhamos Ted Lasso (Sudeikis) um treinador de um pequeno time de futebol americano universitário do Estado do Kansas que é contratado para assumir o posto de treinador em um time profissional da primeira liga de futebol na Inglaterra, mesmo não tendo nenhuma experiência na modalidade. 

Ted Lasso | Primeiras Impressões
Foto: AppleTV+

E aqui que Ted Lasso nos ganha, bem mais do que ser apenas uma série com temática esportiva … Ted Lasso é uma grande comédia de escritório, onde a empresa nada mais é que um time de futebol chamado AFC Richmond que, convenhamos, não vive seus melhores dias. E a ideia de contratar um técnico americano para comandar o time vem de Rebecca (Hannah Waddingham), a nova Presidente do time que assume depois de se separar do marido playboy e ver seu divórcio ser exposto nos jornais sensacionalistas britânicos.

Assim, tanto para a classuda Rebecca, quanto para time, a chegada de Lasso serviria como um novo começo, mas já descobrimos, logo no primeiro episódio, que as intenções da executiva não parecem ser das melhores: ela só contratou o técnico para ver o time afundar e se vingar do ex-marido.

E Ted Lasso chega com seu bigode marcante, suas roupas certinhas, e um forte sotaque sulista (howdy!) pronto para conquistar à todos na terra da Rainha. E  Jason Sudeikis está sensacional no papel, onde aqui ele é o MVP – do inglês most valuable player, ou o melhor jogador em campo – da série, sem dúvidas nenhuma. Sudeikis entrega um personagem como se fosse uma mistura do Michael Scott de Steve Carell com o Andy Bernard de Ed Helms, ambos da série The Office, incrivelmente bem construído e trabalhado. Ted Lasso tem um coração do tamanho do Maracanã, e realmente quer que essa nova empreitada dê certo, e para isso ele fará de tudo para quebrar o coração gelado dos ingleses com seu bom humor e suas piadas exageradas.

E isso faz totalmente a diferença na série, Ted Lasso tem carisma e uma suavidade de abordar as coisas de uma forma bem impressionante, e apenas combina com o roteiro afiado e as passagens inspiradas que os roteiristas colocam o personagem de Sudeikis durante o começo dessa empreitada. No meio de treinos de futebol improvisados, reuniões com biscoitinhos mágicos com a chefe, ou coletivas de imprensas desastrosas, Lasso consegue driblar tudo isso e meter um gol certeiro no time adversário.

As piadas com a relação, e as diferenças culturais, entre os EUA e o Reino Unido são ótimas, como por exemplo “Quantos países tem dentro desse país?” e o pessoal responde “Quatro!”, onde ainda quando um jornalista pergunta para Lasso se ele sabe o que é escanteio e o treinador responde “eu posso não saber explicar mas quando eu ver eu saberei o que é” é que deixa Ted Lasso ser melhor do que sua proposta e sua ideia simples. São nas sutilezas, nas pequenas piscadelas, e no tom sarcástico que fazem a série agradar, numa união de um humor britânico mais refinado com o grande elefante americano desgovernado numa loja de cristais que é Lasso. Ted Lasso brinca com aquele sentimento de torcer para a zebra, e com os estereótipos americanos e britânicos, sem ser extremamente ofensivo e realmente consegue fazer com que nos divertimos com os personagens e suas loucuras.

Ted Lasso | Primeiras Impressões
Foto: AppleTV+

E Ted Lasso ainda mostra que não existe Eu num time. Claro, Sudiekis se destaca, mas ainda temos a presença de outros bons personagens, como o faz tudo atrapalhado Nathan (Nick Mohammed, num bom ano onde atuou também na série Intelligence com David Schwimmer), do diretor de comunicações Higgins (Jeremy Swift) super pau mandado da nova Presidente, juntamente com o colega de Lasso na parte técnica, o ajudante Beard (Brendan Hunt), e claro, os jogadores dos principais do time, como o Capitão carrancudo Roy (Brett Goldstein), uma figura ah lá Messi, e ainda do jogador sensação, ah lá Cristiano Ronaldo, Jamie (Phil Dunster) que está mais preocupado com sua imagem e com sua namorada e modelo Keeley (Juno Temple).

Todos eles funcionam de uma forma bastante bacana na série, ganham mais espaço ao longo que os episódios se desenrolam na temporada, e na medida que Lasso quebra o gelo de sua chegada, e os conquista de pouquinho em pouquinho. Ao longo dos episódios curtinhos, o treinador coloca todo mundo para correr e vamos por descobrir mais de suas vidas e do passado deles.

Ted Lasso faz uma comédia bem bacana, com momentos que eu me vi pensando “nossa, isso é muito bom” enquanto eu assistia, não pelo fato de ser uma daquelas séries de comédia de gargalhar, mas por ser genuinamente engraçada em sua essência.

No final, combinação de um bom roteiro e boas atuação levaria Ted Lasso para as finais de qualquer partida de futebol, com certeza. A série já coloca Sudekis cara a cara para fazer um gol na próxima temporada de premiações, e olha que eu nem sou muito fã do esporte, mas sei reconhecer uma boa partida de longe. 

Ted Lasso chega em 14 de Agosto no Apple TV+ e exibe seus episódios de forma semanal todas as sextas-feiras.

Postagens relacionadas