Destaques Reviews Séries & TV 

Os Inocentes | Primeiras Impressões

Os Inocentes definitivamente tem toda a cara de uma série britânica. E como uma boa produção inglesa, o seriado tem neblina, é escura e tem atores um pouco inexperientes nos papéis principais.

Com 8 episódios para sua primeira temporada, Os Inocentes é uma série estranha. Explicamos, ritmo da produção varia demais, seus personagens são meio desconectados e parecem não viver numa mesma realidade que a nossa e no final o drama só é puro mistério, com muitas perguntas para poucas respostas.

Foto: Netflix

Os Inocentes é um mix de série teen com um drama sobrenatural (mesmo que até bastante pé no chão) e vai contar a história de June (a atriz Sorcha Groundsell tem um olhar que transmite uma sensação de abandono e fragilidade gigantesca), uma garota de 16 anos que acaba por fugir de casa com seu namorado Harry (Percelle Ascott). E aqui, logo nos primeiros momentos, é que a série abraça seu lado bem adolescente e mostra os personagens com aquela inocência e um pouco de rebeldia em achar que o mundo é deles e nada pode atingir ou afeta-los.

June e Harry se veem com um carro só para eles, uma estrada longa, músicas novas que eles nunca escutaram mas que já amam e os dois tem uma vida toda pela frente mas claro, as coisas não são assim tão fácies não é mesmo? Logo no primeiro episódio vemos o casal já enfrentar perigos do mundo (o que não é spoiler nenhum se você viu o trailer da série) onde já descobrirmos depois de uma uma tentativa de sequestro que ela tem o poder de se transformar em outras pessoas.

E aí que Os Inocentes se embola. A série com o beneficio do streaming demora para começar contar a sua história e mostrar para que veio. Seu primeiro episódio é uma longa introdução ao mundo de June e Harry antes da fuga, onde temos mistérios, segredos de família, pais perturbados e irmãos com problemas mentais. O pai de June, John (Sam Hazeldine) é completamente controlador e a mãe de Harry, Christine (Nadine Marshall) é uma policial mais tranquilona que começa a investigar o desaparecimento dos dois.

Os inocentes netflix crítica
Foto: Netflix

Em Os Inocentes tudo demora demais e a mitologia da transformação parece ser escondida pelo roteiro mesmo sendo amplamente divulgada no marketing da série. O clima de suspense sobre qual é o poder de June e como ele se manifesta é completamente desnecessário, só vamos ter respostas apenas lá no episódio 5, depois dos garotos serem perseguidas pelo capanga Steinar (Jóhannes Haukur Jóhannesson) por diversos capítulos, andarem sem rumo por Londres, participarem das festas mais malucas, circularem no meio underground da capital inglesa e claro se envolverem em confusões tudo por causa que June não consegue controlar seus poderes que por mais da metade da temporada são instáveis e pouco explorados.

A trama paralela envolvendo o tipo de culto onde os outros transformadores moram na Noruega é demoradamente lenta para se conectar com a trama dos jovens. Nessa parte vemos os outros com a mesma habilidade de June serem liderados pelo médico Halvorson (Guy Pierce) que quer que a garota venha morar com ele e com a mãe dela, Elena (Laura Birn) que fugiu sem explicação e abandonou a filha. Pelo lado positivo todo esse arco até que ajuda Os Inocentes a sair um pouco do tom adolescente mesmo que no final essa parte da trama realmente só engrena lá pelo episódio 6 e 7.

No final das contas, o roteiro de Os Inocentes por mais que precisasse ser um pouco mais preciso (temos episódios com quase 1 hora de duração) a série consegue ter uma trama instigante onde queremos saber o que é tudo aquilo e principalmente o que vai acontecer com sua protagonista.

Esteticamente a série é impecável, a trilha sonora é deliciosamente bem escolhida, mas falta alguma coisa em Os Inocentes, uma faísca, algum tipo de estalo que faça a série engrenar e liberar seu potencial.

Talvez essa seja a intenção dos produtores em não mostrar tudo logo de uma vez e ir construindo aos poucos a jornada de June e Harry. Temos que ver se o espectador aceita também fazer parte dessa experiência e se ele concorda mesmo com o ritmo escolhido.

Os Inocentes chega à plataforma no dia 24 de agosto.