Reviews Séries & TV 

Quem Matou Sara? | Crítica 1ª temporada: Revenge mexicana da Netflix entrega um bom novelão

Talvez por ter atores de novelas mexicanas conhecidos, ou por conta da sua trama mais parecida com um folhetim, o seriado Quem Matou Sara? entrega sim um viciante novelão, e um muito bom de se acompanhar.

As produções mexicanas na Netflix tem pegado carona nas premissas de algumas séries de sucesso dos últimos tempos e colocado seu tempero único em cima, foi assim com a série Control Z, e agora com Quem matou Sara?, e olha que isso é só nas que eu realmente assisti na plataforma. Com um tom bastante parecido com Revenge (que por si só já é inspirado em outra história conhecida) com um Pretty Little Liars para adultos, Quem Matou Sara? coloca um grupo de pessoas no meio de uma trama de conspiração e assassinato, onde os segredos do passado parecem que nunca vão ficar enterados para o desepero de alguns dos personagens, principalmente para a família Lazcano.

Quem Matou Sara? | Crítica 1ª temporada
Foto: Netflix

E por mais que Quem matou Sara? tenha uma vasta gama de personagens, a trama realmente se concentra no seu protagonista, Alex (Manolo Cardona, visto rapidamente em Narcos e Covert Affairs, mas aqui muito bem) e sua busca de descobrir quem literalmente matou sua irmã Sara (Ximena Lamadrid). A resposta parece ser óbvia logo nos primeiros episódios, mas José Ignacio Valenzuela, o criador da série, parece ter várias cartas na manga para esticar essa história e conseguir trabalhar com as nuances, e com as personalidades duvidosas e conflituosas de todos os personagens ao longo dessa primeira temporada. Boa parte deles tem segredos, e ao longo do primeiro ano, fica claro que eles fizeram e fariam de tudo para esconder como pudemos acompanhar.

E o mais interessante é que em Quem matou Sara? todo mundo é suspeito em algum determinado momento da história, ao assistir eu desconfiei até mesmo de mim mesmo! Brincadeiras à parte, em Quem matou Sara? fica claro que boa parte deles tem suas motivações para o serem os responsáveis pelo tal acontecimento que levou a morte da jovem, e o seriado consegue criar uma trama que realmente nos joga para dentro dessa história e a cada momento nos faz desconfiar de algum personagem e realmente nos faz uma teoria a cada minuto onde a história nos leva a focar para determinado personagem que acaba por ser o destaque de cada episódio.

Em Quem matou Sara? nem tudo que vemos em tela é a verdade em sua totalidade, é como se Valenzuela nos entregasse uma foto, e falasse para olharmos em um determinado canto, mas esquecemos que ainda existe todo um espaço maior que não estamos focando. Quem matou Sara? brinca com essa questão de percepção e que realmente não sabemos as motivações e o que realmente aconteceu naquele dia de verão nos anos 80 onde os personagens principais se reuniram na casa do lago da poderosa família Lazcano. Ao embarcarem no barco da família, os jovens Sara, seu irmão Alex (aqui Leo Deluglio), seu namorado Rodolfo (Andres Baida), e o irmão dele José Maria, o Chema (Polo Morin) vem a garota morrer tragicamente depois que o colete que a prendia no paraquedas se quebra ela cai no lago de uma altura bem considerável.

Quem Matou Sara? | Crítica 1ª temporada
Foto: Netflix

O que se desenrola nos flashbacks são os fragmentos desse dia que se intensificam quando Alex, 18 anos depois de ter sido preso pela morte da irmã, sai da cadeia, e parte para colocar em prática seu plano de vingança contra seu ex-melhor amigo Rodolfo (agora adulto, interpretado por Alejandro Nones) e seu pai Cezar (Ginés García Millán). Alex considera que Rodolfo é o responsável pela morte da irmã, mas será que é isso mesmo? Claro Quem matou Sara? se apoia nas conveniências e no uso da tecnologia para dar andamento na trama, Alex passou um bom tempo do seu período preso a estudar sobre ser hacker e recebe uma quantidade de dinheiro considerável. E são algumas passadas de pano que a gente dá para conseguir aproveitar o seriado que até que entrega bons momentos e que consegue nos deixar empolgados para saber o que vai acontecer, como Alex vai ferrar com a vida de cada um deles, e claro, tentar no final (será que vamos?) descobrir quem matou Sara de verdade. E por quê?

Quem matou Sara? não vai tão direto ao ponto assim, como falamos por conta de ter uma narrativa fragmentada e apostar no uso de flashbacks temos diversas narrativas que acontecem simultaneamente ao longo dos episódios, alguns arcos se conectam com o passado, e outros apenas existem no presente onde boa parte da história se passa. como por exemplo toda a questão de Chema (Eugenio Siller)  com o marido Lorenzo (Luis Roberto Guzmán), da busca de Elisa (Carolina Miranda, muito boa), a filha mais jovem dos Lazcano, para descobrir a verdade e seu envolvimento com Alex, e claro, de queremos saber a identidade da Diana, a Caçadora, uma figura misteriosa que ajuda Alex com pistas enviadas pelo telefone e que esconde sua identidade do rapaz.

Por mais povoada que a trama seja, e que tenha tempo para desenvolver quase todos os arcos, sinto que Quem matou Sara? tem poucos momentos de enrolação, o que para uma temporada de 10 episódios com cada um com 40 minutos é muito importante.  É como diz o título do episódio 9 – Ver o circo pegar fogo, o final da temporada engrena de uma forma tão alucinante que é difícil não querer maratornar tudo de uma vez por conta das revelações e os rumos que a trama ganha, e claro, as pontas em aberto que claramente devemos ter uma resolução na próxima temporada (já confirmada!). Como vimos no começo de Revenge, a frase de Confúcio “Antes de sair em busca de vingança, cave duas covas.” é totalmente aplicada aqui, e principalmente no episódio final da primeira temporada na medida que ao mesmo tempo que temos respostas temos também mais segredos e mais um pedaço da equação jogadas na nossa cara.

No final, Valenzuela e seu time de roteiristas entregam uma trama tão bem costurada e intrigante que faz de Quem matou Sara? ser um mistério para lá de convidativo e que está ali apenas por chamar os espectadores da Netflix com um formato já conhecido do brasileiro: uma história novelesca.  

Quem matou Sara? disponível na Netflix.