Críticas Destaques Documentários Filmes 

P!nk: All I Know So Far | Crítica: Uma grande artista, fenômeno sem igual e, principalmente, mãe!

P!nk: All I Know So Far (2021) traz um lado da cantora P!nk à tona e que muitos fãs irão adorar conhecer, o seu lado mãe acima de todo o fenômeno que ela já mostra para o mundo. Em suas quase 1h50 de duração o documentário passa pela jornada de shows de sua turnê Beautiful Trauma World Tour, que teve um total de 159 apresentações, e passagem até no Rock in Rio, aqui no Brasil.

Dirigido por Michael Gracey, de O Rei do Show, o documentário mescla os momentos mãe, artista e fenômeno ao colocá-la em suas apresentações. P!nk é multitarefa, a cabeça vive a mil, mas é o amor pelos filhos que nos faz ficar ainda mais encantado por essa artista que parece séria ao extremo, mas está sempre com um sorriso no rosto.

O documentário cobriu a parte europeia que aconteceu entre Junho e Agosto de 2019, partindo de diversos lugares da Europa, como Bruxelas, Amsterdã até chegar em Londres, a cantora mostra sua rotina de ensaio, exercícios e como ela fica a frente de vários detalhes do show, mas sempre sem esquecer dos filhos, Willow e Jameson.

Uma parte que ficou na minha mente é sua fala sobre como ela não aceita um desafio e precisa cumpri-lo, como fazer os malabarismos nos seus shows. Ela chega a citar que estar de cabeça para baixo deixa sua voz até melhor. Sua infância é citada, as dificuldades e como sua mãe sempre se esforçava para lhe dar o melhor, fazer as aulas que queria e ainda ser presente.

P!nk: All I Know So Far é um documentário além da artista familiar e isso é evidente em cada cena, em cada pedaço de coração que P!nk coloca na frente das câmeras e se é difícil fazer os malabarismos, ela esconde muito bem o cansaço quando precisa acabar um show e dar toda a atenção aos filhos que estão sempre cheios de energia.

P!nk: All I Know So Far chega ao Prime Video dia 21 de maio.