Entrevistas Filmes 

Rebecca Hall fala sobre seu trabalho no longa A Casa Sombria: “Fiquei intrigada em fazer isso”

Depois de passar por alguns festivais ao redor do mundo e chegar nos cinemas americanos, o longa de terror A Casa Sombria finalmente desembarca no Brasil.

Estrelado pela atriz Rebecca Hall, o longa acompanha uma viúva que começa a descobrir os segredos perturbadores de seu marido, recentemente falecido.

Quando passa a ter visões perturbadoras de uma presença na casa, a protagonista começa a vasculhar os pertences de seu marido, buscando por respostas. O que ela descobre são segredos terríveis e um mistério que está determinada a resolver.

A atriz britânica que esteve no longa Godzilla vs. Kong (um dos maiores sucessos de bilheteria do ano) e fez sua estreia na direção com o longa Passing que deve chegar pela Netflix ainda em 2021, comentou um pouco sobre o projeto e sua preparação para trabalhar no longa.

“Havia um aspecto físico nisso que era muito intenso, tendo que imaginar efeitos físicos e a ‘entidade’ e, em seguida, contorcer meu corpo de certas maneiras para lidar com ela”, comenta Hall.

“Fiquei um pouco assustada, porque é essencialmente um show de uma só pessoa.” diz a atriz que a atuação no longa foi bastante elogiada pela imprensa americana.

Ela finaliza: “Em grande parte dele eu estou em uma casa fazendo as coisas e levando a história sozinha. É algo que eu nunca havia feito antes e achei um pouco assustador de uma maneira positiva. Fiquei intrigada em fazer isso”.

O longa tem direção de David Bruckner que também comentou um pouco sobre o projeto.

Na trama, Beth (Rebecca Hall), ainda abalada pela morte inesperada de seu marido, fica sozinha na casa à beira do lago que ele construiu para ela. Ela tenta segurar as pontas e não surtar, mas o pesadelos chegam. São visões perturbadores de uma presença que vive na casa que a chama como se fosse um grande fantasma. Contra o conselho de seus amigos, Beth começa a vasculhar os pertences do marido na busca por respostas.

O que ela descobre são segredos estranhos e perturbadores – um mistério que ela está determinada a desvendar.

“Rebecca tinha uma habilidade incrível em internalizar todos os aspectos inquietos de Beth e de manejá-los de uma forma que parecia fácil”, afirmou o diretor David Bruckner sobre a atuação de Hall.

A personagem oscila descontroladamente de um estado de confronto e humor fatalista para uma extrema vulnerabilidade e um desejo de conexão, muitas vezes na mesma cena. Era um número de corda bamba que exigiu muita confiança e coragem da parte de Rebecca”, completa ele.

A Casa Sombria chega em 23 de setembro nos cinemas.