Destaques Reviews Séries & TV 

Please Like Me | Crítica

Se você é assinante da Netflix, com certeza, já se deparou com aquele seriado em que não é tão popular, não é mesmo? Nas diversas opções do catálogo da gigante do streaming, eis que aparece a série que possui uma temática LGBT Please Like Me, originalmente produzida pelo canal australiano ABC2. É isso mesmo que você leu, meu caro leitor: o seriado veio do outro lado do planeta Terra, diretamente da Oceania, a Austrália.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do seriado. Continue a ler por sua conta e risco.

A trama é semibiográfica e mostra a vida de um jovem chamado Josh (Josh Thomas, criador, produtor e protagonista) que, ao se descobrir gay (no dia do seu aniversário!), além de terminar o seu namoro, passa por situações complicadas, unindo-o a seus amigos e, principalmente, seus familiares, como os seus pais.

Uma das diferenças mais marcantes do seriado é em relação ao seu ritmo de desenvolvimento. Completamente fora do habitual das produções dos EUA, Please Like Me se avança com episódios não tão longos (adeus 45 minutos!) e tem uma abertura fora do comum: dinâmica. Com uma música super dançante, você deve ter reparado que ela muda a cada novo capítulo, referente ao fato que irá mostrar ao longo dos próximos 30 minutos. Diferente e criativo, né?

Josh mora com o seu melhor amigo Tom (Thomas Ward, best friend do Josh na vida real) e juntos, dividem não só a comida, como também a amizade e seus dramas. Dentre as diversas emoções, podemos citar os relacionamentos amorosos de Josh. O cara é extremamente egoísta e, em muitos momentos, ele deixou de aproveitar um pessoa bacana por pensar em si mesmo. Essa característica negativa se dá devido a mimação que seu pai, Alan, interpretado pelo ator David Roberts (Secret City), sempre lhe ofereceu: pagando suas dívidas, como a gasolina do carro e o aluguel de sua moradia.

Please Like Me

Aliado a isso tudo, a mãe de Josh, Rose (Debra Lawrance de Wentworth), tenta se matar e surpreende a todos com essa notícia. Resta, agora, o filho cuidar da sua matriarca, afinal, é sempre bom retribuir aquilo tudo o que nosso pais fizeram por nós, quando estávamos mais novos, né? Essa união é muito linda de se vê. Uma das cenas mais bonitas é quando os dois realizam um passeio no estado da Tasmânia. Além das paisagens deslumbrantes da ilha, Josh e Rose se aproximam cada vez mais e revelam segredos e medos de cada um. <3

A série consegue tocar em assuntos de uma forma doce e delicada, sem forçar a barra. Por exemplo: os colegas do hospital, em que Rose ficou internada, após a tentativa de tirar a própria vida, têm problemas, como bipolaridade e depressão. Tais temas estão em alta agora no século XXI e são apresentados de uma forma honesta, fazendo que o telespectador se identifique com aquilo. Tal mérito se dá por ventura dos diálogos bastante verossímeis e profundos. Destaque, também, vai para o racismo, relacionamento abusivo e, principalmente, homofobia.

Enfim, Please Like Me encanta os olhos de que assiste, pois retrata a vida como ela é. Essa afirmação pode ser comprovada quando ocorre, se não me engano em todas as quatro temporadas, a morte. Seja de um parente ou amigo íntimo até mesmo de um coelhinho de estimação, os personagens mostram as suas emoções da forma mais real possível. O silêncio é um dos pontos fortes da trama.

Please Like Me

O seriado foi uma das boas escolhas para maratonar nessas férias. Serviu e serve para refletirmos sobre doenças mentais. A partir de um personagem irritante (sorry Josh!) cheguei no final pensando em como devemos ter qualidade de vida, tanto para conosco quanto as pessoas ao nosso redor.

P.S. 1: Que lugar incrível que é a terra dos cangurus e o demônio-da-tasmânia (Austrália), minha gente. A cidade de Melbourne é mostrada com o seu melhor ângulo. Não é à toa que esse local é escolhido como o melhor para se viver, segundo a revista Time;

P.S. 2: Tem cultura pop representada, sim! Não posso me esquecer das referências feitas à Adele (cantora) e ao filme Simplesmente Amor (2003).


Dados Técnicos

Please Like Me
Criação: Josh Thomas
Estreia: 2013
Temporadas: 4
Episódios: 32
Emissora: ABC2 (Austrália) | Atualmente, o seriado encontra-se completo no catálogo da Netflix.
Renovação: Infelizmente a série foi cancelada. Os produtores resolveram encerrar com a história em fevereiro de 2017. Veja aqui o anúncio feito no perfil oficial de Josh Thomas no Twitter.